Évora, ama-se ou odeia-se

Corre pelas ruas da literatura que Vergílio Ferreira foi quem melhor compreendeu e escreveu sobre o modo de ser e estar eborense.

Vivi 12 anos em Évora, e não compreendi. Uma das primeiras frases que ouvi sobre a cidade foi: Évora, ama-se ou odeia-se. Depois do susto de ouvi-la. Exercitei o amar e o odiar. Não consegui nem uma coisa nem outra. Retorno, após 5 anos, a este cantinho do Alentejo, de Portugal. Lá lembrei de Florbela Espanca, poetisa alentejana, que viveu pouco tempo, mas intensamente. Arrepiei-me… Évora!

Évora! Ruas ermas sob os céus
Cor de violetas roxas… Ruas frades
Pedindo em triste penitência a Deus
Que nos perdoe as míseras vaidades!

Tenho corrido em vão tantas cidades!
E só aqui recordo os beijos teus,
E só aqui eu sinto que são meus
Os sonhos que sonhei noutras idades!

Évora!… O teu olhar… o teu perfil…
Tua boca sinuosa, um mês de Abril
Que o coração no peito me alvoroça!

…Em cada viela o vulto dum fantasma…
E a minha alma soturna escuta e pasma…
E sente-se passar menina e moça…

Florbela Espanca

IMG_20200221_070040191
Um dos prédios da Universidade de Évora
IMG_20200221_070054698
Amanhecer em Évora
IMG_20200221_171840844_HDR
Igreja de São João Evangelista também conhecida como Igreja dos Lóios
IMG_20200221_171953273
Museu de Évora
IMG_20200221_172004521_HDR
Templo Romano de Évora
IMG_20200221_172220068
Biblioteca Pública de Évora
IMG_20200221_172251193_HDR
Pousada dos Lóios
IMG_20200221_172824536_HDR
Vista da cidade sob um dos parques da cidade
IMG_20200221_171529897_HDR
Pátio interior da Pousada dos Lóios
IMG_20200221_145441425
Corredor da Pousada dos Lóios
IMG_20200221_145423609
Antiga cela do Convento dos Lóios, hoje quarto de  hóspedes. Todo recuperado após o terremoto de 1755.

Évora é uma cidade com muitas atrações históricas e culturais. Estas imagens foi uma pequena pincelada diante da pintura que é a cidade.

Até ao próximo post! 😉

Berinjela grelhada com queijo e fiambre

IMG_20190822_190610401

Uma receita leve, saudável e rápida de executar. Ideal para uma quarta-feira de cinzas. 🙂

1.Cortar 2 berinjelas em fatias finas e grelhar dos 2 lados

2.Depois de grelhada passar sal e molho de tomate. Também colocar uma fatia de tomate e por cima fatia de queijo provolone (usei gouda).

  1. Enrolar as fatias e arrumá-las num refratário. Por cima passar molho de tomate e queijo parmesão ralado e folhinhas de basílico. Como eu não tinha usei orégano seco.

  2. Ir ao forno 185°C entre 15 a 25 min

Servi acompanhado de salada grega (tomate, pepino, cebola roxa, queijo feta, azeitonas pretas, especiaria para salada, limão e azeite).

Até ao próximo post! 😉

Clarice Lispector XXVII

clar


Saudade

Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.”

 


Conversa telefônica

Uma amiga de Clarice transcreveu uma conversa telefônica que tiveram. A escritora leu a transcrição, achou-a estranha, mas se reconheceu.

 

Humildade e Técnica

Clarice não tinha problemas de expressão, mas de concepção.
Humildade é técnica que vem da plena consciência de ser realmente incapaz.
Orgulho não é pecado, é um erro grave, é coisa infantil como a gulodice. E todo erro grave atrasa a vida, faz perder tempo.

 

Se eu fosse eu

Clarice Lispector propõe a experiência: se você fosse você, como seria e o que faria ?
Ela achava que se fosse mesmo ela, nem os amigos a cumprimentariam na rua, porque até a fisionomia mudaria. Metade do que mudaria nem podia contar, poderia terminar presa. E daria tudo o que tinha, confiando o futuro ao futuro.

 

Até ao próximo post! 😉

 

Fernando Pessoa como Alberto Caeiro II

nieuw
Nieuwpoort-Bélgica (Reddit)

…”Porque eu sou do tamanho do que vejo

E não, do tamanho da minha altura…
Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave,
Escondem o horizonte,
Empurram o nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos
Porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é ver.”

 

Até ao próximo post! 😉

Angèle

Angèle (Angéle Van Laeken), belga, é a nova sensação da música cantada em francês. Ela venceu, recentemente, 3 prêmios MIA’s – Music Industry Awards 2020 (Bélgica) e um prêmio no Franse Grammy Awards 2020.

A jovem de 24 anos conseguiu colocar várias músicas no top parede. Uma delas foi “Tout Oublier”, em parceria com seu irmão, o rapper Roméo Elvis.

A sua música parece inocente e sem nenhum propósito, mas ao visualizar os vídeos de suas músicas, então tudo passa a ter sentido, e de uma forma divertida traz alguns temas polêmicos.. É o caso do vídeo da música “Oui ou Non”, que é uma crítica ao sentimento de felicidade que as publicidades tentam passar.

Até ao próximo post! 😉

Guardiões da Vida, o curta

O Oscar 2020 revelou 2 grandes vencedores, o filme coreano Parasita (que já falei aqui no blog) e o ator americano Joaquin Phoenix no filme Joker.

