Dentro do segredo, o livro

Estava curiosa por ler algum livro do português José Luís Peixoto, e a impressão foi positiva. Ele conseguiu transformar uma viagem à fechada Coreia do Norte, que é repleta de limitações para um visitante, em um livro que você deseja pacientemente percorrer e saber sua conclusão final.

A ideia inicial do escritor era estar num local onde as pessoas não tivessem a sua aparência. Para ele, é um país que estimula a imaginação por ser um país que esconde muita coisa. Através do livro conhecemos também alguns detalhes do sofrimento que foi a ocupação colonial japonesa. Sendo este o único aspecto que tanto os coreanos do Norte e do Sul estão de acordo.

Segundo o escritor, as palavras de Confúcio explicavam tudo sobre a Coreia do Norte: “Ouço e esqueço. Vejo e lembro. Faço e compreendo.” 

E ele explica mais: “A Coreia do Norte é uma ditadura severa, provavelmente a mais severa do mundo, mas não é comunista. A Coreia do Norte é o último reduto de alguma coisa, muito provavelmente também é o primeiro e único reduto dessa mesma coisa, mas não é estalinista.”

Se viajar é interpretar, então José Luís Peixoto dá sua honesta visão e opinião sobre o que viu e viveu, que pode ser diferente de outra pessoa, e isso é especialmente verdadeiro em se tratando da Coreia do Norte.

Até ao próximo post!