Tabule de lentilhas

O tabule (tabūlah/tabouleh/tabbouli) é uma salada do Médio Oriente, a palavra significa tempero. Há variações de sua confecção em alguns países, no entanto os fatores “ser saboroso” e “ser saudável” estará presente qualquer que seja a sua combinação.

IMG_20200112_185006180Encontrei essa combinação de tabule com lentilhas no site da kiwimilón. O resultado foi um prato rápido, simples, rico em sabor e saudável. E a presença do zátar (zaatar/za’atar), um condimento da mesma região do tabule proporcionou o toque final.


-Colocar uma xícara de lentilhas (preferência verde) para cozinhar em água já fervendo com sal por 20 min. Reservar até arrefecer. (Eu usei lentilhas em conserva)

-Colocar nas lentilhas arrefecidas: ½ xícara de cebola vermelha picada, 1 xícara de tomate picado, ½ xícara de salsa picada, 2 colheres de sopa de Zátar, sal, suco de meio limão amarelo, 3 colheres sopa de azeite. Misturar bem.

-Por cima espalhar um pouco de queijo feta esfarelado.

-E está pronto o tabule!

Até ao próximo post!

 

Berinjela grelhada com queijo e fiambre

IMG_20190822_190610401

Uma receita leve, saudável e rápida de executar. Ideal para uma quarta-feira de cinzas. 🙂

1.Cortar 2 berinjelas em fatias finas e grelhar dos 2 lados

2.Depois de grelhada passar sal e molho de tomate. Também colocar uma fatia de tomate e por cima fatia de queijo provolone (usei gouda).

  1. Enrolar as fatias e arrumá-las num refratário. Por cima passar molho de tomate e queijo parmesão ralado e folhinhas de basílico. Como eu não tinha usei orégano seco.

  2. Ir ao forno 185°C entre 15 a 25 min

Servi acompanhado de salada grega (tomate, pepino, cebola roxa, queijo feta, azeitonas pretas, especiaria para salada, limão e azeite).

Até ao próximo post! 😉

Feijoada de Lulas – Chef Sá Pessoa

lula

 

Hoje trago uma receita. Como fui uma admiradora do programa de tv português “Ingrediente Secreto”, do Chef Henrique Sá Pessoa, então trago uma de suas saborosas receitas. O Chef publicou livros com o mesmo título “Ingrediente Secreto”, e também há vídeos, página no Facebook, etc.

 

Ingredientes (4 porções, 529 Kcal):

800 gr de Lulas (utilizo as lulas já limpas e congeladas, apenas corto-as às rodelas)
600 gr de Feijão Branco (eu usei o feijão em lata que já vem cozido)
3 Cebolas pequenas
2 dentes de Alho picados
2 Folhas de Louro
1/2 Chouriço vermelho cortado em fatias finas
1 colher (sopa) de talos de Coentros (eu prefiro usar salsa)
1/2 copo de Vinho Branco
1 Lata grande de Tomate triturado
Sal q.b.
Azeite q.b.

 

Preparação

Coloque o feijão em água durante 24horas. Escorra e coza-o em água com uma cebola cortada em pedaços grandes e sal. Volte a escorrer o feijão e reserve.

Comece por refogar duas cebolas e dois dentes de alho picados numa boa quantidade de azeite. Junte duas folhas de louro, o chouriço cortado em fatias finas e os talos de coentros. Baixe o lume e deixe a cebola refogar durante quatro minutos.

Retire o interior, as partes mais rijas e a pele da lula. Corte as lulas às rodelas, junte-as ao refogado e tempere com sal.

Adicione meio copo de vinho branco e deixe evaporar rapidamente. Deite, por fim, uma lata grande de tomate triturado.

Junte o feijão ao guisado, baixe o lume e deixe o sabor apurar durante 45 minutos. No final, junte coentros.

Sirva a feijoada acompanhada de arroz branco.

