Eu não sou um homem fácil, o filme

Eu criei a categoria “filmes” faz tempo, e todo este tempo esteve parada porque a intenção era mostrar cidades belgas através de produções cinematográficas, ou, simplesmente, produções belgas. A tarefa não tem sido fácil! Simplesmente, porque não tenho conseguido encontrar algo mais que mereça como sugestão. Valendo lembrar que a motivação de fazer isto faz parte do meu processo de integração e aprendizagem das línguas deste país que vivo.

Eu resolvi mudar a ideia inicial da categoria, e ampliar as sugestões para qualquer filme que eu sinta que vale a pena sugerir aos amigos seguidores.

Um pouco antes de ir em férias. Eu recebi a notificação de novo vídeo de um canal que sigo: “os franceses tomam banho”. Original o nome, não? 😊 Trata-se de um canal com dicas da língua francesa que é super agradável de assistir e divertido. O canal do YouTube é produzido por uma francesa simpática que vive no Brasil. Então, no vídeo que recebi há dicas de filmes, de bandas, etc… E, porque eu também estou nos primeiros passos do estudo da língua francesa fui conferir uma das dicas, as dos filmes.

A dica é o filme “Je ne suis pas un homme facile”.  Tive sorte e encontrei-o na Netflix com o título em inglês “I am not an easy man”, mas ao executá-lo o áudio estava francês. A legenda foi em francês para forçar a minha cabecinha a aprender.

Gente, não há filme mais atual para a realidade dramática que se apresenta no Brasil. E não só, infelizmente! É a primeira produção da francesa Eleanor Pourriat, que conta com a perfeita atuação (minha opinião) de Vincent Elbaz (Damien) e Marie-Sophie Ferdane (Alexandra). E, sinceramente, achei a abordagem do tema sobre discriminação e desigualdade de gênero, através de uma comédia, simplesmente, genial.

Eu não vou contar o que se passa no filme, mas no início do filme é muito importante estar atento, para poder perceber as cenas que virão a seguir. Acontecerá algo no início do filme, que irá criar um mundo paralelo, na verdade, um mundo invertido. Os homens passarão a ter o papel que nós mulheres temos na sociedade, e nós mulheres passaremos a ter o papel dos homens. Faz tempo que não dou gargalhadas durante um filme, e até confusa fiquei sobre quem era quem, afinal. 😊 Eu assisti com meu filho mais velho de 15 anos, e rimos os dois juntos. 😊 Eu fiquei preocupada para não ter nenhuma cena mais… vocês sabem! 😉 Teve! (risos) Só que o filme estava tão bem concebido e divertido que não houve constrangimentos na sala. E, ele até ajudou-me a perceber algumas cenas, porque o papel foi tão bem trocado, que me atrapalhei. E, depois eu dizia: ah… é mesmo, tens razão! (risos) Que coisa, o meu filho já sabe mais do que o ensinei! Rsrsrs

Vamos deixar de conversas, e vamos ver o trailer (legenda em inglês), ok? E se conseguirem assistir ao filme, venham trocar ideias aqui, que eu ficarei feliz por debater o filme. Ahhh…o fim do filme é surpreendente!!!

 

Até o próximo post! 😉

 

Anúncios