O Santo e a Porca, o livro

Se você deseja uma leitura leve, rápida e com o complemento de boas gargalhadas, então indico esta peça do brasileiríssimo Ariano Suassuna, O Santo e a Porca (1957).

Algumas páginas iniciais do livro são tomadas pela história de vida do escritor nascido na Paraíba. Só então começa a peça de três atos que foi montada em 1958, no Rio de Janeiro, e contava com nomes que na minha infância eram verdadeiros “monstros” da cultura brasileira: Ziembinski, Cacilda Becker, Cleide Yaconis, entre outros. Eles vestiram a “pele” dos personagens Euricão, Eudoro, Caroba, Pinhão, Dodó, Margarida e Benona, e cujo tema central da peça é a avareza.

“Ai a crise, ai a carestia! Santo Antônio, Santo Antônio!”

Ariano Suassuna deixava claro que O Santo e a Porca é uma imitação nordestina da peça Aulularia (Comédia de Panela) do dramaturgo romano Tito Plauto, que por sua vez inspirou Shakespeare e Molière.

Diante de um ano que foi tão difícil para a humanidade, a leitura do humor regionalista de Suassuna é um doce, que no final mostra-nos uma lição de vida para encarar uma realidade consumista que nos cega para os verdadeiros tesouros da vida.

Até ao próximo post!

Saúde é a mais bonita prenda

Muito já se falou sobre esse ano atípico de 2020. Se retornarmos para a mesma data em 2019, ninguém imaginava o que viria pela frente, mas vamos pensar no hoje. Logo mais, famílias estarão reunidas para festejar esta noite com conotação religiosa ou não, não importa. Importa estarmos em paz, esperançosos, e sobretudo, reunidos de forma responsável para que sejam acrescidas a possibilidade de voltar a nos reunir. Solidariedade, responsabilidade, empatia, cuidar, podem ser algumas das prendas a oferecer, mas a mais importante é a saúde.

Essa publicidade de um supermercado belga reflete bem o espírito que devemos ter hoje e amanhã à noite neste ano que marcou as nossas vidas. A criança oferece uma prenda à sua avó com uma cartinha que diz  ‘Vacina para a avó’. A frase final da publicidade diz :  Saúde é a mais bonita prenda. Todo o comercial é embalado por um folk rock do grupo The Heart Design, A Hero of a different kind. Vale a pena vê-lo por completo.

Boas festas com responsabilidade e saúde !

Até ao próximo post!

Ermida, uma pacata aldeia

A aldeia Ermida está localizada no Parque Nacional Peneda-Gêres (Portugal), rodeada de natureza, cascatas e pastos. Para se chegar até a aldeia é preciso percorrer as curvas estreitas da serra com cautela, pois também pode se deparar com um pequeno rebanho de ovelhas.

Já bem próximo de se chegar à aldeia avista-se ao longo da estrada pequenas cachoeiras. É lindo e reconfortante. 

O mais interessante é que essa aldeia portuguesa vive em regime comunitário. O povo reúne-se para decidir os problemas da pequena aldeia, bem como juntos revivem tradições antigas como a pastorícia. Cada família contribui para a limpeza dos caminhos por onde passa o gado. O miradouro foi construído graças a contribuição dos moradores. 

Caminhei numa manhã  por suas ruas estreitas ainda com marcas no chão da passagem de algum gado e observei a existência de pouca população e avistei apenas 3 crianças, de uma das casas ouvia-se o som de uma rádio portuguesa. Também avistei alguns espigueiros em pedra que eram utilizados para secar o milho. Não há mercado, nem restaurante, nem padaria. Algum comércio só a cerca de 4 km. Assim é a pacata aldeia de Ermida.

espigueiro
espigueiro

Aqui o curto vídeo que fiz…

Até ao próximo post!

Clarice Lispector XXXIX

Conhecer Clarice Lispector através de suas próprias crônicas escritas para o Jornal do Brasil.

A posteridade nos julgará

Quando for descoberto o remédio preventivo contra a gripe, as gerações futuras nunca mais poderão nos entender. Gripe é uma das tristezas orgânicas mais irrecuperáveis, enquanto dura. Ter gripe é ficar sabendo de muitas coisas que, se não fossem sabidas, nunca precisariam ter sido sabidas. É a experiência da catástrofe inútil, de uma catástrofe sem tragédia. É um lamento covarde que só outro gripado compreende. Como poderão os futuros homens entender que ter gripe nos era uma condição humana? Somos seres gripados, futuramente sujeitos a um julgamento severo ou irônico.”