 
Bom apetite !
Até ao próximo post! 😉

Cozinha Geek, o livro

livro

Cozinha Geek
Ciência real, ótimos truques e boa comida
Jeff Potter


Encontrei esse livro na Internet por acaso, em 2019. Gosto de culinária, e não foi com esforço que fui atraída pelo título do livro não muito comum e com muitas variantes da cozinha em sua capa.

O livro traz um pouco de química na culinária, dicas, truques, entrevistas, e claro, receitas. Um livro em que a parte inicial fez-me dar algumas gargalhadas. Um livro de culinária com todos esses “ingredientes” e divertido, talvez seja raro.

Imagino o McGyver (sim, aquele dos anos 80) na cozinha com esse livro. Por que? Bem, quem assistiu a série televisiva americana, perceberá que a ideia era reconhecer um objeto como capaz de servir para outras funções, assim também é vivida a culinária, indo além do ato de generosidade e da busca pelo saudável.

Já os cozinheiros são divididos em diferentes categorias: cozinheiro generoso, cozinheiro saudável, cozinheiro metódico, cozinheiro inovador, cozinheiro competitivo. Sinto que me encaixo bem no grupo dos generosos, bem como no dos metódicos.

Na culinária, segundo o livro, os cozinheiros têm a reputação de serem intuitivos, já os confeiteiros de precisos. O que seria comum a ambos é a percepção do processo interativo. E saberem que é preciso esperar que não dê certo na primeira tentativa, e seguir, repetindo e repetindo. Sendo que na confeitaria, as tolerâncias ao erro são mínimas.

O livro classifica a culinária tanto uma arte quanto uma ciência. E compara as receitas a simples anotações, como uma partitura ou um roteiro. Um chef sabe que as receitas “não são reproduções exatas do trabalho original; elas são lembretes de combinações, proporções e etapas.”

Muito antigamente, as receitas eram constituídas de poucas linhas. Hoje podemos encontrar toda a explicação para a execução de uma receita em vídeo, ao poder da mão. O que, em minha opinião, não houve mudança, é que no passado como no presente, o que é válido na preparação de uma refeição é a diversão do ato e aproveitar o momento, construindo a sua experiência na cozinha, e sempre com um toque de paixão.

Boa leitura e bom apetite!

Até ao próximo post! 😉

Hamburguer de Tofu

Aqui vai mais uma receita saudável, e supreendentemente rica em sabor.

IMG_20191204_183811529

  • 1 xícara de tofu firme drenado
  • ½ xícara de cenoura ralada bem fina
  • 3 colheres (sopa) de cebola picadinha
  • ½ xícara de farinha de rosca ou pão ralado
  • 4 colheres (sopa) de amido de milho
  • Sal e pimenta a gosto
  • Orégano
  • Óleo para fritar (usei azeite e manteiga)

Junte todos os ingredientes em uma tigela. Sove por 3 minutos, ou o suficiente para ligar os ingredientes da massa.

Prove a quantidade de sal e ajuste se for necessário. Divida a massa em 4 porções, faça uma bola com cada uma e achate-as, moldando os hambúrgueres. Acerte as bordas para que fique bem certinho. Aqueça o óleo em uma frigideira.

Assim que estiver bem quente, frite os hambúrgueres dos 2 lados para que fique bem dourados e crocantes. Escorra sobre papel absorvente. Sirva quente.

Dicas:
– Varie os sabores, substituindo a cenoura por pimentão, abobrinha, cogumelos, azeitonas.
– Você também pode variar os temperos

Para drenar o tofu, jogue fora a água da conserva que vem na embalagem. Coloque o tofu sobre um pano seco e limpo. Feche-o “dentro” do pano e, para tirar o máximo de água, aperte-o algumas vezes (fazendo assim com que a água escorra para fora do pano). Pronto! O tofu está drenado e pronto para ser servido.
Bom apetite e até ao próximo post !;)

 

Arroz chinês

Faz algum tempo que não escrevo neste espaço de receitas. Lembrei desta receita que faz imenso sucesso aqui em casa. Não tem uma aparência encantadora, mas garanto que é rica em sabor. E é assim que a chamamos em nossa casa: arroz chinês.

arroz.jpg

Ingredientes:
500g de camarões limpos
1 chávena de arroz agulha
150g de bacon em cubos
100g de ervilha
2 ovos mexidos
1 cebola cortada em rodelas
Molho de soja, pimenta preta e sal a gosto

Após descongelar os camarões deve-se cozinhá-los em água com pimenta. Neste momento, eu prefiro usar pimenta em grãos.

