À Procura da Felicidade (2007), o filme e o livro.

The Pursuit of Happyness (bra: À Procura da Felicidade; prt: Em Busca da Felicidade).
Esse filme emocionante foi visto por mim mais de uma vez. Daí, resolvi ler o livro cujo filme foi baseado. Afinal, há sempre uma boa probabilidade do livro ser ainda melhor que o filme. Desta vez, não senti essa regra. O filme é melhor do que o livro. No filme, o personagem principal e real, Chris Gardner, é interpretado por Will Smith, que faz você torcer muito pelo sucesso do personagem. Aliás, Gardner, durante as filmagens, encantou-se com a dignidade, humildade e talento do ator.

O filme é a história real de um jovem pai, sem emprego, com problemas financeiros, que chegou a viver em abrigos, estações de trem, aeroporto, etc., e com a responsabilidade de cuidar de um filho de tenra idade enquanto buscava uma melhor oportunidade de emprego na tentativa de um estágio numa corretora de valores.

“Compreendendo as frustrações que ela teve antes e depois de mim, pude ver que, embora muitos de seus sonhos tivessem sido destruídos, ao me desafiar a sonhar, ela estava se dando uma nova chance.” (Pág 25, versão epub, Chris Gardner refletia sobre a vida de sofrimento da mãe)

O livro tem 3 partes principais e retrata a vida problemática de Chris desde a infância sem pai. O filme retrata a vida já a partir da fase adulta, ou seja, a parte 3 do livro. Há algumas diferenças entre o livro e o filme. A principal delas é que no livro, o filho Christopher que foi deixado pela mãe aos cuidados do pai tem apenas dezenove meses, e muitas vezes leva-o consigo ao trabalho, chegando ambos a dormirem por baixo da mesa de trabalho. No filme, o pequeno Chris tem mais idade, e é representado pelo filho do ator Will Smith. 

No livro sobre a sua vida de luta, Chris Gardner deixa claro no início que algumas circunstâncias e conversas retratadas não são uma representação precisa do que viveu. Muitas vezes no livro, ele aborda a discriminação que sofreu,nos Estados Unidos dos anos 80, por ter a sua cor de pele escura como identidade. No filme, a discriminação não é abordada de forma tão direta nos diálogos, mas as cenas mostram como o sistema americano pode ser discriminatório.

Segue um trailer do filme …


Até ao próximo post!

O caminho para a felicidade suprema, o livro

Deepak Chopra mostra-nos 7 chaves ou 7 passos para alcançar a felicidade em nossa vida diária, e que também poderiam ser chamadas de chaves para a iluminação.


Primeira chave: Estar consciente do seu corpo.
Segunda chave: Encontre a verdadeira autoestima.
Terceira chave: Desintoxique sua vida.
Quarta chave: Desista de ter razão.
Quinta chave: Foque o presente.
Sexta chave: Veja o mundo em você.
Sétima chave: Viver para a iluminação.


Ele explica-nos muito mais neste livro. Orienta sobre a importância da empatia que é a capacidade de sentir o que o outro está sentindo. A resiliência emocional tão importante na atualidade, que é a capacidade de recuperação depois que algo ruim acontece. Conhecer o seu eu e ter consciência. A única cura para a infelicidade é a iluminação. O amor pode solucionar problemas.

Sua mensagem é importante diante de um mundo em que algumas pessoas para vivenciar a felicidade dependem da infelicidade de outros. Concluída a leitura de mais um livro de auto-ajuda neste ano que mudou as nossas vidas.

Até ao próximo post!

Baú Aberto 24 – Felicidade

Eu amo ser mãe. Eu vibro muito com cada conquista dos filhos.

Ainda quando eram bebés usei minha formação para que desenvolvessem o gosto pela matemática e xadrez. Cresceram, e outros gostos foram apresentados sem imposição, a literatura, a ciência e a filosofia.

Livros que utilizei

Foram à vários torneios de xadrez em Portugal, Espanha, Bélgica e até um no Brasil. Foram estimulados a participarem de Olimpíadas e a fazerem trabalho voluntário com estrangeiros como eles.

A cada ano conquistas surgiam, desafios eram vencidos. 

Este ano, em especial, várias vitórias  foram alcançadas pelo meu filho mais velho, que no primeiro dia de Outono fará 18 anos. Raphael que já participou aqui no blog com “guest post” (aqui) ou (aqui) foi 4° lugar na Olimpíada Nacional de Geografia da Bélgica, classificação que garantiu participação para a Olimpíada Internacional de Geografia na Turquia, mas que, infelizmente, não aconteceu devido a pandemia. Mesmo assim, participou na Europeia de Geografia, e classificou-se em 3° lugar empatado com outros.

Ontem, a minha alegria transbordou. Senti a felicidade em sua plenitude e gritei muito, saltei muito, dancei muito por ele e com ele.

Com seis anos a viver na Bélgica, o nosso luso-brasileiro Raphael foi aprovado para Medicina neste país, e com um bravo resultado. Acertou todas as questões de Matemática e Biologia, errou uma em física e outra em química. No conjunto de 3 outras disciplinas cujo objetivo é revelar aptidão para o estudo da Medicina, seu desempenho foi também quase perfeito.

Aqui na Bélgica apenas Medicina e Medicina Dentária realizam exames seletivos que duram uma manhã e tarde de um dia.

Aos 10 anos, e durante uma avaliação de língua portuguesa no 5° ano, em Portugal, ele escreveu o sonho que começou a se tornar realidade no dia 4 de Setembro de 2020.

 

O sonho de ser médico

A minha fada-madrinha
parece-se mesmo com uma rainha
tem um ar calmo
e mede quase um palmo
cabelos cor de erva
e seu nome é Nerva.
Um dia fui passear
encontrei-a a cantar
perguntei: “Como faço para ser cardio-cirurgião?”
Ela respondeu: “Tens de estudar nas férias de verão.”
Escreveu várias listas
que eram as minhas pistas:
“Tens muito que estudar 
para o desejo se concretizar 
não penses no dinheiro que vais ganhar
mas sim nas famílias alegrar 
vais continuar 
sempre a te esforçar 
doenças para curar
e soluções para as doenças inventar
não penses na fama
que arde como uma chama.
Agora é só estudar
para um belo futuro encontrar.

Raphael, Portugal 2012

Até ao próximo post!

Clarice Lispector VII

download.jpegO primeiro livro de cada uma de minhas vidas 

Clarice dizia que não havia o livro de sua vida, mas sim “o livro de cada uma de suas vidas”.

O livro de suas vidas foram:

  • A história do patinho feio e da lâmpada de Aladim.
  • Reinações de Narizinho
  • O lobo da estepe
  • Aos 15 anos, um livro que Clarice dizia que era ela: Felicidade, da escritora Katherine Mansfield.

Até ao próximo post!;)