Aventura em Ieper (Guest Post – Miguel)

Hoje, o Miau do Leão tem um Guest Post, e é o meu filho Miguel, de 11 anos. Ele adora História, e recentemente foi com sua escola SJKS (Bélgica) à cidade de Ieper, na Bélgica.

Num dia de Sol fui em visita com a minha turma do 6º ano à cidade Ieper.
Ieper é muito conhecida devido à sua história na Primeira Guerra Mundial. Inicialmente, vamos contar como é que a Primeira Guerra começou. Em 1914, no Império Austro-húngaro, na cidade de Sarajevo, na Bósnia. O líder do Império foi visitar a cidade. Dois estudantes sérvios decidiram matar o líder Frans Ferdinand. Um deles atira uma bomba, mas não acertou o carro do líder, mas sim um outro carro de oficiais. O líder foi ao hospital para visitar os oficiais magoados e quando retornou fez uma curva errada e foi atingido pelo segundo terrorista. O Império Austro-húngaro ficou muito zangado com a Sérvia e enviou uma lista de sanções. A Sérvia não aceitou e o Império Austro-húngaro declarou guerra à Sérvia. O Império Austro-húngaro é amigo do Império Alemão. E a Sérvia, da Rússia. E a Rússia, da França. E a Inglaterra, amiga da França, mas entrou na guerra após alguns meses.

A Alemanha tinha um plano. Passar a trincheira entre a Alemanha e a França, mas a França tinha muitos forts na fronteira entre os dois países. Então, decidiram ir pela Bélgica, a escolha terrível! Porque queriam passar mais de 750 mil tropas para pegar Paris, mas a Bélgica disse que não podiam passar. Assim, a Alemanha declarou guerra à Bélgica. E a Bélgica era bastante forte, lutaram e atrasaram os alemães. A Inglaterra ficou zangada com a Alemanha por atacar um país pequeno como a Bélgica. E, a Inglaterra ajudou os belgas, a Batalha de Leuven. E, aqui é que começa a Bélgica a entrar na história da Primeira Guerra Mundial.

Os cidadãos belgas estavam a fugir apara a Holanda, que era neutra. E, os alemães não queriam isso. Então, construíram um muro de fios elétricos para as pessoas não passarem. E, haviam pessoas especializadas a passar a fronteira para enviar correspondências militares.

Na Primeira Guerra Mundial, a forma de lutar mudou. Antes, a cavalaria era boa. Na Primeira Guerra isso mudou, porque haviam metralhadoras que matavam uma cavalaria em poucos minutos. Então, usavam cavalos para puxar canhões.

Fomos a um museu chamado Flandes Field que contém uniformes, armas e muitas informações. Depois fomos ao cemitério dos ingleses, Tyne Cot. Este cemitério é muito grande com pedras brancas e uma cruz grande no meio com uma espada preta. Depois fomos a um cemitério alemão chamado Vladslo, em que em cada pedra deitada há em volta de trinta nomes e o cemitério é muito escuro com duas estátuas a mostrar que os alemães também tinham amor.

Em 1915, as tropas da Alemanha empurraram as tropas belgas até Ieper e a Bélgica tinha que fazer algo para se proteger. Abriu a barragem do rio Ijzer para transbordar os campos onde estavam os alemães. E, os alemães que estavam antes em Ieper usaram pela primeira vez o gás tóxico Iperite que queima a pele.

Depois fomos visitar a trincheira dos belgas ao lado do rio Ijzer, que não estava feita com material real da Primeira Guerra, mas com cimento.

