108 contos e parábolas orientais, o livro

downloadÀs vezes, tenho momentos “zen”. No último dia de 2019 terminei de ler esse livro (108 contos e parábolas orientais, Monja Coen), que conta histórias verdadeiras vivenciadas por praticantes e monásticos na Índia, China e Japão, começa por dizer a sua introdução. Algumas são chamadas de “koan”, que significa proclamação pública.

Aprendi com o livro que os koans tem o objetivo de “libertar o ser das suas próprias amarras, ou seja, o rompimento entre as ideias da realidade e a própria realidade”.

O primeiro que li foi o “MU“. É considerado o primeiro koan, também conhecido como primeira barreira. Seu objetivo é ir além do pensar, tornar-se verdadeiro, indo além de si mesmo. Mostra o questionamento de um jovem monge sobre a natureza divina. O “MU” significa “não”, mas muito maior que uma negação. O oposto é “YU“. E vai muito mais além do significado da palavra, porque a mente humana é limitada para compreender o ilimitado. Aprecie a sua vida! Pois o “grande caminho” está manifesto nas atividades simples da vida diária. Esteja presente e atento às atividades do momento. Reconheça as suas necessidades verdadeiras. E compreender a não permanência, vivendo dignamente, e no momento da morte não haverá medos nem arrependimentos.

Há alguns anos atrás, refleti, olhei à volta, descobri, aceitei o simples e suficiente para viver: Procure seguir as três regras de ouro…

Nunca fazer o mal.
Sempre fazer o bem.
Sempre fazer o bem a todos os seres.

Até ao próximo post! 😉