Baú Aberto 10

A música piolho…

Quem já não teve uma música piolho na vida ? 🙂 Eu já tive algumas na vida, só não esperava ter mais uma justo na virada do ano em Londres.

Possivelmente, já tinha ouvido aquela música enquanto conduzia, ou dentro de uma loja. Não sei. Só sei que o raio da música surgiu na animação do DJ, estava eu com as atenções para o London Eye. Fui logo tentar saber quem cantava, mas eu estava sem rede. Fui todo o caminho de volta a pensar na música. Era uma voz feminina e uma voz masculina. E, eu ouvia muitas vezes repetir a palavra “running”.

Busquei com a palavra “running“. Imaginem! Cheguei no apartamento que estávamos hospedados e fui logo à procura na Internet. Quando vi e ouvi… Eu disse um longo: Nãaoooooooo, não pode ser! Loollll Meus filhos ficaram curiosos. 😊  Eu não gosto de Beyoncé, nem de nada no género. Loollll

Bem, tenho de reconhecer que ela canta muito bem e que não devemos ser tão lineares, pelo menos quanto à música. A música tem uma bela letra, que combina bem com o ambiente que eu estava quando a ouvi, e talvez tenha sido isso que fez com que ela entrasse em minha cabeça como um piolho.

Vamos ouvi-la ?

Essas quatro paredes solitárias mudaram a forma como eu me sinto
A forma como eu me sinto, ainda estou aqui parada
E nada mais importa agora, você não está aqui
Então, onde está você? Eu tenho chamado ‘você, estou com saudades’ de você
Aonde mais eu posso ir? Aonde mais eu posso ir?
Perseguindo você, perseguindo você
As memorias viraram cinzas, por favor não nos enterre
Eu tenho você, eu tenho você
Correndo, correndo, correndo, correndo,
Correndo, correndo, correndo
Não vou mais correr de mim mesma
Juntos vamos vencer tudo
Não estou mais correndo, correndo, correndo
Correndo, correndo, correndo
Não vou mais correr de mim mesma
Estou pronto pra enfrentar tudo
Se eu me perder, perco tudo

Tot ziens! 😉

Na festa da virada 2018, em Londres

Este foi o objetivo da viagem de 5 dias à Londres, passar uma virada de ano diferente, divertida e em grande.

IMG_20171231_220121854

Como eu disse no post anterior sobre a viagem à Londres, estivemos no período da tarde a visitar o London Eye, em seguida jantamos, e fomos para a nossa hospedagem. Lá descansamos, brindamos, e nos preparamos para rever o London Eye, mas do outro lado do rio Tamisa, e com bilhetes para a festa.

Ruas interditadas para os transportes. A rua era do povo, dos voluntários e dos policiais (à pé, à cavalo ou em automóvel).  Muitas ambulâncias estacionadas. O céu era dos helicópteros. Segurança máxima para a festa. Tudo muito organizado, policiais e voluntários muito educados, dispostos a ajudar sobre dúvidas de deslocamento. Enfim, primeiro mundo.

Enfrentamos uma fila gigantesca, apesar de chegarmos cedo, mas a fila andava regularmente. Pessoas dos mais diferentes rostos e vestimentas passavam por nós. Sim, o mundo estava ali!

Ao aproximarmos de sermos revistados e recebermos um bracelete em papel fluorescente, é que houve alguma aglomeração, mas tranquila. Apenas uma família de 3 pessoas tentou furar a fila. A filha adolescente estava com muita vergonha da atitude dos pais e disse que não os conhecia. Kkkkkkk E, conseguiram apesar da reclamação de alguns! Não sei a nacionalidade, mas falavam em francês.

Passada a revista ao corpo e bolsa, seguimos andando ainda centenas de metros até ficar de frente para o London Eye, na zona azul. A festa era animada por um dj, que quando revelava o tempo que restava para a festa, então acontecia uma pequena festa de gritos. Gente, eu não sentia os meus pés e pernas. Não quis saber, troquei umas poucas palavras com jovens asiáticos que estavam à nossa frente e fiz menção que eu ia sentar no chão para não caírem sobre mim. Levantei-me do chão faltando uma hora para a festa, pois ia chegando cada vez mais gente. Além de muita música, havia venda de muita comida e bebida. E, havia sobretudo muita festa do povo. Não se podia levar bebida em garrafa de vidro. Foi fantástico ouvir as músicas de tantos ídolos britânicos em sua própria terra. Parece que o inglês soa diferente, com mais charme.

A queima de fogos foi incrível! Linda e emocionante. Cerca de 15 min de beleza e magia. Acho que foi a queima de fogos mais linda de Londres. Era importante mostrar a união e a força desta cidade multicultural, num ano com tristes recordações.