Phoenix é um ser humano vitorioso. Poucos possuem a coragem de utilizar a sua fama por causas sociais ou de ir preso por manifestar a sua preocupação pela natureza. Alertar sobre a ganância cega por lucros que faz esquecer os que virão depois de nós e que destrói sem qualquer respeito a nossa única casa e todos que nela habita, a Terra.

O ator com sua preocupação pelos efeitos da indústria de carnes e laticínios deu mais uma contribuição participando de uma curta metragem produzida por organizações não-governamentais (ONG), ‘Amazon Watch’ e ‘Extinction Rebellion’,para destacar o papel dos indígenas na proteção da floresta Amazónia. Assim é Guardiões da Vida (Guardians of Life) em 3min e 34seg.

Até ao próximo post! 😉

Lille flamenga

De volta a Lille após quase 5 anos. Caminhar por algumas de suas ruas centrais à noite fez esquecer um pouco o frio que se fazia presente, admirar a iluminação, algumas pinturas, entrar numa livraria francesa, e afirmar o ar flamengo de Lille em plena França

A motivação para atravessar a fronteira, que não estava distante, foi também ir a uma brasserie, próxima à estação central, que produz a sua própria cerveja com a possibilidade de uma especial apresentação (ver foto). 

IMG_20200102_170107676

IMG_20200102_171733247

IMG_20200102_172245258

IMG_20200102_173453803

IMG_20200102_173532572

IMG_20200102_180157911
Painel sobre feminicidio

IMG_20200102_203155966

IMG_20200102_203937178

FB_IMG_1577999227724
Motivação: essa apresentação das cervejas e culinária francesa

Um curto filme que fiz…

Até ao próximo post! 😉

Clarice Lispector XXVI

download

Liberdade I e II

Clarice (I) fala sobre a liberdade que se tem ao falar com uma amiga.
Clarice (II) fala sobre a difícil fala com um filho que lhe tentava cortar a liberdade.


Lição de filho

Um dos seus filhos, com 14 anos, a fez reconhecer a diferença entre emoção e nervosismo, e assim ela desistiu de tomar um calmante a uma certa situação.


O caso da caneta de ouro

Certa vez, Clarice Lispector recebeu de presente uma caneta de ouro. Até esse momento sempre tinha escrito com lápis-tinta ou à máquina. Refletia se isso mudaria o seu modo de escrever. Era um probleminha frente a um problema maior: ela tinha dois filhos e apenas uma caneta de ouro.


Comer, comer

Clarice Lispector descreve o quanto em sua casa se falava em comer e em comida. Gostavam de comer. Também falavam sobre a atualidade no mundo e no Brasil.
Clarice escreveu: somos um lar.

 

Até ao próximo post! 😉

Fernando Pessoa como Alberto Caeiro

pessoa

Esta obra reúne o conjunto de poemas dos livros “O Guardador de Rebanhos”, “O Pastor Amoroso” e “Poemas Inconjuntos” assinados pelo heterónimo de Fernando Pessoa, Alberto Caeiro.

Fernando Pessoa, escreveu trinta e tantos poemas a fio, numa espécie de êxtase, como disse o escritor…”Foi o dia mais triunfal da minha vida, e nunca poderei ter outro assim.”

Segue o trecho que mais me identifiquei:

“Eu não tenho filosofia: tenho sentidos…
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar…
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar”…

“O Guardador de Rebanhos”, Fernando Pessoa
Até ao próximo post! 😉

Feijoada de Lulas – Chef Sá Pessoa

lula

 

Hoje trago uma receita. Como fui uma admiradora do programa de tv português “Ingrediente Secreto”, do Chef Henrique Sá Pessoa, então trago uma de suas saborosas receitas. O Chef publicou livros com o mesmo título “Ingrediente Secreto”, e também há vídeos, página no Facebook, etc.

 

Ingredientes (4 porções, 529 Kcal):

800 gr de Lulas (utilizo as lulas já limpas e congeladas, apenas corto-as às rodelas)
600 gr de Feijão Branco (eu usei o feijão em lata que já vem cozido)
3 Cebolas pequenas
2 dentes de Alho picados
2 Folhas de Louro
1/2 Chouriço vermelho cortado em fatias finas
1 colher (sopa) de talos de Coentros (eu prefiro usar salsa)
1/2 copo de Vinho Branco
1 Lata grande de Tomate triturado
Sal q.b.
Azeite q.b.

 

Preparação

Coloque o feijão em água durante 24horas. Escorra e coza-o em água com uma cebola cortada em pedaços grandes e sal. Volte a escorrer o feijão e reserve.

Comece por refogar duas cebolas e dois dentes de alho picados numa boa quantidade de azeite. Junte duas folhas de louro, o chouriço cortado em fatias finas e os talos de coentros. Baixe o lume e deixe a cebola refogar durante quatro minutos.

Retire o interior, as partes mais rijas e a pele da lula. Corte as lulas às rodelas, junte-as ao refogado e tempere com sal.

Adicione meio copo de vinho branco e deixe evaporar rapidamente. Deite, por fim, uma lata grande de tomate triturado.

Junte o feijão ao guisado, baixe o lume e deixe o sabor apurar durante 45 minutos. No final, junte coentros.

Sirva a feijoada acompanhada de arroz branco.

 
Bom apetite !
Até ao próximo post! 😉