Sono, o livro

Sono é um conto do escritor japonês Haruki Murakami. Eu escolhi esta leitura com um pouco de receio, mas o tema atraía-me, porque ultimamente tendo tido alguma má relação com o sono.
Não conhecia o autor, apesar do nome não vir a ser totalmente estranho. Ao pesquisar o nome, descobri que ele é um sucesso literário.
Sono é uma leitura simples, sem palavras difíceis com uma narrativa surpreendentemente ocidental. Por vezes, esta história não parece real, como se fosse produto de um sonho. Uma dona de  casa que sem motivos passa a ter problemas em dormir, ficando mesmo acordada por 17 dias.
A personagem, apesar de casada e ter um filho pequeno, parece viver num mundo solitário dentro de um vazio interior. Ela passava as suas horas sem dormir entre atividades domésticas, alguma atividade desportiva e a ler obras de Dostoievski. Não queria consultar um médico. O conhaque acompanhava na leitura. Estava satisfeita por poder se concentrar apesar da situação que se encontrava.
Começou a comparar o sono com a morte e revelando-se em perguntas filosóficas sobre o tema.
O conto é composto de algumas ilustrações no final de cada capítulo. O fim é como aqueles filmes que você está no êxtase e, de repente, acaba. então, você fica aborrecido porque parece que a história não fez sentido, que você perdeu seu tempo, e que vai ter mesmo que esperar pela continuação em Sono 2.
De qualquer forma valeu a pena conhecer mais um autor asiático, e como ele consegue adaptar para uma realidade quase ocidental.

Tot ziens! 🙂