Morte e Vida Severina, o desenho animado

Sou do tempo que esta obra de João Cabral de Melo Neto era leitura obrigatória na escola. Não sei se ainda é assim. Lembro que o li rapidamente, quase cantando no mesmo ritmo do sotaque da obra.

João Cabral de Melo Neto, o poeta e diplomata, já faleceu. Especulou-se que poderia ser candidato ao Nobel de Literatura no ano de sua morte, 1999. Mia Couto, que dispensa apresentações, chega a dizer que foi o maior poeta de língua portuguesa. Sua obra mais conhecida foi transformada em desenho animado a preto e branco, Morte e Vida Severina (1956), é o auto de natal pernambucano. Fala sobre a vida do retirante nordestino Severino, que deixa o sertão em direção ao litoral, para a capital Recife, em busca de melhores condições de sobrevivência.

Relembrar esta obra, agora em desenho animado, é sempre muito emocionante. Torotama, rio Capibaribe, rio Beberibe, os manguezais, cemitério de Casa Amarela, cemitério de Santo Amaro e o nome Severina (nome de minha avó materna) são os nomes de minha infância. Viva o povo nordestino!

Até ao próximo post! 😉