Uma tarde a pedalar entre a natureza na Holanda

Dos países que a Bélgica faz fronteira, o que mais gostamos de ir é a Holanda. E já alguns passeios mostrei aqui no blog. No fim da primavera passada foi a vez de mais uma visita àS terras holandesas. Aproveitamos um fim de semana livre e dividimos um dia para estar com a natureza e o outro para uma dose de adrenalina. Entre os dois dias passamos a noite na cidade de Rosmalen (Holanda).
Então, saímos a meio da manhã da Bélgica e chegamos às horas de almoço ao De Rustende Jager. Estavámos no ambiente ideal para um pic-nic, e foi o que fizemos.
Em seguida, fomos à secretaria do De Rustende Jager e alugamos 4 bicicletas por 10€ cada, para toda a tarde. Este é o tipo de divertimento que eu mais gosto, pois adoro estar em contato com a natureza e pedalar.
O Parque Nacional de Loonse e Drunense Duinen (Nationaal Park De Loonse en Drunense Duinen, em holandês) tem cerca de 35 km2, e desde 2002 preserva uma floresta de coníferas, dunas, pântanos e turfas, na região de Tilburg.
O parque conta com estacionamentos, estabelecimentos de restauração, alojamentos, recreação, possibilidade de aluguel de cavalos e charretes, e moto, além das citadas bicicletas. Ao fazer o aluguel recebemos um pequeno mapa com as possíveis trilhas a percorrer de acordo com a forma que deseja conhecê-lo, ou seja, se a pé (pode levar cão), bicicleta, mountain bike, cavalo, bem como é possível solicitar excursão.
Além de poder apreciar e desfrutar de toda a natureza à volta das trilhas, ficamos a conhecer uma área que era utilizada para treinamento militar, também passamos por um antigo campo de concentração durante a Segunda Guerra Mundial (Camp Vucht), bem conservado e transformado em museu, bem como terrenos de lavoura e pecuária. O parque é bastante utilizado por todas as faixas etárias. Eu adorei este passeio. O Miau do Leão estava em seu habitat. 🙂 E, vamos conhecê-los em fotos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
P5250276.JPG
P5250277.JPG

P5250278.JPG
Os famosos canais holandeses

 

P5250279.JPG
Um ex-campo de concentração (Camp Vucht) ainda com parte do trilho conservado

 

IMG_20170525_181140912.jpg
Um placar sobre o campo de concentração

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
As não menos famosas, vacas holandesas

Tot ziens!;)

 

 

 

 

Viajar é Arte de Viver

Guest Post : Viajar é Arte de Viver

Fiquei muito feliz em ser convidada pela Isadora. O blog Vai Sem Medo é uma inspiração para mim e um post seu sobre o livro A Arte de Viajar, do Alain de Botton mudou o meu olhar quando viajo.

Eu não viajo sozinha. Viajo com a minha família. E, apesar de algumas vezes discordarmos, de alguns conflitos entre as crianças, eu adoro estar com eles em viagens.

Mais o meu sentido de viajar mudou muito depois do livro. Eu escrevi um post sobre esta mudança em meu blog, O Miau do Leão. Resumindo, até cada pequeno passeio que faço, mesmo a pé ou com minha bicicleta, tornou-se uma viagem, um estado de viver. Eu sinto-me mais, eu observo mais, eu encaro mais, eu penso mais sobre quase tudo que está à volta.

Viajar em família requer uma preparação cuidadosa. Desde ver com muita antecedência se os passaportes estão válidos, ter atenção a uma apropriada hospedagem e estudar meios de locomoção no destino, bem como uma lista individual que mantenho atualizada com solicitações para cada tipo de destino.

A maior viagem da vida que fiz foi mesmo ter deixado o Brasil e construir família em Portugal. Depois de 14 anos a viver em Portugal, onde apesar de ser a mesma língua, não é fácil viver sendo brasileira, partimos para a grande aventura que tem sido viver na Bélgica flamenga. Agora já não estou só, somos, sobretudo, quatro grandes amigos nas viagens da vida. Aqui sinto que não sou “a brasileira”. Eu passei a ser apenas eu.

Quando viajamos sempre nos surpreende as referências que encontramos sobre o Brasil em outros países. De onde será que vem essa simpatia dos estrangeiros pelo nosso país? Foi surpreendente em Curaçao quando o senhor holandês, dono do restaurante, começou a falar comigo um pouco em português. Foi surpreendente quando em Skiathos ao ir a um bar deparo-me com uma grande bandeira do Brasil. Pensava ser ele brasileiro, mas era um grego apaixonado pelo Brasil, que nunca lá tinha ido.

Mais outra coisa que nos deixa feliz é de repente ouvir alguém falando em português. Ouvir o português, seja qual for a sua pronúncia, dá um sentimento de alívio, de estar em casa. É também, neste momento, que me dou conta do quanto é bela a minha língua materna.

Além dos meus 3 queridos companheiros de viagem, sempre levo um outro querido companheiro, um bom livro. E assim, posso aproveitar e fazer uma viagem dentro de outra viagem. E posso também viajar a países que talvez eu nunca poderei estar por barreiras que a nossa sociedade criou.

Já conheci muitos países. A minha melhor dica é que não esqueçam de viver. Viver cada detalhe, cada paisagem, cada sabor… Abra os braços, respire fundo e diga: Eu estou aqui, vida.
miau

Sobre a Silvana: Sou O Miau, mas meu nome verdadeiro é Silvana. Tenho dupla nacionalidade, brasileira e portuguesa. Vivo desde Agosto de 2014 com minha família na Bélgica. Tem sido uma grande aventura ! Minha formação académica é na área dos números, mas adoro tentar dominar as letras desafiantes. Já escrevi um livro sobre um tema em história da matemática e tenho um blog, O Miau do Leão, onde tento transmitir um pouco do que sinto desde que chegamos a este país, seja sobre viagens, livros, música,… Um novo capítulo em minha vida. Vem comigo!

Tot ziens! 😉