E, assim, terminou a nossa visita de estudos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Chegada à Ieper
PA190333.JPG
Vestuário alemão
PA190337.JPG
Canhão
PA190341.JPG
Metralhadora
PA190346.JPG
Metralhadora
PA190349.JPG
Tank gewehr
PA190350.JPG
Morteiro
PA190353.JPG
Pistola
PA190354.JPG
Pistola e utensílios
PA190371.JPG
Medalhas
PA190374.JPG
Medalhas
PA190376.JPG
Bala de artilharia
PA190378.JPG
Roupas dos ingleses
PA190386.JPG
Menepoorte
PA190389.JPG
Soldados Ingleses que morreram
PA190391.JPG
Ao lado da Menepoort
PA190407.JPG
Medalha
PA190416.JPG
Cemitério inglês Tyne Cot
PA190424.JPG
Cemitério inglês Tyne Cot
PA190425.JPG
Cemitério inglês Tyne Cot
PA190432.JPG
Cemitério alemão Vladslo
PA190435.JPG
Cemitério alemão Vladslo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tot ziens ! 🙂

Anúncios

Nos campos de Waterloo, Bélgica

Em fevereiro passado, eu li um post do blog Resumo de Livro, do Gabriel Moura, sobre o livro Waterloo, de Bernard Cornwell. Lá comentei que já conhecia várias cidades belgas, mas faltava-me justamente Waterloo. Finalmente, após 3 anos a viver na Bélgica lá fomos.

Fiquei tão deslumbrada com a paisagem de todo o campo à volta daquele monumento que se tornou naquele instante a minha foto de capa numa rede social. Saber que eu estava a pisar uma área onde ocorreu uma batalha tão importante em 1815, onde 3 exércitos (francês, inglês e prussiano) durante 4 dias de Junho daquele ano (15 a 18 de Junho) combateu o exército de Napoleão Bonaparte, foi simplesmente arrepiante, emocionante.

Para recordar a batalha foi construído um magnífico monumento. Um cone de terra com diâmetro de 169m e 41m de altura, em seu topo o Leão, símbolo da monarquia holandesa, em homenagem ao príncipe de Orange ferido em batalha. O Leão olha, com sua boca aberta, em direção à terra dos derrotados, a França Napoleónica.  No chão, a olhar para o Leão, está a derrotada Águia, símbolo da França Imperial.

Todo o complexo à volta do monumento, que inclui restaurante e museu, está aberto durante 365 dias, no entanto, justo no dia que escolhemos visitar, o dia de Todos os Santos (1/11), esta condição pode ser alterada, inclusive o horário, e assim não nos foi possível subir até ao topo.

Mais Waterloo também se tornou o nome de uma música de sucesso dos suecos ABBA, aliás foi o seu primeiro sucesso mundial em 1974, e depois em 2005 ter sido eleita a melhor canção dos 50 anos da história do Festival Eurovisão. A letra da música fala sobre uma garota que está prestes a render-se ao romance, como Napoleão teve que se render na Batalha de Waterloo, 1815.

Vamos conhecer em fotos e ouvir os Abba? 🙂

IMG_20171101_153953621_HDR.jpg

IMG_20171101_155106387.jpg

IMG_20171101_160812163.jpg

IMG_20171101_161323543.jpg

IMG_20171101_161352086_HDR.jpg

IMG_20171101_161438247_HDR.jpg

 

 

Tot ziens! 🙂

Planetarium em Bruxelas

Após a visita ao Atomium fomos até ao Planetarium que fica bem próximo, na Avenue de Bouchot. Infelizmente, já havia começado a última sessão do documentário, La vie secrète des étoiles, na abóboda do Planetarium. Mesmo assim visitamos o museu que tem entrada gratuita.
O museu tem uma interessante exposição de instrumentos de cálculos desde o ábaco às calculadoras, instrumentos de medição, um sismógrafo com um detetor muito sensível que detetava batidas de pés, reprodução em miniatura de veículos para pesquisa planetária, explicações sobre os planetas e algumas atrações para crianças. Onde estavam as calculadoras tomei um bom susto e logo vocês vão ver nas fotos e vídeo.

IMG_20171105_161707485.jpg
exposição de instrumentos de cálculo

IMG_20171105_161731639

IMG_20171105_161557082.jpg

IMG_20171105_161610861.jpg

IMG_20171105_162104186.jpg

IMG_20171105_162429239

 

Tot ziens! 🙂

Subindo o Atomium, Bélgica

Era o fim das férias escolares de Outono, que ocorrem no mês de Outubro. Era preciso aproveitar! Decidimos, mais uma vez, passear à volta do Atomium. Deixamos o carro num dos vários estacionamentos que há bem próximo e servem a várias instalações de diversão que há por perto.

