O garoto Toshio, o filme

Um filme (1969) cuja história real passa-se no Japão de 1966.  Toda atmosfera do filme é triste com o pequeno Toshio sendo usado pelo pai e madrasta para simular atropelamentos e extorquir grandes quantias de dinheiro aos motoristas. E, assim vão vivendo de cidade em cidade do Japão, e destruindo a infância e pureza de Toshio.

O filme centra na ideia de uma família como mal maior na vida de uma criança.

O menino Toshio  sonha com o extraterrestre que, um dia, chegará ao planeta Terra para acabar com a maldade, e explica isso ao seu pequeno irmão. Toshio já tem idade para entender o mal que o circunda e se refugia nos sonhos.

Um filme que nos faz refletir sobre a existência de tantos outros Toshio pelo mundo a fora, com sua infância roubada por pessoas que as deviam proteger de todo o mal, com amor e responsabilidade. Chamo atenção para a trilha sonora do filme (a cores), que retrata bem os momentos vividos pelo menino Toshio.

Vamos ver o trailer…

Até ao próximo post! 😉

Caçarola de grão de bico e legumes

Sim, sim, eu gosto muito de grão de bico. 😊 Bem, mas não o como todos os dias. Apenas coincidiu uma sequência de receitas interessantes com este alimento muito nutritivo.

Mais uma receita do livro essencial da cozinha vegetariana. No entanto, fiz algumas modificações que estarão indicadas entre parênteses. Para 4 pessoas.

IMG_20190409_131323804.jpg

330g de grão de bico seco (usei uma lata de grão já cozido)
2 colheres de sopa de azeite
1 cebola grande, picada
1 dente de alho, esmagado
3 colheres de chá de cominho em pó
½ colher de chá de malagueta em pó (não usei)
½ colher de chá de pimenta da jamaica (pode ser a gosto)
425g de tomate pelado em lata, esmagado
375ml de caldo de legumes
300g de abóbora, cortada em pedaços grandes (usei 500g)
150g de feijão verde, sem as pontas
200g abóbora porqueira,vem quartos
2 colheres de sopa de concentrado de tomate
1 colher de chá de orégãos

Ponha o grão de bico numa tigela grande, cubra com água e deixe de molho durante a noite; escorra.

Aqueça o azeite num tacho grande, junte a cebola e os alhos e deixe fritar durante 2 minutos ou até que fiquem macios. Junte o cominho, a malagueta em pó e a pimenta da jamaica e frite durante 1 minuto. Acrescente o grão de bico, os tomates e o caldo. Leve a ferver, reduza o lume, cubra e deixe cozinhar durante 1 hora, mexendo de vez em quando.

Junte a abóbora, o feijão verde, abóbora porqueira, o concentrado de tomate e orégãos, misture e deixe cozinhar, tapado, mais 15 minutos. Destape e cozinhe mais 10 minutos para reduzir e engrossar o molho ligeiramente.

Acompanhei com pão nan.

Nota: Para demolhar o grão de bico mais rapidamente, pode colocá-,lo num tacho grande coberto com água fria. Deixe levantar fervura, retire do lume e deixe de molho durante 2 horas. Pode também usar grão de bico em lata. Neste caso, escorra o líquido da lata e lave bem o grão de bico em água corrente.

Até ao próximo post! 😉

 

Bolsa de graduação e mestrado em artes para Coreia do Sul

A Universidade Nacional de Artes da Coreia do Sul (K’Arts)  está recebendo inscrições para bolsas integrais para seus programas de graduação e mestrado nas áreas de artes. Os programas de graduação na Coreia do Sul oferecidos pela universidade englobam as áreas de música, canto, artes cênicas, cinema, audiovisual, dança, arquitetura, design e belas artes. As inscrições vão até 31 de maio.

As bolsas são oferecidas como parte do programa Art Major Asian (AMA), que visa promover o intercâmbio cultural da Coreia do Sul com outros países por meio da educação de pessoas com talentos artísticos de destaque.

Mais informações: http://www.karts.ac.kr/en/news/notice_view.do?BB_SEQ=127&RNUM=2

Até ao próximo post! 😉

O milagre da manhã, o livro

downloadUm livro de ajuda escrito por Hal Erold, que pretende nos acordar através do milagre da manhã, porque a vida é curta demais e não há tempo para ser infeliz e medíocre. Segundo ele, é um hábito que muda a vida, em que começará cada dia com disciplina, clareza, desenvolvimento pessoal e do seu estado mental.