No fim da festa, muita gente ainda ficou a dançar e a brindar 2018. Passamos por um elegante prédio e jovens vieram à janela mascarados brincar com o povo que passava. Centenas de metros à frente, um casal de jovens oferecia abraços gratuitos. Fantástico! Adoro esse clima! E, por falar em clima, não choveu! Tudo perfeito, menos os meus pés e pernas. 😊  Tivemos que esperar cerca de trinta minutos para perceber qual o transporte que estava disponível para o retorno. Até que avistamos voluntários e policiais que determinaram a direção. Uma multidão nas ruas, mas todo o movimento estava organizado, que até parecia ensaiado. Polícias com megafones indicavam a direção, pediam atenção a obstáculos no chão, aliás alguns dos policiais estavam mesmo posicionados nos obstáculos e gritavam, chamando atenção. Finalmente, chegamos na estação de metro. A passagem foi gratuita para todos na volta. Quando descemos na estação de destino, vi um casal em piores condições de caminhar do que nós. Kkkkk

Bem, vamos às imagens da festa, aos filmes da festa, mas também deixo um filme do Chaves mostrando como eu fiquei dos pés e mais ainda como ficou o casal que avistei na estação. 😊

placar
15hs da tarde e o aviso na rua
IMG_20171231_194913434.jpg
Vista do London Eye a partir da fila
IMG_20171231_202121455.jpg
Atrás do monumento a revista policial

IMG_20171231_211117631.jpg

IMG_20171231_214532617.jpg

IMG_20171231_220658845.jpg

 

IMG_20171231_230103672.jpg

IMG_20171231_225851839

IMG_20171231_231553446.jpg

IMG_20180101_000005233.jpg

IMG_20180101_000031115

IMG_20180101_001718423.jpg
Fim da queima de fogos

A festa antes do início da queima de fogos:

 

A grande festa:

 

O fim da festa:

 

Como eu fiquei no fim da festa:

 

Tot ziens! 😉  Lollllll

 

De olho no London Eye

Nós compramos os ingressos com antecedência na Internet. Eles eram conjugados Madame Tussauds + London Eye. Há outras atrações que você pode incorporar. Aqui na Bélgica também a possibilidade de visitar atrações em bilhetes conjugados, o que torna as visitas mais baratas. A outra vantagem de se comprar os ingressos pela Internet é poder ficar na fila rápida de entrada, no caso em Londres.

Resolvemos ir até ao London Eye à pé, aproveitando a paisagem do rio Tamisa, e sempre a procura de avistar o olho mais famoso do mundo. Pela vista ao longo do passeio, valeu imenso, mas ficamos bastante cansados dos pés e pernas. Afinal, a nossa visita foi no dia 31 de Dezembro de 2017. E, teríamos que estar de volta para a grande festa da virada de ano. Neste dia, o London Eye encerraria as visitas às 15hs. Aceleramos os passos já cansados, afinal estamos na terra da pontualidade.

Chegamos com folga de tempo. Tivemos que antes validar os ingressos no centro de informações, que não havia fila. E, ainda bem que compramos os bilhetes pela Internet, pois a fila lenta estava enorme, mesmo assim nada comparável com a fila no Madame Tussauds. Bem, seguimos para a fila rápida, e não demorou para entrarmos num dos 32 potes que dão a possibilidade a uma magnifica vista sob Londres. Bem próximo de entrar, ainda somos convidados para tirar uma foto que ao final do passeio temos a escolha de comprá-la ou não. O London Eye movimenta-se muito lentamente, de forma que dá para fazer imensas poses fotográficas, e apreciar calmamente toda a arquitetura da cidade. Muitos prédios que foram cenário de filmes como 007. Dentro de cada pote do London Eye há alguns monitores indicando os prédios e monumentos que podemos apreciar, em inglês, francês e espanhol (se não estou em falha de memória). E, também há bancos para sentar.

À saída há uma pequena loja de souvenirs, mas preferimos visitar a loja que está do outro lado desta loja da saída. Apesar desta loja estar dentro do complexo do London Eye não é mais cara do que outras que você passa até chegar ao London Eye. Fizemos as nossas comprinhas e seguimos para o último jantar do ano num restaurante português que falarei em outro post, em breve. No caminho de volta para a hospedagem encontramos um placar eletrônico a dizer que já não haviam ingressos para a queima de fogos, mas nós tínhamos os nossos. 🙂 Descansamos, fizemos o nosso brinde de fim de ano e saímos para a festa da virada do ano com vistas para o London Eye, que estivemos poucas horas antes dentro dele.

Fiquem abaixo com as fotos que tirei das vistas dentro do London Eye. E, mais uma vez, tivemos sorte com o tempo.

IMG_20171231_125302377_HDR

IMG_20171231_132106028_HDR

IMG_20171231_132610752_HDR.jpg

IMG_20171231_132616945_HDR.jpg

IMG_20171231_132509342
Do lado esquerdo, o prédio do 007

IMG_20171231_132521927.jpg

IMG_20171231_133059066.jpg

IMG_20171231_133458777.jpg

IMG_20171231_133616455.jpg

IMG_20171231_134106272.jpg

IMG_20171231_134808366

 

Tot ziens! 😉