O dia estava especialmente frio e ao invés de caminhar no parque, resolvemos conhecer o Atomium por dentro. Entrei na fila para comprar os 4 bilhetes. Atrás de mim estava um casal jovem de brasileiros que estava indeciso em qual bilhete comprar. É que é possível comprar o bilhete para visitar apenas o Atomium ou comprar bilhete com atrações combinadas 2 ou 3, que dá direito a visitar a Mini-Europa e o Océade com desconto. O casal pensava em comprar o bilhete para as 3 atrações, pois assim fica mais barato, mas chamei a atenção que o Océade é um parque aquático aberto. Bem, desistiram logo com aquele frio que se fazia. Ter atenção que há preços para crianças, adultos e idosos. O atendimento para compra de bilhete pode ser feito em inglês, francês e holandês. E, também pode ser comprado online. Para informações atualizadas ir ao site: http://atomium.be/

Para entrar no Atomium passa-se por uma fiscalização um pouco semelhante a que encontramos nos aeroportos. Em seguida, somos animadamente levados para tirar uma foto com o mascote do Atomium, depois você receberá uma senha com um número. No fim da visita sua foto estará exposta e um porta chaves também com a foto, mas não é obrigatório comprar. Ainda no térreo há uma loja para comprar souvenirs, chocolates e cervejas belgas.

O Atomium é composto por 9 esferas ligadas por tubos. E é sobre a história de sua construção a exposição permanente que encontrará ao subir alguns andares desta estrutura. A subida faz-se por escadas rolantes, mas há um trecho que tem mesmo que subir degraus a pé. Você também pode ir direto ao último andar do Atomium de elevador. Geralmente, há fila para ir de elevador, e é acompanhado por uma responsável que fala um pouco sobre o Atomium em inglês, francês e/ou holandês. Pode-se acompanhar toda a exposição através de áudio com a instalação de um aplicativo.

Esta estrutura tem 102 metros de altura e fica no Parc D’Osssegem. Foi inaugurado em 1958 em comemoração a Exposição Mundial em Bruxelas que contou com a participação do Brasil em um pavilhão. A escolha deste símbolo que representa um cristal de ferro foi em homenagem a importância da Bélgica na produção de aço.

Noutros andares encontrará outras atrações e exposições que são temporárias. Nós vimos uma exposição sobre o trabalho de René Magritte, artista surrealista belga. Algumas de suas principais pinturas estavam lá, sempre com seu característica ilusionista. Essa exposição estará no Atomium até Setembro de 2018.

No último andar alcançado pelo elevador têm-se uma fenomenal vista de toda a cidade. Ao subir mais uma curta escada encontra-se um restaurante panorâmico (Atomium Restaurant).

Vamos conhecer o interior do Atomium em fotos ?
IMG_20171105_165824944_HDR.jpg
IMG_20171105_140618075

IMG_20171105_140718130

IMG_20171105_140839124

IMG_20171105_141058446.jpg

IMG_20171105_141322802

IMG_20171105_141811722

IMG_20171105_141906653.jpg
Maquete do pavilhão do Brasil na EXPO 58 em Bruxelas
IMG_20171105_141954626
Foto do pavilhão do Brasil
IMG_20171105_142232774
Exposição Magritte

IMG_20171105_142317690.jpg

IMG_20171105_143223337

IMG_20171105_143330675.jpg

IMG_20171105_150415259_HDR.jpg
Vista da atração Mini-Europa
IMG_20171105_150930953_HDR.jpg
Vista ao redor do Atomium

IMG_20171105_150959161_HDR.jpg

IMG_20171105_151053685_HDR
Vista do centro de Bruxelas

IMG_20171105_151335605_HDR.jpg

IMG_20171105_151648433_HDR

IMG_20171105_151714738_HDR
Vista da central nuclear ao fundo

IMG_20171105_151800138_HDR.jpg

IMG_20171105_152315926_HDR.jpg
Chocolates belgas
IMG_20171105_152345537.jpg
Cervejas belgas

IMG_20171105_152425190

Tot ziens! 🙂

Estudar em Portugal de graça

Reprodução do website EURODICAS.