O plano de transformação consiste em 30 dias de O Milagre da Manhã, o qual desenvolverá a confiança e sedimentará os hábitos que a pessoa necessita para atrair, criar e sustentar continuamente os níveis de sucesso que deseja e merece em todas as áreas de sua vida.

E por que pela manhã? Pela manhã não se tem todas as desculpas que se acumulam durante o dia: estou cansado, não tenho tempo, etc. E se você quer que sua vida seja diferente, precisa estar disposto a fazer algo diferente, em primeiro lugar.

A vida não deve ser uma luta, e para impedir que isso aconteça, é preciso que saiba o que faz com que o ser humano acabe levando uma vida de mediocridade. Uma das causas é síndrome do espelho retrovisor, onde recriamos o nosso passado continuadamente. Para derrotar a mediocridade, você precisa de um propósito de vida. Pode ser algo simples, até pequeno. O propósito de vida pode ser mudado a qualquer momento.

Segundo o livro, é importante saber que onde você está, é resultado de quem você era, mas para onde você vai depende inteiramente de quem você escolhe ser, a partir deste momento. E sempre que você escolhe fazer a coisa fácil em vez da coisa certa, você está mudando sua identidade, tornando-se aquele que faz o que é fácil, e não o que é certo.

O sucesso está ligado a responsabilidade. A responsabilização é o ato de ser responsável pela ação ou pelo resultado de outra pessoa. Ela traz ordem para nossas vidas e permite progredir, melhorar e obter resultados que de outro modo não obteríamos. Assim, obtenha um parceiro de responsabilização.

O milagre da manhã começa, na verdade, na noite anterior, criando, conscientemente, uma expectativa positiva para a manhã seguinte, estabelecendo suas intenções antes de deitar. A seguir, coloque o seu despertador no outro lado do quarto e escove os dentes. Ao acordar, beba um copo cheio de água e vista suas roupas de ginástica, e vá correr ou caminhar.

As pessoas extraordinárias visualizam não o que é possível, mas o impossível. Elas utilizam afirmações como uma das ferramentas mais eficientes para se tornarem rapidamente a pessoa que precisa ser para conquistar tudo o que deseja na vida.

A programação de exemplo (60 min) do Milagre da Manhã consiste em: silêncio que é a primeira prática para melhorar nossos ruidosos estilos de vida. Em seguida, afirmações, visualização, exercícios, leitura, escrever.

E você está preparado(a) para mudar a sua vida logo de manhã cedo ? 😉

Até ao próximo post! 😉

Pombo de 1,2 milhoes de euros

Um pombo de corrida belga foi vendido por 1,2 milhões de euros num leilão online. Durante quinze dias, dois chineses disputaram a compra do ex-campeão do mundo em corridas de pombos, conhecido como “Lewis Hamilton” dos pombos.

Em média, um pombo de corrida vale cerca de 2200 euros. No entanto, o dono do pombo “Armando” sabia que iria conseguir um valor superior pelo animal recordista, esperando arrecadar entre 350 e 440 mil euros.

Foi então que, nos últimos momentos do leilão, dois concorrentes chineses disputaram diretamente entre si. Cada vez que o licitante “XDDPO” aumentou a oferta em 100.000 €, o outro, “Champ Team“, oferecia um extra de 2.000 €.

Depois de uma batalha de uma hora, o “XDDPO” saiu triunfante com a oferta recorde de 1,25 milhões de euros.

Armando, que aos cinco anos termina a carreira nas corridas, vai agora viajar para a China, com o objetivo de procriar e gerar filhos campeões.

Vamos conhecer o Armando de 1,25 milhões de euros no vídeo abaixo:

 

Lion, o filme

Você vai se emocionar, torcer, correr, chorar,rir com o pequeno Saroo. Uma criança indiana, que quando chegar a idade adulta, já estando a viver na Austrália, e enquanto estava num encontro entre amigos, começa até “insights” sobre o seu passado. E decide descobrir sua família biológica.

É impressionante a pobreza na Índia, ou melhor, a diferença social. E a diferença gritante entre Índia e Austrália.

