Feijoada de gambas

Essa feijoada é saboreada em profundo silêncio aqui em casa. (Muitas gargalhadas) Sério, gente! Não há tempo para palavras, muito menos conversas. Parece que todo o corpo é tomado por este sabor, e leva-te para outro mundo. Eu já vi tantas diferentes receitas, que faço-a à minha moda, de acordo com as preferências de casa.

IMG_20190413_132801769_HDR

Ingredientes:

500 g feijão branco (há quem use o feijão manteiga)
400 g gamba(s) (camarão)
2 dentes alho
2 cebola(s)
50 g chouriço-de-carne
2 tomate(s) maduro(s)
3 c. sopa azeite
1 folha louro
copo (tipo licor) de vinho branco
q.b. sal
q.b. pimenta

1. Faça um refogado com dois dentes de alho, as cebolas, o chouriço, os tomates, (tudo picado), o azeite, e o louro. Regue depois com vinho e deixe cozinhar.

2. À parte, coza as gambas, escorra-as. As que compro são congeladas e limpas. E, cozo-as rapidamente para que não fiquem duras.

3. Entretanto, adicione as gambas ao refogado inicial.

4. Retifique os temperos e deixe cozinhar mais um pouco.

5. Separadamente, coza o feijão (já demolhado) em água temperada com sal e temperos. Depois de cozido, escorra o feijão e junte-o ao preparado. Mexa, rectifique os temperos e deixe cozinhar mais um pouco. Eu uso o feijão em lata, já preparado. Cada lata grande vem com cerca de 520g de feijão escorrido.

6. Sirva de imediato, e acompanhado com arroz.

Bom apetite e até ao próximo post! 😉

Anúncios

Baía dei Turchi

Instalados em Minervino di Lecce passamos à exploração do “salto da bota italiana”. Cercados de turistas da própria Itália (poucos turistas estrangeiros como nós), partimos para conhecer algumas de suas principais cidades e belas praias nos limites desta área italiana.

E, a primeira foi a “Spiaggia dei Turchi” ou “Baía dei Turchi” na costa Adriática. Como é nosso hábito, chegamos cedo, e podemos escolher entre muitas vagas de um dos estacionamentos que serve a praia com entrada paga. Optamos por deixar o carro à sombra e custou 5€ o dia.

IMG_20180725_083731078.jpg

A praia é muito popular durante o verão. É bom chegar cedo, se quiser uma acomodação que não esteja dentro dos limites de exploração de algum bar/restaurante. Uma praia isolada e encantadora, que para chegar até lá, atravessa-se a vegetação mediterrânea com seus pinheiros e arbustos, acompanhados pelo seu cheiro característico e pelo som hipnotizador das cigarras. Uma dessas cantoras da natureza veio dar o ar de sua graça em nosso guarda sol.

IMG_20180725_105350498.jpg

O mar é transparente que vai de azul brilhante à azul profundo, com a falésia recortada protegendo-o. Exploramos esta praia por duas ocasiões, pois há uma baía maior, e outra menor, caminhando-se um pouco mais, cerca de 500m, aproximadamente.

IMG_20180725_090755897.jpg

O nome desta praia parece ter origem na tradição que foi nesta baía, em 1480, que os turcos desembarcaram para fazer o cerco à Otranto. Sentada sobre a areia fina e clara, cercada por tagarelas italianos, fiquei a tentar imaginar a cena do desembarque. Por vezes, interrompida por simpáticos vendedores africanos, mas também por insistentes vendedores com traços do sudoeste da Ásia, o que me fez também pensar no dramático êxodo atual para o continente europeu.

IMG_20180725_090806596_HDR.jpg

Nas proximidades de toda a área da praia há resorts, fazendas de agroturismo, passeios à cavalo, mergulho, passeios à barco, atrações aquáticas como kitesurf, etc. Um cenário perfeito para agradar grupo de jovens ou famílias com crianças, e que ainda conta com a proximidade do lago Alimini, guardião de um ecossistema com várias espécies de flora e fauna.

IMG_20180725_092318144.jpg

Está aqui o filme que fiz sobre esta bela praia. Chamo a atenção ao caminho que se deve percorrer sobre os densos arbustos até, de repente, chegar ao encanto desta Baía dei Turchi. Vem comigo! 😉

Espero-te no próximo post com mais um passeio!!! 😉

Luxemburgo: um pouco mais

O Luxemburgo é um país que passa despercebido nas notícias, e apesar de estar a pouco mais de 4hs de Paris, a pouco mais de 2 horas e meia de Bruxelas, fica sempre para se visitar depois, em outra oportunidade.