Escolher um país de língua portuguesa para estudar fora pode ser uma tarefa árdua. Apenas 10 países no mundo têm a língua portuguesa como idioma oficial.

Seja para fazer um intercâmbio, graduação, mestrado ou doutorado, Portugal é um dos países mais cotados para os alunos que desejam estudar no exterior.

A qualidade do ensino, as aulas em português e o custo acessível das universidades são os fatores que mais se sobressaem na hora da escolha. Confira abaixo como estudar em Portugal de graça:

Intercâmbio em Portugal

Programa Erasmus (link em inglês) é nome do intercâmbio do continente europeu.

No Brasil, centenas de instituições de ensino e universidades possuem parcerias com universidades de Portugal e acordos para que os alunos brasileiros possam estudar por um ou dois semestres no país português.

Além de ter uma experiência de estudo no exterior, o aluno aprovado para o Programa Erasmus não precisa pagar as mensalidades em Portugal, nem no Brasil, durante o período do intercâmbio.

E os valores das mensalidades podem ser usados para se manter na Europa durante esse período, para pagar gastos com moradia, alimentação e transporte.

Como estudar de graça em Portugal

Para conseguir estudar de graça em Portugal – não sendo para intercâmbio – é preciso concorrer a bolsas de estudo. As bolsas podem ser financiadas por fundações e instituições tanto brasileiras, quanto portuguesas.

No Brasil, a bolsa mais popular é da Fundação CAPES, do Ministério da Educação. Há opções de bolsas para Doutorado, Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE), Pesquisa pós-doutoral, Estágio sênior, Apoio a Eventos no Exterior (AEX), Programa de Áreas Estratégicas e Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia.

Os valores da bolsa da CAPES para Doutorado, por exemplo, é de € 1.300,00 mensais. Confira todos os valores das bolsas CAPES para estudar no exterior.

Já em Portugal, a FCT (Fundação para a Ciência e a Tecnologia) é uma das principais fundações que oferecem bolsas de estudo e pesquisa no país português.

Todos os anos são realizados concursos para o envio de projetos para serem selecionados. O aprovados para Doutorado, por exemplo, recebem € 980,00 mensais. As bolsas de estudo podem ser nacionais (para portugueses, pessoas com cidadania portuguesa, ou brasileiros com Estatuto de Igualdade de Direitos e Deveres), ou bolsas mistas (para portugueses e também estrangeiros).

Além da CAPES e da FCT, outros Institutos e Fundações oferecem bolsas de estudo em Portugal, são elas:

Veja aqui tudo sobre bolsas de estudos em Portugal, desde como procurar até o processo de candidaturas para estudar em Portugal de graça.

Quais as vantagens de estudar em Portugal

As vantagens de estudar em Portugal de graça – ou pagando – são muitas, por isso elencamos algumas para te ajudar nessa decisão:

  1. Amadurecimento: seja por seis meses, um ou dois anos, sua cabeça mudará. Você irá crescer e amadurecer muito rápido, não importa quantos anos você tenha, você mudará sua visão de mundo;
  2. Contato com pessoas de todo o mundo: você aprenderá a conviver com culturas diferentes e irá conhecer gente de todo o mundo. Você passará a comer todo o tipo de comida e ficará mais sociável;
  3. Curriculum vitae mais competitivo: quando voltar para o Brasil, terá aprendido muita coisa e seu curriculum vitae será um diferencial competitivo;
  4. Experiência de vida: você terá histórias para contar, aprenderá coisas novas, terá acesso a professores com visões de mundo diferentes, a livros que nunca leu, conhecerá museus e lugares que pareciam impossível e que agora estão ao seu alcance.

