Clarice Lispector XXVIII

Facilidade repentina

O bem estar é algo estranho. Clarice relata sobre situações simples de bem estar. Bem estar com a comida, com o menino na rua, com a amiga, com os filhos, com o taxista, …

livro
A opinião de um analista sobre mim

Clarice Lispector tinha amigas que foram analisadas pelo Dr. Lourival Coimbra, psicanalista do grupo de Melanie Klein. Em suas visitas ao consultório falavam da amiga escritora, então Clarice resolveu enviar um dos seus livros com dedicatória através de uma das amigas, o livro de contos Laços de Família. Ela ficou curiosa por saber a impressão do psicanalista, e este disse: “Clarice dá tanto aos outros, e no entanto pede licença para existir.”
Clarice concordou.


O meu próprio mistério

“Sou tão misteriosa que não me entendo.”


Sim e não

Clarice era sim e não. Esperava a harmonia do contrário. Eu que também era Vós.


Em busca do outro

Clarice buscava o caminho. Não encontrou atalhos, mas sabia que o caminho era sentir os outros, e assim estaria salva, o seu porto de chegada.

6 comentários sobre “Clarice Lispector XXVIII

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s