A verdade é que é um país com uma história de resistência interessante, com paisagem relaxante, com belos monumentos, jardins bem cuidados, com uma apreciável culinária, e um país com muitas curiosidades a se conhecer. E passo a citar algumas:

ser o último grão ducado ainda existente, 37% da população é de origem estrangeira: 13% portugueses – sendo o português a terceira língua mais falada no país; 6,6% franceses, 4,3% italianos; 3,4% belgas e 2,2% alemães.  Tem a maior concentração de bancos da comunidade europeia, venceu 5 vezes o concurso Eurovisão, o atual primeiro ministro Xavier Bettel é casado com o arquiteto belga Destenay Gauthier, que está sempre presente nos eventos públicos como as cimeiras da União da Europeia, e assim, o Luxemburgo é também conhecido como um destino “gay friendly”.

Untitled.png
Gauthier posa para fotos com companheiras de outros chefes políticos em Cimeira de Bruxelas

Andar pelo Luxemburgo também é encontrar a arte e a cultura. Um pouco de arte encontrei na Praça Guilherme II sobre uma parede e na proteção à volta desta praça em reforma. Ah… e também fiz a minha “arte”! 😉 É algo que quando estou inspirada para palhaçadas, e contando com o empurrãozinho do “Vai mãe, vai!”, não deixo escapar a oportunidade de fazer diferente. Nada que os meus 50 anos não me deixe fazer. Afinal, “forever young” !

Untitled.jpg
Homenagem à  François Faber (1887-1915) ciclista que defendeu as cores do Luxemburgo, Praça Guilherme II
IMG_20180520_105338156.jpg
Vai mãe, vai! Série no Luxemburgo, Tapumes da obra na Praça Guilherme II
IMG_20180521_103526965_HDR.jpg
No último dia deixei a nossa prenda por tão boa acolhida, série vai mãe, vai! no Luxemburgo, cidade da justiça

Lembram que falei no primeiro post sobre o Luxemburgo que aproveitei para recriar fotos de 2010 com meus filhos. Pronto, aqui está uma delas. O mais novo passou o mais velho na altura e não foi fácil a recriação. 🙂 Tentamos.

Luxemburgo 7.JPG
Meus queridos em 2010
FB_IMG_1526750046018
Meus queridos em 2018

 

Até ao último post sobre o passeio pelo Grão-Ducado do Luxemburgo! 😉

 

Mais uma vez no Efteling, Holanda

O dia das mães é comemorado no Brasil e na Bélgica no 2º domingo de Maio.  Para mim, a comemoração foi na véspera com muita adrenalina no Parque Efteling, em Waalwijk – Holanda. Sendo assim, cumprimos o que havíamos planejado, mas que foi interrompido pela mudança do tempo.

Eu já falei deste parque que é o melhor da BENELUX há um ano atrás. E você poder rever o texto e fotos aqui.

Desta vez, fiz apenas um filme. Espero que gostem! 😉

Até ao próximo post! 😉

Baú Aberto 7

Não entendo

Quando vejo nos fóruns (brasileiros) da maior rede social alguma notícia sobre os LGTBQ, respiro fundo e vou ver os comentários. Não deveria fazê-lo, mas tenho esperanças… ou será que sou teimosa?!

Eu tento exercitar, todos os dias, 2 simples lemas: Vive e deixa viver! e Tratar os outros como gostaria que você próprio fosse tratado (a regra de ouro). O segundo é o mais difícil, vixe, haja paciência. 🙂

Eu só gostaria de entender o por quê de ser os homens os mais incomodados, estatisticamente falando, nos tais comentários.

Pergunto-me: Humm… será este mais um hipócrita, como Wes Goodman, um republicano, casado, evangélico, representante dos “valores familiares”, e, recentemente, descoberto em relações extra conjugais de prática homossexual, sendo ele assumidamente um pregador do ódio aos LGTBQ.

5a612d2f2200004b00b4f1d7.png

Eu penso: Se você tem a certeza que é heterossexual, o que te incomoda no teu semelhante não ser? Tanto quanto eu saiba o homossexualismo não é doença, muito menos algo contagioso. Medo de que a humanidade venha a ser extinta? Espera, vou dar uma grande gargalhada. Lolllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll

Não gosta? Então, procura tua sintonia na vida, e procura vivê-la, sem agredir.

Para os semelhantes ao sr. Wes Goodman, dedico uma música: Right Said Fred – Don`t Talk Just Kiss (1991)

 

Tot ziens! 😉