Melhores universidades de Portugal

Todos os anos, diversas universidades portuguesas são escolhidas entre as melhores do mundo. De acordo com a revista britânica Times Higher Education, o Instituto Super Técnico de Lisboa é a melhor instituição de ensino de Portugal. Confira abaixo a lista com as melhores universidades de Portugal:

  • Instituto Superior Técnico
  • Universidade de Aveiro
  • Universidade de Coimbra
  • Universidade Nova de Lisboa
  • Universidade do Porto
  • Universidade de Lisboa
  • Universidade do Minho

Veja também quais são as Universidades de Portugal que aceitam a nota do Enem como critério de admissão. Aproveite, estudar em Portugal de graça é uma oportunidade única que vai te fazer crescer pessoalmente e enriquecer seu currículo.

 

Viver em Portugal

Dentro da categoria Trabalhar/Estudar na Europa, aqui no blog, trago uma dica para aposentados. Pensei em trazer este assunto para o blog após ter lido várias notícias em jornais de Portugal sobre a crescente procura de imóveis por parte de brasileiros em Portugal. Então, achei o blog O Terceiro Ato, da Bia, que contém informações muito úteis para a terceira idade sobre moda, cultura, família, educação, bem estar,… Entre outras informações achei este interessante post sobre a possibilidade de um aposentado brasileiro ir viver para Portugal. Vamos conferir ?

 

O aposentado deve solicitar um visto de Residência (via internet) para reformados ou titulares de rendimentos junto ao Consulado de Portugal de seu País. Veja como pedir o visto de residência de Portugal para aposentados:

1 – Comprovante de rendimentos que possibilitem a residência em Portugal, garantidos por período superior a 12 meses, e pode ser provado de duas formas:

  • No caso de “aposentados”, através do comprovante da aposentadoria, bem como a garantia do seu recebimento ou comprovar outros rendimentos em território nacional.
  • No caso de “cidadãos” que vivem de rendimentos de bens móveis ou imóveis, da propriedade intelectual ou de aplicações financeiras, através de documento comprovante da existência e montante dos rendimentos, bem como da sua disponibilidade em Portugal.

2 – Outros documentos necessários: Confira atualizações em 2017:  http://consuladoportugalsp.org.br/visto-de-residencia-para-aposentados-ou-titulares-de-rendimentos/

  • Formulário de pedido de visto a preencher online (vide consulado português);
  • Carta justificativa da pretensão de residir em Portugal;
  • 2 fotos 3×4 a cores e fundo liso, atualizada e com boas condições de identificação;
  • Passaporte original, com validade superior a 3 meses;
  • Cópia autenticada do passaporte (das folhas usadas e de identificação);
  • Cópia autenticada da carteira de identidade (RG);
  • Certidões de Antecedentes Criminais, com menos de 90 dias, emitidas pela Polícia Federal e pela Polícia Civil, com a assinatura reconhecida em Cartório;
  • Atestado Médico, com menos de 90 dias, passado por Órgão Oficial a declarar que não é portador de doença contagiosa, com a assinatura do médico reconhecida em Cartório; Ver atualizações : http://consuladoportugalsp.org.br/visto-de-residencia-para-aposentados-ou-titulares-de-rendimentos/
  • Seguro Saúde Internacional Privado, ou o PB-4 (PB-4, como funciona e como solicitar gratuitamente), caso seja beneficiário do INSS, pelo tempo que durar o visto;
  • Se casado, deve enviar cópia autenticada da certidão de casamento;
  • Se tiver filhos menores que acompanhem, deve enviar cópias autenticadas das certidões de nascimento;
  • Comprovante de alojamento em Portugal que, numa primeira fase, poderá ser reserva de hotel ou carta de pessoa conhecida, legalmente residente em Portugal, que garanta o alojamento.
  • Confira sempre Atualizações : http://consuladoportugalsp.org.br/visto-de-residencia-para-aposentados-ou-titulares-de-rendimentos/

Quanto preciso ter de renda para viver aposentado em Portugal?
Para que seu visto de residência como aposentado em Portugal seja aprovado, é preciso satisfazer alguns fatores mínimos, e um deles é o valor da aposentadoria por mês. O valor mínimo varia de acordo com a quantidade de pessoas no agregado familiar que vai se candidatar para morar em Portugal.