A festa do termômetro quebrado

Era uma festa para Clarice quando se quebrava em casa um termómetro. A gota gorda e contida de mercúrio prateado, no chão, uma pequena corrida e depois imobiliza-se, imune. Tenta pegá-la com uma folha de papel por baixo.
Quando pensa que pegou o mercúrio, estilhaça-se, como dizem que nos acontece depois da morte – o espírito vivo se espalha em energia solta, pelo ar, pelo cosmo.
O mercúrio é um objeto que tem vida própria. Lidar com ele é uma experiência não substituível por outra qualquer. Ele não se cede a ninguém. E ninguém consegue pôr-lhe a mão. O espírito, através do corpo como meio, não se deixa contaminar pela vida, e esse pequeno e faiscante núcleo é o último reduto do ser humano.” As feras também são assim íntegras, indomesticáveis e vitais.

Até ao próximo post!

Geike de volta ao Hooverphonic

Se você, como eu, é fã do trio belga Hooverphonic vai comemorar o retorno da melhor vocalista de sempre do trio, Geike Arnaert. Ela esteve junto a Alex Callier e Raymond Geerts entre 1997 e 2008. Retorna em 2020 após tentar outros caminhos em carreira solo.

Esse retorno coincide com os 20 anos do lançamento de um álbum de sucesso do trio “The Magnificent Tree“, e visa a participação no Eurovision Song Contest em Rotterdam, que foi adiado para o próximo ano devido a pandemia.

O single de sucesso “Mad About You” é a música do album que foi regravada, e marca esse retorno da formação que maior sucesso internacional conseguiu desde que a banda surgiu em 1995.

Até ao próximo post!

A beleza na simplicidade

Por todos os caminhos que andei na região do Alto Minho encontrei esta flor que com sua simplicidade alegrava a trilha. Seu nome é açafrão-bravo (crocus serotinus).
Esta espécie surge durante as primeiras chuvas do Outono Ibérico em terrenos secos e pedregosos.
Sem dúvida, a felicidade está na beleza das pequenas coisas.

açafrão-bravo
açafrão-bravo
açafrão-bravo

Até ao próximo post!

Alto Minho, Portugal

Seguindo do Porto para a pequena e sossegada aldeia de Ermida (Parque Nacional da Peneda-Gêres), pouco mais de uma hora, já me tinha esquecido de como era viajar sentindo o agradável cheiro de eucalipto. 

Chegámos à noite na aldeia, e só na manhã do dia seguinte foi possível vislumbrar a natureza à volta e ouvir o chocalho do gado.

Ermida
Ermida

Em próximos posts contarei como foram as duas caminhadas (hiking) que realizei com a família, em Ermida (10,9 km) e Soajo (5,81 km), durante o chamado Verão de São Martinho, quando no Outono ocorre uma pausa, e o Sol e calor retornam por uns dias para aquecer o São Martinho (11 de Novembro). É o momento da tradição de saborear as castanhas portuguesas com jeropiga, água-pé, ou ginjinha, mas acompanhei com um bom moscatel de Setúbal.

Foi agradável voltar a saborear alguns pratos da culinária portuguesa e o vinho verde da região, mesmo que em take away devido a situação preocupante com a segunda onda da pandemia.

Tripas à Moda do Porto
Francesinha

E ainda mais a contar, … esse meu inesquecível encontro frente a frente. Vem comigo!

Até ao próximo post!

O Gambito da Dama, a série

(Sem spoiler) O Gambito da Dama (The Queen’s Gambit) é uma série com 7 episódios, e que foi baseada no romance de Walter Tevis, o mesmo autor de O Homem que Caiu na Terra, também adaptado para o cinema. Eu “engoli” rapidamente os episódios acompanhada dos filhos, e juntos, foi possível rever um mundo que já esteve presente em nossas vidas.

O xadrez é o tema central, no período da Guerra Fria, entre os anos 50 e 60, e numa época que os homens dominavam o xadrez. Surge uma jovem orfã com um enorme talento, mas com uma vida regada de problemas que vão desde a morte da mãe, passagem por orfanato, alcoolismo, dependência de medicamentos, boas e más influências de amigos, etc.

