Formas de voltar para casa, o livro

Mais um livro em minha vida. Mais uma vez, ler o chileno Alejandro Zambra foi uma confirmação do seu talento como escritor e de sua sensibilidade em nos levar sobre os caminhos tortuosos das relações humanas.

Formas de Voltar Para Casa começa sua história na noite do terremoto em 3 de Março de 1985 no Chile sob a ditadura de Pinochet. São as memórias de um menino na época com 9 anos. Um menino que tinha medo, mas também  lhe agradava o que estava acontecendo com barracas sendo montadas nos jardins dos vizinhos.

Alejandro Zambra escreve com um humor sutil, daqueles que nos faz sorrir como a pureza de uma criança. Pinochet para esse menino era um personalidade da televisão que interrompia a programação nas melhores partes com enfadonhos pronunciamentos. E para esse menino comunista era alguém que lia o jornal e recebia em silêncio a zombaria. Esse menino cresce, torna-se um adolescente, e depois um adulto escritor, em que “ler é cobrir a cara e escrever é mostrá-la.”

A leitura de um livro é sempre um momento de viver outras vidas, de viajar, de conhecer aspectos de outras culturas e tanto mais. Com este livro fiquei a saber que o escritor Alejandro Zambra foi eleito pela revista britânica Granta como um dos 22 melhores jovens escritores hispano-americanos. Esta mesma revista que foi criada por estudantes de Cambridge também existe com o mesmo nome e com publicação  simultânea em Portugal e no Brasil. Penso que vale a pena uma visita ao site desta revista: http://granta.tintadachina.pt/

Agradeço sua leitura, e até ao próximo post!

Parque Nacional Brijuni, Croácia

Brijuni, como é mais conhecido, é um conjunto de 14 ilhas, sendo a maior delas a Veliki Brijun que pode ser visitada e fica a cerca de 2 km da costa. Todos os dias parte um barco de passageiros. Há 3 hotéis na ilha.

Ao chegar à ilha pode aproveitar os seus encantos através  de um trenzinho com tradutor em inglês, alemão e espanhol, mas é preciso ver o horário que está disponível de acordo com o idioma. Também é possível conhecer a ilha de bicicleta ou a pé. Ao comprar o bilhete tem-se o direito a uma app com vários tours disponíveis.

A ilha é rica em informações arqueológicas do império romano e bizantino.

Na ilha há várias atrações como: Safari Parque, Museu de Tito, pegadas de dinossauros, ruínas romanas, castro bizantino, basílica de Santa Maria, campo de golf, etc. A ilha é mais conhecida como o retiro de férias de Tito que esteve no poder da antiga Iugoslávia  entre 1953 e 1980. O Safari Parque é formado por animais presenteados a Tito. Também foi dessa ilha que foram levadas pedras para construção de Veneza. As ruínas da Basílica de Santa Maria estão ainda em boas condições. No século XIII pertenceu aos Templários.

E, claro, durante o passeio é possível parar um pouco pra descansar em alguma bela praia da ilha.

O site oficial é: http://www.np-brijuni.hr/en/

O vídeo que fiz mostra um pouco mais de Brijuni, na Croácia.

Agradeço sua leitura, e até ao próximo post!

Caril de feijão frade


Eu gosto muito de feijão frade. Na Bélgica encontro-o apenas em lojas de produtos portugueses. Eu conhecia receitas de feijão frade em salada com atum e vinagrete, ou em cebolada, então fui à procura de alguma receita diferente de tudo que até então eu conhecia com feijão frade. Foi assim que cheguei a este caril de feijão frade.

Ingredientes (4 pessoas):
3 colheres de sopa de manteiga
1 cebola grande picada
2 dentes de alho finamente picados
1 colher de chá de gengibre em pó
1 tomate grande picado
1/2 colher de chá de açafrão-da-Índia
1 pitada de pimenta preta acabada de moer
1/2 colher de chá de sal
1 colher de pimentão em pó (páprica doce)
1 colher de chá de caril (curry)
175 ml de natas (creme de leite)
250 ml de caldo de legumes
250 g de feijão-frade seco, deixado de molho durante a noite (usei o feijão frade em lata)
1 colher de sopa de salsa fresca picada

Aquece-se a manteiga numa caçarola grande em lume médio. Junta-se a cebola, que vai alourar durante 5 minutos. Acrescenta-se o alho e o gengibre, que fritam durante 30 segundos.
Adiciona-se o tomate, que frita durante 2 minutos.
Junta-se o açafrão-da-Índia, pimenta preta, o sal, o pimentão e o caril, deixa-se fritar 30 segundos.
Adicionam-se então as natas, o caldo de legumes e o feijão frade. Reduz-se o lume e deixa-se apurar durante 5 minutos, mexendo de vez em quando.
Serve-se imediatamente com arroz basmati e pão nan.

Até ao próximo post!
P.S.: O blog também está no Instagram, YouTuBe, Facebook e Twitter.