Cozinhar o arroz normalmente com a ervilha, à parte.

Alourar a cebola no wok, e depois colocar o bacon para fritar junto com a cebola.

Adicionar os camarões e os ovos mexidos.

Misturar bem para receber o arroz. Vem o arroz, e agora é o momento de envolver bem todos os ingredientes com molho de soja a gosto.

Bom apetite e até ao próximo post! 😉

 

Como água para chocolate, o livro

images.jpegOs sabores da Albânia inspiraram-me para a leitura de alguns livros de culinária. Um deles foi Como água para chocolate, de Laura Esquivel. Um livro repleto de interessantes receitas que abrem cada capítulo.

O livro tem 12 capítulos. Cada capítulo refere-se a um mês do ano. A vida da personagem Tita, a responsável pelas receitas, recheia cada capítulo. Ela, que graças a um parto incomum, apaixona-se profundamente pela cozinha, onde passou a maior parte da vida. 

É a neta de Tita que vai narrar a vida da avó e família. Uma família que tinha uma tradição passada por gerações: a filha mais nova deverá cuidar da mãe até o dia da morte desta. A filha mais nova não podia casar e ter filhos.

Tita não fazia distinção entre lágrimas de alegrias e de tristeza. Rir era uma forma de chorar. Inconformada, perguntava-se: Que tipo de pesquisa havia estabelecido que a filha mais nova, e não a mais velha, é mais apta a cuidar da mãe.

A mãe de Tita não lhe dava descanso, mesmo que uma tarefa feita por Tita estivesse impecável. Dizia a mãe: O preguiçoso e o mesquinho acabam por percorrer o mesmo caminho duas vezes. A sua mãe, Elena, começou a matar Tita, aos poucos, desde que era criança.

Cenas de costumes antigos aparecem no livro, como o lençol de seda branca da noite de núpcias, no qual bordavam um contorno delicado ao centro com uma abertura feita para revelar somente as partes essenciais da noiva e permitir a intimidade conjugal. Quando o ato estava consumado, o noivo saía do quarto antes que ela tirasse a coberta.

O título do livro é uma expressão que revela o frequente estado de Tita, que estava literalmente “como água para chocolate”: a ponto de transbordar com fervura. Como estava irritada!

Uma das irmãs de Tita, a Rosaura, protagoniza a luta pelo mesmo homem. Muitas vezes, elas estavam como água e azeite fervendo!

Uma das cenas de Tita preparando uma das receitas do livro, inspirou-me verdadeiramente. Desde já, lembrando que tenho especial admiração pela culinária mexicana. O México que é o palco deste romance. Fui atrás de todos os ingredientes e mãos à obra. O resultado foi o da imagem abaixo, que acompanhou um rico feijão coberto com queijo ralado, como estava indicado no livro.

IMG_20191006_143807797.jpg

Arroz com banana da terra

4 bananas da terra picadas e maduras
500g de arroz
100g de bacon em cubos
2 dentes de alho fatiados
1 cebola fatiada em meia lua
Cebolinha picadinha a gosto
Sal, azeite e pimenta

  • Frite o bacon lentamente até derreter bem a gordura.
  • Enquanto isso pique a banana em cubinhos
  • Junte a banana e doure em fogo alto até tostar
  • Retire o bacon e a banana, reserve
  • Doure a cebola e adicione o alho junte com metade da banana reservada.
  • Adicione o arroz fervente um pouco de azeite e misture bem.
  • Tampe a panela e descanse por 5 minutos
  • Sirva salpicando a cebolinha

Segui as dicas do vídeo abaixo: arroz com banana da terra chef Taico

Até ao próximo post !;)