Passei quase todo o filme a tentar perceber o por quê do filme assim se chamar, Lion. Fiquei a saber apenas na fase de créditos. Então, preste atenção até lá. Um filme adorável apesar de algumas repetições de cenas e lacunas no desenvolvimento. Vamos ver o trailer com legenda em português…

Até ao próximo post! 😉

Salada de camarão, manga e abacate

A primavera chegou com alguns raros dias de calor. Daí, tive a ideia de fazer esta salada que tinha visto como publicidade no Facebook. Aprovada em casa! 🙂

IMG_20190317_130558340.jpg

2,5 xícaras (chá) arroz de grão longo ou mistura de grãos cozido como quinoa
300 – 400g camarões cozidos descascados
1 manga grande, cortada em pedaços
1 abacate maduro grande, cortado em pedaços
75 g rúcula, grosseiramente picada
250 g tomates cereja, cortados ao meio
1/2 cebola vermelha, cortada em rodelas finas
1/4 xícara (chá) de coentro ou salsa, finamente picadas (usei salsa)

Molho de limão:

4 colheres de sopa (60 ml) de azeite extra virgem
2 colheres de sopa (30 ml) de sumo de limão (fresco), ou a gosto
1 dente de alho pequeno, picado
1/2 colher de chá de sal
1/4 de colher de chá de pimenta preta

Agite o molho num frasco.

Pique os camarões em pedaços.

Coloque todos os ingredientes da salada em uma tigela, despeje sobre o molho. E misture delicadamente com uma espátula. Ajuste a gosto com mais limão, se desejado. Sirva imediatamente!

Até ao próximo post! 😉

 

Uma mente inquieta, o livro

download (1).jpeg

Não tenho a certeza, mas acho que a sugestão de ler este livro veio do blog da Bia Ribeiro. Vou escrever sobre o livro na visão de alguém que é fora da área de psicologia ou psiquiatria, mas o livro está ao alcance da compreensão de todos, uma leitura que flui facilmente.

O livro relata a experiência de como uma profissional de saúde, que se dedica à pesquisa e ao tratamento do transtorno bipolar, lida com esse mesmo transtorno como paciente. A história de vida de Kay Redfield Jamison.

Na adolescência esteve gravemente deprimida, depois presa sem trégua aos ciclos da doença maníaco-depressiva quando começou sua vida profissional. Tornou-se uma estudiosa das alternâncias do humor. Durante os dez primeiros anos não procurou nenhum tipo de tratamento. Quando iniciou a medicação percebeu que esta não só interrompia os períodos velozes, de vôos altos; mas também ela trazia consigo efeitos colaterais aparentemente intoleráveis. No entanto, a doença deformava o seu estado de humor e os pensamentos.

Ela relata a experiência, após 3 meses de ter se tornado professora universitária, de estar descontroladamente psicótica. Acordou um dia e estava louca. A sua relutância tinha origem numa negação fundamental de que o que ela tinha era uma doença de verdade. Uma reação comum, que segundo ela, surge de uma forma bastante contrária à intuição. E o não buscar ajuda vinha do que lhe tinham ensinado sobre aguentar o tranco, sobre a auto confiança e sobre não atrapalhar os outros com nossos problemas.

A doença maníaco-depressiva é uma doença médica, assim a autora acredita que, com raras exceções, é negligência tratar essa enfermidade sem uso de medicação. No entanto, ela temia que ao tomar a medicação estaria arriscando seu último recurso.

Ela perguntava-se sobre o sentido de seguir em frente, se não podia sentir, se não podia se mexer e se não conseguia se importar. Mesmo assim, sentia-se que ela tinha consciência de que a doença tanto mata quanto dá a vida. E, assim ela contribuiu para dar ênfase ao uso combinado de medicações e psicoterapia, em vez do uso exclusivo de medicações, salientando a importância da informação sobre as doenças e seus tratamentos aos pacientes e suas famílias, bem como ajudar a mudar as atitudes públicas.

Em seu ambiente de trabalho, a maioria dos seus colegas eram do sexo masculino, e mesmo que fossem imparcial e solidários, havia alguns homens cujas opiniões sobre as mulheres eram de um tipo que se precisava ver para crer.

