Clarice Lispector XLIX

A alegria mansa
“Em pleno dia era noite, e essa coisa que não quero ainda tentar definir é uma luz tranquila dentro de mim, e a ela chamariam de alegria, alegria mansa.”

Estado de graça 
“Há dias que são tão áridos e desérticos que eu daria anos de minha vida em troca de uns minutos de graça.”

Encarnação involuntária 
Quando Clarice via uma pessoa que nunca tinha visto, ficava algum tempo a observá-la, encarnava nela para conhecê-la. Compreendia-lhe os motivos e perdoava.
Ela prestava atenção para não encarnar numa vida perigosa e atraente, e assim, não querer retornar para si mesma.

Viagem de trem
Sua viagem memorável foi aos 11 anos de idade, uma viagem de trem de Recife a Maceió com seu pai.

Viajando por mar
Não gostava das viagens por mar. Ela adorava viajar de avião. 

Agradeço a sua leitura e até ao próximo post!

2 comentários sobre “Clarice Lispector XLIX

  1. Um dos contos dela que li há pouco tempo falava justamente do mar e da experiência do personagem a respeito do que se passou por lá. Acho interessante a relação dos autores com o mar. Cecília adorava. Clarice não. E um autor que publiquei recentemente tem paixão por água, seja mar ou rio, não por acaso o título do livro é Curso de rio, caminho do mar. rs

    Curtido por 1 pessoa

    • O mar, a lua, as estrelas,… são sempre fonte de inspirações para alguns autores. Realmente, o mar ou o rio podem marcar a história de alguns livros. Por exemplo, estou lendo um livro que há uma cena marcante sobre a travessia de um rio por emigrantes.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s