 

Os valores de aposentadoria para viver em Portugal:

  • 1º adulto – 100% do salário mínimo vigente
  • 2º adulto – 50% do salário mínimo vigente
  • Cada criança – 30% do salário mínimo vigente

Por exemplo, um casal aposentado (2015) com uma criança menor de idade precisaria ter um rendimento mínimo de €909 (180% do salário mínimo vigente) para aplicar o agregado familiar para o visto de residência, considerando o salário mínimo de €505 em 2015 (€530  em 2016).

Obs: Hoje (fevereiro/ 2016) seria uma média de (ao mês)  €795 para um casal, mas acredito que  seria bom ter uma folga ou seja, sugiro 1200 á 1500 por mês para viver confortavelmente em Portugal.

A obtenção do visto não é automática, e quanto mais recursos financeiros você tiver, maior a probabilidade de sucesso. Para você saber se consegue viver bem Portugal com a sua aposentadoria, leia aqui o Custo de Vida em Portugal.

Isenção de IRS na aposentadoria de estrangeiros e vantagens
Em 2013, Portugal criou o status de “residente não habitual”, que permite ao aposentado estrangeiro ter isenção de impostos durante dez anos. Para fazer parte desse programa é preciso residir pelo menos 6 meses por ano em Portugal sem exercer atividade lucrativa, alugar apartamento em Portugal (imóvel em geral) ou comprar e não ter sido residente fiscal em Portugal nos cinco anos anteriores. Sem dúvida não pagar impostos por 10 anos é um grande atrativo para ser um estrangeiro aposentado em Portugal. Á partir de janeiro 2016 com novos incentivos aos aposentados esta se tornando ainda cada vez mais interessante

Atualizando em… 20/06/2016

Depois de várias contribuições aqui mesmo em nossos comentários (o que tenho muito á agradecer) e mais pesquisas… estamos “atualizando” e informando que simo governo brasileiro taxa em 25% a aposentadoria remetida para fora do território brasileiro. Portanto todo brasileiro “residente não habitual” (não – residente) em Portugal que recebe pensão (aposentadoria) de uma fonte no Brasil (INSS ou funcionário público…), paga IR retido na fonte, de forma definitiva, com alíquota de 25% independente da renda.

O acordo para evitar a bitributação, entre Brasil e Portugal, determina o pagamento de IR ao país que paga a aposentadoria, ou seja, paga IR ao Brasil (conforma Dec. 4.012/01).  Entendo que é justamente por estar em vigor este acordo sobre bitributação que o Brasil está podendo cobrar o IR de quem vive no exterior. O acordo diz que quem recebe de fonte brasileira… paga IR no Brasil, sendo o mesmo caso para um português que venha morar no Brasil, ele pagará IR em Portugal.

É bom sabermos que a tal “isenção” de impostos (será válido somente enquanto a lei estiver em vigor e/ou por 10 anos) e não vigora para nós brasileiros!

Para saber mais sugerimos consultar a Lei 4.012/01 e a IN 208 da Receita Federal Instruções Normativas SRF 2018, DE 27/09/2002 com atualizações (http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?idAto=15079&visao=anotado ) assim poderemos entender melhor esta questão e não sermos pego de surpresa sobre esta questão tão séria. É mais um absurdo, como tantos outros que já sofremos aqui no Brasil.

Como outra sugestão e para nosso conhecimento vale a pena visitar algumas alternativas que estão sendo usadas por alguns brasileiros que já estão vivenciando esta situação e tentam através da justiça a cessação desta retenção de 25% de IR (liberar o seu salário integral das aposentadorias)… já conseguindo alguns sucessos. Para saber mais sugiro visitar: http://blog.eduardokoetz.adv.br/justica-cessa-retencao-de-25-de-ir-para-aposentado-residente-no-exterior/

https://secure.avaaz.org/po/petition/CESSACAO_E_REEMBOLSO_DE_25_DAS_APOSENTADORIAS_DE_BRASILEIROS_RESIDENTES_NO_EXTERIOR/?pv=6

Penso que não tem motivo algum para taxar em 25% a aposentadoria de quem não vive no país. É um absurdo!!!