Apesar das dificuldades que a doença lhe trazia, ela não deixou de viver a vida e de amar. Perdeu precocemente um grande amor. Foi quando percebeu que não só a vida, mas também o amor é extremamente complicado, mais do que lhe ensinaram.

No livro, ela descreve sobre a linguagem e expressões utilizadas para descrever a doença mental, e que fere os sentimentos e os direitos dos que sofrem. Por vezes, expressões humorísticas que fazem perpetuar uma falta de amor próprio e uma auto-estigmatização. A lembrança do preconceito e da falta de sensibilidade permanece por muito tempo. Por isso, permitir que esse tipo de linguagem passe sem correção ou sem controle contribui de modo direto e indireto para a discriminação na sociedade em geral.

Não só a linguagem popular para descrever alguém com uma doença mental, mas também a própria confusão quanto ao uso do termo mais popular “transtorno bipolar” em lugar do termo histórico “doença maníaco-depressiva”, vem ao debate. Sendo a palavra “bipolar” revelada como insultuosa de uma forma estranha e intensa, pois obscurece e minimiza a doença. Enquanto, a utilização de “maníaco-depressiva” é capaz de captar a natureza e a seriedade da doença sem encobrir a realidade. Mas “transtorno bipolar” é menos estigmatizante do que “doença maníaco-depressiva”, assim percebi.

Havia o desejo de ser mãe e foi dramático quando um colega disse-lhe que sendo uma doença genética, o melhor era não pôr no mundo mais um maníaco-depressivo. Para ela, não ter os seus próprios filhos é a única tristeza intolerável em sua vida.

A ciência é a esperança. Hoje, através de uma tomografia do cérebro, é possível ver que um cérebro deprimido aparece com cores frias, verde-garrafa, roxo-escuro e azuis profundos, da inatividade cerebral. Com hipomania, o cérebro tem cores brilhantes, laranja, amarelo e vermelho.

O livro não é apenas sobre a doença maníaco-depressiva, também é sobre o amor, que foi apoio, renovação e proteção. A depressão prolongada esgota os relacionamentos através da suspeita, da falta de confiança e de amor próprio, da incapacidade de aproveitar a vida, de caminhar, conversar ou raciocinar normalmente, da exaustão, dos terrores noturnos, dos terrores diurnos. Para a autora, não há nada de bom para dizer da depressão, a não ser que ela dá a experiência de como deve ser a velhice, “ser velho e doente, estar à morte, ter a mente lerda”, pois ela é neutra, oca, cansativa e insuportável.

Um livro sobre uma experiência única de vida. E, assim foi mais um livro lido na minha vida.

Até ao próximo post! 😉

 

Uma Páscoa diferente em Namur, Bélgica

belgaimage-148127163-full.jpg
Foto: The Bulletin

Tornou-se uma tradição do feriado da Páscoa belga. Milhares de pessoas, reunidas num campo fora de Namur, procuram brinquedos sexuais escondidos.

Cerca de 5.000 caçadores de tesouros – sobretudo mulheres – e um número semelhante de espectadores juntaram-se à caça anual em Wépion no domingo, que está agora no seu nono ano e a ganhar popularidade.

Enterrados no chão estavam 800 bilhetes para serem trocados por um brinquedo sexual. Os participantes vieram de toda a Bélgica, bem como da França, Holanda, Espanha e Portgual. Alguns vieram em trajes extravagantes, como você verá acima.

“Cada ano atrai mais e mais pessoas”, disse o organizador Colombe Cuvelier do site Soft Love. “O nosso objectivo é promover a emancipação das mulheres por uma boa causa.

O dinheiro arrecadado com o evento será doado à Relay for Life, que arrecada fundos para o câncer, e a uma instituição de caridade que apoia mulheres com endometriose.

Até ao próximo post! 😉

O menino que descobriu o vento, o filme

Faz tempo que não vejo um filme como este, em que eu chorei, emocionei-me, torci pelo jovem, sorri,… Um filme adorável! Uma lição de vida para tantos jovens que não sabem dar o valor daquilo que possuem.

Eu assisti ao filme em inglês devido a minha Netflix com o tiítulo original The Boy Who Harnessed the Wind . Também há TED com o jovem William Kamkwamba. Vamos ver o trailler? 🙂

Até ao próximo post! 😉