Algo que nos chamou a atenção é que os personagens pareciam ser, em certa medida, a representação de grandes mestres do xadrez. Por exemplo, a jovem talentosa Elisabeth Harmon (interpretada pela igualmente talentosa Anya Taylor-Joy) seria inspirada no Bobby Fischer, grande mestre de xadrez americano. Chegamos a essa conclusão devido o título da série e o comportamento da personagem principal. O gambito da dama seria a abertura preferida de Fischer, mas Harmon gostava da abertura siciliana.

Vale a pena conferir o trailer da série…

Até ao próximo post!

Bolonhesa de lentilhas

A culinária faz-me viajar sob diversas formas. O mundo dos sabores é capaz de levar ao conhecimento de outras culturas, navegar por outros idiomas e sotaques que não o materno, recordar histórias antigas, aprender sobre nutrição, etc. Esta bolonhesa de lentilhas vegan fui buscá-la no website de um supermercado português, logo recordei a passagem bíiblica entre Jacó e Esaú, e aprendi que a lentilha é uma leguminosa rica em lítio (Li), um mineral utilizado nos medicamentos para estabilizar o humor, além de ser rica em outros minerais. Aprovadíssima em casa, espero que gostem.

Ingredientes para 4 pessoas:

250 g lentilhas verdes secas 
1 c. de chá sal
500 g massa penne integral 
50 g azeite 
1 cebola
3 dentes de alho
2 folhas de louro
200 ml polpa de tomate natural
60 g cogumelos frescos laminados 
1 c. de chá pimentão-doce em pó
½ c. de chá pimenta-de-caiena em pó
½ c. de chá orégãos secos
100 g folhas de espinafres 
qb orégãos frescos picados 

Preaparação:

1. Comece por demolhar as lentilhas, colocando-as em água abundante durante a noite ou por 6 horas. Eu utilizei a lentilha em lata.

2. Uma vez demolhadas, coza as lentilhas num tacho (panela) com o dobro da água por 10 a 15 minutos (não coza demais). Quando estiverem quase cozidas adicione metade do sal. Escorra a água das lentilhas e reserve-as.

3. Num outro tacho (panela), coza a massa com água temperada com o restante sal, segundo as instruções da embalagem.

4. Num wok, junte o azeite com a cebola e o alho descascados e picados, e as folhas de louro. Deixe saltear e adicione a polpa de tomate. Deixe cozinhar por 4 minutos e de seguida acrescente os cogumelos laminados e deixe cozinhar por mais 4 minutos.

5. Junte ao wok as lentilhas e as especiarias e mexa. Prove e rectifique os temperos. Adicione um pouco de água se achar necessário e deixe apurar por 5 minutos.

6. Por fim, corte os espinafres grosseiramente, junte-os ao preparado e apague o lume. O calor irá cozinhar os espinafres.

7. Sirva a massa numa taça e adicione, por cima, a bolonhesa de lentilhas. Polvilhe com os orégãos frescos.

Até ao próximo post!

Clarice Lispector XXXVIII

Sábado
Clarice dizia: “o sábado é a rosa da semana, e o sábado de manhã  é quintal. Domingo de manhã  também é a rosa da semana, embora  sábado seja muito mais. Nunca vou saber por quê.”

Sábado, com sua luz
Trabalhar?  O que interessa no Sábado é puro ar.

Domingo 
Que perfume, é domingo de manhã. Terraço varrido. Liga o rádio. Almoçar tarde. Domingo ninguém tem sede. Começa a beber vinho sem a ânsia da sede.

Os perfumes da terra
A terra é perfumada. E Clarice se perfumava para intensificar o que ela era. Perfumar-se é uma sabedoria instintiva. É bom perfumar-se em segredo.

Teu segredo 
Flores envenenadas na jarra. Roxas, azuis, encarnadas, atapetam o ar. Que riqueza de hospital. Nunca vi mais belas e mais perigosas. É assim então o teu segredo. Teu segredo é tão parecido contigo que nada me revela além do que já sei. E sei tão pouco como se o teu enigma fosse eu. Assim como tu és o meu.

Até ao próximo post!