Beasts of no nation, o filme

Como é fim de semana, vai uma dica…

Este filme da Netflix é baseado no romance do escritor norte americano, descendente de nigerianos, Uzodinma Iweala.

Os primeiros minutos mostram crianças brincando em momentos de genuínas brincadeiras. É possível dar boas gargalhadas com suas brincadeiras. De repente, a vida do pequeno Agu (personagem principal) muda com a chegada da guerra ao seu vilarejo. Crianças são transformadas em soldados, e perdem a inocência, perdem a infância. Mesmo assim, é possível ver companheirismo entre eles.

O cenário é a Nigéria, mas as cenas bem poderiam ser no Afeganistão, Síria, Iraque, República Centro-Africana, Congo, Sudão do Sul, e tantos mais.

Eu não vou muito mais falar sobre o filme, mas advirto que há muitas cenas de violência. Você também pode encontrar o filme completo no YouTube.

Se eu contar tudo para você, você achará que eu sou um tipo de besta ou demônio. E eu sou tudo isso. Mas eu já tive uma mãe, e um pai, e uma irmã e um irmão. E eles me amaram. Um tempo atrás.” Agu

Vamos ver o trailer deste filme que é vencedor de vários prêmios de cinema…

 

Até ao próximo post! 😉

Arsenal em Bruxelas

Semana passada estive no show do Arsenal na casa de espetáculo Ancienne Belgique, no centro de Bruxelas. Uma noite de chuva fina, frio e com centenas de pessoas da Catalunã (Espanha) a protestar em Bruxelas, formaram uma combinação perfeita para quilómetros de congestionamento. Já estávamos quase a perder as esperanças, mas chegamos mesmo a tempo de beber uma Duvel e entrar para o espetáculo final de uma banda africana. Ufa!

Ainda tivemos sorte e ficamos bem a frente junto a uma caixa de som com quase 3m de altura. Quando a banda belga Arsenal entrou, com um atraso de cerca de 20 min, logo o ambiente tornou-se lotado e com muita vibração para ouvir o novo ‘single’ Amplify.

E, finalmente, conheci a banda que apresentei em um post do passado aqui no blog. Eram 10 pessoas no palco, que junto com a produção de imagens e luzes encheram pela positiva o palco.

Acho que ainda movida pela Duvel, julguei que uma das cantoras do Arsenal, a Leonie Gysel, fosse brasileira, então chamei-a fazendo sinal para vir para o lado do palco que eu estava, ela veio pouco tempo depois e gritei: Brasil! Brasil! Bem, gente, será que só brasileiro para fazer estas cenas ? (muitos risos) O que importa é que ela fez ar de surpreendida e acenou positivamente, e o povo ao meu redor também achou piada; e até uma pessoa veio falar comigo no fim do show e disse… Uau do Brasil! (em holandês). E, o Miau saiu de mansinho. Rsrsrsrsrs

Os produtores Hendrik Willemyns e John Roan do Arsenal lançam uma fórmula de electrónica e pop que produz uma lista de muitos sucessos, que não é possível apresenta-los todos numa noite de show, mas foi possível ouvir ‘Mr. Doorman ‘,’ Lotuk ‘,’ Estupendo ‘,’ Saudade Pt.2’ e outras músicas mais recentes como ‘Melvin ‘e’ Black Mountain (Beautiful Love) ‘.

Eles que já experimentaram com o som brasileiro, abriram o concerto com Amplify que inaugura o “Le nouveau Arsenal” que é fruto da viagem à Nigéria.

Vamos ver como foi esta noite do Arsenal em fotos e vídeos? Então, você vem comigo…

IMG_20171207_205333572
IMG_20171207_205905696
IMG_20171207_210616560.jpg
IMG_20171207_210629034

IMG_20171207_212002961.jpg

IMG_20171207_212024118.jpg

IMG_20171207_213429843

IMG_20171207_221734776

IMG_20171207_221739144

 

 

 

 

 

 

 

Tot ziens! 🙂