Kamenjak e suas belas praias, Croácia

É no extremo Sul da península da Ístria que se encontram as mais belas praias do Norte da Croácia
Uma área com aromas do Mediterrâneo, pitorescas paisagens e praias de água cristalina. Um pedaço de natureza que está protegido desde 1996. Esta área recebe o nome de parque Kamenjak.

O Kamenjak é procurado não apenas por suas praias, mas também para prática de ciclismo e caminhadas. Pelo menos durante o Verão é substancialmente mais procurado por turistas, principalmente austríacos. À entrada paga-se uma taxa de 80 kunas para um dia (automóvel), aproximadamente 10 euros. Há a possibilidade de compra de ingresso para um dia, três dias, 7 dias e 12 dias seguidos, ou ainda, um mês. O preço varia de acordo com o tipo de veículo. Também há quem deixe o carro no estacionamento externo e faça percursos à pé ou mesmo de bicicleta sem necessidade de pagar entrada. Ao fazer o pagamento recebe-se um folheto sobre o parque Kamenjak e um saco plástico para recolher lixo produzido ou encontrado. Assim, cada um contribui com a manutenção e preservação do parque.

São cerca de 30 km de costa com várias enseadas e praias no Kamenjak. Os turistas alojam-se na pequena vila de Premantura (Promontore). As praias que estive foram:

Plovanje – uma praia pequena com muitas ondas.

Nivje – é uma praia com mais frequência de pessoas, pois há um bar e estacionamento amplo. Descansa-se ao som de cigarras.


Polje – é uma praia ampla, mas com pouca possibilidade de estacionamento ao longo da estradinha que dá acesso até ela e dá para descansar observando a calmaria de uma vila de pescadores. 


Skara – é uma praia de difícil acesso para carros, e talvez por isso pouco frequentada.


Debeljak – é uma enseada e foi a praia que mais apreciei. Descansar observando o bailado de borboletas é mais um atrativo.

Todas as praias que visitei eram em pedra. Pelos vistos há poucas praias em areia na região da Ístria.

Segue o curto vídeo que fiz com as praias que citei.

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Segredos

Os segredos estão dentro de nós. Como tudo o que sabemos, também os segredos nos constituem. Também os segredos são aquilo que somos. Quando os seguramos, quando somos mais fortes e os contemos, alastram-se em nós. Desde dentro, chegam à nossa pele. Depois, avançam até sermos capazes de os distinguir à nossa volta. E, no silêncio, somos capazes de os reconhecer. Então, nesse momento, já não são apenas os segredos que estão dentro de nós, somos também nós que estamos dentro dos segredos.”

(Dentro do Segredo, José Luís Peixoto, pág.108, versão Epub)

Para combinar com este trecho do livro de José Luís Peixoto trago uma música do grupo francês M83 que fala sobre enfrentar “tempestades de poeira” e lutar até o fim. O vídeo tem muita qualidade técnica, no meu entender, com imagens que nos faz refletir. Espero que gostem desta música que está em minha playlist. As músicas do M83 constam em algumas trilhas sonoras de filme.

Agradeço a sua leitura e até ao próximo post!

Pula, Croácia

Andar pelas ruas de Pula, na Croácia, é sentir toda a influência dos povos que ocuparam e formaram esta que é a maior cidade da região Ístria (região dividida entre Croácia, Eslovénia  e Itália). Foram romanos, venezianos, austro-húngaros e italianos qua deixaram suas marcas na cultura, na arquitetura, na gastronomia e no idioma.

Esta é Arena de Pula construída no século I, um dos coliseus romanos. Esta arena está entre as seis maiores arenas romanas e é o monumento mais antigo e mais bem preservado da Croácia. É nele que acontece o Festival de Cinema de Pula durante o Verão, bem como shows e exposições. A entrada custa cerca de 10 euros. Vale lembrar que a moeda na Croácia chama-se kuna.

O Arco do Triunfo dos Sérgios é um ponto turístico para fotos. Não há como não se notar a sua imponência. Uma construção ainda de antes de Cristo. Os Sérgios foram três irmãos oficiais que venceram várias batalhas, daí este tributo.

A praça central da cidade (Fórum) é um convite para desfrutar de um bom momento em uma das esplanadas dos vários restaurantes que circundam toda a praça.

A partir da praça principal é possível admirar o prédio da prefeitura  e o Templo de Augusto (o fundador do império romano). O espaço entre ambas as construções é um bom recanto para apresentações de grupos locais.

A Fortaleza situa-se no ponto mais alto da cidade de Pula. Um bom local para visualizar uma boa parte da cidade e acompanhar o pôr do Sol.

Todas as noites acontece o show de luzes nas gruas que estão próximas à marina da cidade. Sente-se num banco que está na avenida que circunda a marina e desfrute de outro bom momento.

Depois retorne ao centro antigo através da rua da Catedral de Pula e contemple essa imponente torre.

Pula tem mais atrações  que não visitei. Algumas delas estavam limitadas devido a pandemia do Covid. No momento que visitei, no fim de julho de 2021, estava atribuída a cor amarela. O uso da máscara era solicitado para entrada em lojas e outros ambientes fechados.

Segue um curto filme que fiz…

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

His house, o filme

Um filme de terror psicológico que vai muito além dessa classificação. A história começa com um drama cada vez mais presente nas notícias, um casal que foge da guerra no Sudão do Sul, e arrisca-se numa travessia no mar. 

É este momento da travessia, que mudará a vida de um casal de refugiados. No entanto, o filme revela outras discussões como a discriminação entre iguais. 

His House (O Que Ficou Para Trás, em português) também nos faz refletir sobre a sensação de que quando nos sentimos deslocados de uma realidade, os fantasmas do passado aparecem, e a tendência é querer retornar de onde se saiu mesmo sabendo que a vida anterior não era segura nem de qualidade. Isso é algo que muitos imigrantes acabam por passar.

Uma dica para este fim de semana. Segue o trailer com áudio em inglês e legendas em português.

Até ao próximo post!

As múmias egípcias

“As múmias egípcias, na sua esmagadora maioria, tiveram uma eternidade curta. Muitas foram destruídas por salteadores de tumbas. Outras conheceram um destino ainda mais atroz. No século XVII, por exemplo, os europeus acreditavam nos poderes terapêuticos do pó das múmias. Criou-se assim uma lucrativa indústria. As múmias eram reduzidas a pó no Egito e enviadas para a Europa. Em breve, faltando exemplares autênticos, alguns comerciantes egípcios mais empreendedores trataram de mumificar cadáveres dos seus contemporâneos, reduzindo-os a pó, e enviando-os depois, em pacotinhos, para a Europa. Muitas dessas pessoas haviam morrido de doenças contagiosas, como a varíola, e assim o pó de múmia, longe de tratar o que quer que fosse, ajudou a propagar tais moléstias entre os europeus.”

(Um Estranho em Goa, José Eduardo Agualusa, pág.91, versão Epub)

Vale a pena rever o translado das múmias para o Museu Nacional da Civilização Egípcia…

Obrigada por sua leitura e até ao próximo post!