Concluo que nem depois de aposentarmos poderemos (ainda) desfrutar (totalmente) de nossa renda. O IR sempre estará presente em nossas vidas!

Vamos ter que (re) planejar bem quando resolver “mudar para Portugal” ou para qualquer outro País que escolhermos para viver… ter novas experiências e/ou ir em busca de uma melhor qualidade de vida.

Uma outra grande vantagem de ser aposentado em Portugal, é o sistema de Saúde Pública em Portugal, que vai te custar muito menos do que qualquer plano de saúde no Brasil e tem excelente qualidade.

Algarve é eleito o melhor lugar do mundo para viver a aposentadoria

Além de Portugal, a Espanha também tem um programa de visto semelhante, para pessoas que tenham renda (como aposentadoria, por exemplo) e queiram viver no país. Veja Como morar na Espanha, para Aposentados.

Para saber mais sobre este assunto veja: http://www.eurodicas.com.br/

Atualizações confira sempre no Consulado Português : http://consuladoportugalsp.org.br/visto-de-residencia-para-aposentados-ou-titulares-de-rendimentos/

Fonte: http://www.eurodicas.com.br/como-viver-em-portugal-depois-de aposentar/

http://consuladoportugalsp.org.br/vistos/

 

O blog O Miau do Leão agradece a permissão da blogueira Bia (Blog O Terceiro Ato) para reproduzir o seu post.

O Miau

 

 

Arsenal em Bruxelas

Semana passada estive no show do Arsenal na casa de espetáculo Ancienne Belgique, no centro de Bruxelas. Uma noite de chuva fina, frio e com centenas de pessoas da Catalunã (Espanha) a protestar em Bruxelas, formaram uma combinação perfeita para quilómetros de congestionamento. Já estávamos quase a perder as esperanças, mas chegamos mesmo a tempo de beber uma Duvel e entrar para o espetáculo final de uma banda africana. Ufa!

Ainda tivemos sorte e ficamos bem a frente junto a uma caixa de som com quase 3m de altura. Quando a banda belga Arsenal entrou, com um atraso de cerca de 20 min, logo o ambiente tornou-se lotado e com muita vibração para ouvir o novo ‘single’ Amplify.

E, finalmente, conheci a banda que apresentei em um post do passado aqui no blog. Eram 10 pessoas no palco, que junto com a produção de imagens e luzes encheram pela positiva o palco.

Acho que ainda movida pela Duvel, julguei que uma das cantoras do Arsenal, a Leonie Gysel, fosse brasileira, então chamei-a fazendo sinal para vir para o lado do palco que eu estava, ela veio pouco tempo depois e gritei: Brasil! Brasil! Bem, gente, será que só brasileiro para fazer estas cenas ? (muitos risos) O que importa é que ela fez ar de surpreendida e acenou positivamente, e o povo ao meu redor também achou piada; e até uma pessoa veio falar comigo no fim do show e disse… Uau do Brasil! (em holandês). E, o Miau saiu de mansinho. Rsrsrsrsrs

Os produtores Hendrik Willemyns e John Roan do Arsenal lançam uma fórmula de electrónica e pop que produz uma lista de muitos sucessos, que não é possível apresenta-los todos numa noite de show, mas foi possível ouvir ‘Mr. Doorman ‘,’ Lotuk ‘,’ Estupendo ‘,’ Saudade Pt.2’ e outras músicas mais recentes como ‘Melvin ‘e’ Black Mountain (Beautiful Love) ‘.

Eles que já experimentaram com o som brasileiro, abriram o concerto com Amplify que inaugura o “Le nouveau Arsenal” que é fruto da viagem à Nigéria.

Vamos ver como foi esta noite do Arsenal em fotos e vídeos? Então, você vem comigo…

IMG_20171207_205333572
IMG_20171207_205905696
IMG_20171207_210616560.jpg
IMG_20171207_210629034

IMG_20171207_212002961.jpg

IMG_20171207_212024118.jpg

IMG_20171207_213429843

IMG_20171207_221734776

IMG_20171207_221739144

 

 

 

 

 

 

 

Tot ziens! 🙂