Comer na Sardenha

Depois de um período ausente do blog, retorno continuando a falar da experiência de conhecer o Sul da Sardenha.

Quando se fala em passeio, viagem… sempre há a experiência gastronómica local, ainda mais quando o destino é  qualquer parte da Itália. É difícil não gostar da riqueza de sabores que a Itália nos oferece. E, no Sul da Sardenha não poderia ser diferente, que além de saborosas pizzas, apresenta-nos uma variedade de possibilidades com frutos do mar, e até mesmo carne de cabra.

E, por falar em pizzas… a experiência com as pizzarias foi no seu total muito agradável, mas alerto para alguns cuidados a se ter. Bem, notei que poucos funcionários dominam a língua inglesa, e tentar falar em língua portuguesa torna-se a comunicação ainda mais difícil na hora de se pedir detalhes sobre o prato. No entanto, a língua italiana não é difícil de entender. Só arrisquei um pouco do italiano que ouvimos nas telenovelas. 🙂

Mais o que tenho a vos dizer, e não esqueçam desta dica, é que quando forem a um restaurante no Sul da Sardenha não peçam uma pizza grande, porque ela não é grande. É gigante!!!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Esta não é a grande, então imagina a grande!
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
O Calzone também não fica atrás no seu tamanho

Em todos os restaurantes paga-se o Coperto, que custa 2,50€ por pessoa, na maioria deles. Então, ao deixarem um cestinho com pães, por exemplo, coma-os, pois comendo ou não, será cobrado o famoso Coperto. E há restaurante que nem cesto deixa sobre a mesa. Os preços das pizzas variam entre 7,50€ a 12€.

Algo muito comum nos restaurantes, não só na Sardenha, mas também na Itália Continental, é a existência do 1º prato e 2º prato. Não é obrigatória a escolha dos dois pratos, mas seguir este ritual é algo que faz parte da cultura italiana, caso a sua escolha não seja comer pizza. Seguem-se algumas fotos que vai dar água na boca. Preparem-se! 🙂

massa
Um famoso prato da gastronomia sarda, a massa com mexilhões
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Um lindo e delicioso peixe sardo

Quanto aos “gelatos” no que diz respeito ao sabor não me causou nenhuma experiência inesquecível, diria mesmo que os belgas não ficam atrás na sua produção com qualidade. As gelatarias da Sardenha são todas de produção artesanal com grande diversidade de sabores e escolhas quanto ao tipo de casquinho (cone). Um cone simples de 1 bola custa em média 1,50€. Encontramos em uma das gelatarias de Pula, um gelato especial para cães.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Ótimas escolhas para indecisos 🙂
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Itália, um monumento de artistas! Interior de uma gelataria em Pula

Outros sabores foram agradáveis descobertas, como o queijo pecorino, os doces típicos, os torrones, as bolachas feitas salgadas de sêmola (pistoccu ricetta originaria di Arzana. A saborosa cerveja Ichnusa, um orgulho da terra, apesar de ter qualquer coisa de alemã. O único sabor típico que não me encantou foi o licor de mirto, apesar de gostar muito de licores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pistoccu
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Queijo Pecorino
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Típicos doces sardos
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Torrones Sardos
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Orgulho sardo, a sua saborosa cerveja Ichnusa
garrafa
Licor de Mirto

Para fazer um post dedicado apenas a vivência gastronómica nesta ilha italiana, já deu para perceber que sou mesmo fã dos sabores italianos, mas ainda não foi desta vez que irei dizer que comi o melhor da gastronomia italiana em terras italianas. Os pratos italianos inesquecíveis que provei foram até agora fora da Itália, mas confecionados por italianos.

Tot ziens! 😉

Pula, Sardenha

Como já disse em post anterior ao visitar a Sardenha ficamos alojados na comunidade de Chia que abriga todos os serviços mínimos para uma permanência turística ou mesmo residencial. No entanto, se desejar mais diversidade de escolhas para compras e restauração, então deve ir em direção à comunidade de Pula, que fica a não mais de 15min (carro) de Chia.

O seu centro lembra algumas pequenas cidades da costa brasileira como Pipa, no Rio Grande do Norte. As noites de verão são animadas sempre com alguma atração em sua praça central que é cercada de restaurantes/pizzarias e gelatarias, nas proximidades.

Anda-se tranquilamente pelas ruas desta pequena cidade. Para estacionar é que é necessário paciência, mas sempre encontra-se algum lugar vago e gratuito à volta da rua principal.

Fiquem com as imagens desta simpática cidade do Sul da Sardenha e aguardem, em breve, saber mais sobre a Sardenha.

Tot ziens ! 🙂

Praia de Chia, Sardenha

Praia de Schia – Spiaggia di Chia

Há quem diga que as praias de uma localidade são todas basicamente iguais. Eu não senti isso na Sardenha. E, tentarei vos passar as minhas observações e dicas sobre as praias que conheci no Sul da Sardenha.

A Praia de Chia, ou na bela língua italiana, Spiaggia di Chia, é uma praia familiar. O que quero dizer ao defini-la desta forma é que no dia em que a visitei estava frequentada, maioritariamente, por famílias.

Sua areia limpa com mar de água cristalina e morna, convida-nos a passar todo o dia. Há uma boa estrutura de serviços nesta praia: restaurante, wc, estacionamento e aluguel de equipamentos náuticos.

Para conhecer a Sardenha é importante alugar carro e estacioná-lo em locais pré-determinados para tal. Você pagará 5€, mas ficará sossegado quanto a receber uma multa. E multam mesmo!

Ao contrário das praias brasileiras e até mesmo portuguesas, nas praias da Sardenha o único “petisco” a circular foi a Granita (Siciliana) que custava 2,50€, e havia nos sabores: coco, menta, coco e menta, morango, frutos do bosque, pêssego, limão, cereja e laranja. E, só começaram a circular na parte da tarde.

Granita
Granita

Também há a possibilidade de se visitar a torre de vigia de Chia, logo ao pé da praia. Há  muitas destas torres em toda a Sardenha, mas só algumas estão organizadas para receberem visitas. A de Chia é possível conhecê-la das 9 às 20hs, sendo que adulto paga 3€, crianças até 9 anos e maiores de 65 anos não pagam, os demais pagam 1€.

A bela torre de Chia
A bela torre de Chia

Enfim, uma escolha certa de praia para quem deseja um ambiente calmo, limpo e com serviços.

 

Praia de Chia
Praia de Chia

GPS 38º53’50.2″N 8º52’50.4″E

Tot ziens! 🙂

Sardenha

Como prometido, começarei a escrever sobre esta linda ilha italiana, localizada no mar Mediterrâneo, mais especificamente sobre o Sul da Sardenha.
É verdade que o Norte desta ilha é a região mais badalada pelos turistas e muita informação encontrará na internet, mas é na agradável surpresa da beleza natural que existe no Sul, sem ainda sofrer um grande impacto causado pelo turismo, que conseguimos unir divertimento, cultura e descanso. Por isso, se pensar em conhecer o Sul desta ilha, tente se antecipar, pois há pouca oferta de alojamento, principalmente em relação ao Norte.

Vista geral - próximo à Teulada
Vista geral – próximo à Teulada

A Sardenha é mais habitada no seu interior por questões históricas relativas a ataques piratas. Olhar toda a paisagem sarda é ir de encontro a união harmoniosa de montanhas, colinas, planícies e o seu mar de azul turquesa. Já conhecidas na antiguidade pelos romanos, fenícios e cartagineses, para o desenvolvimento de trocas comerciais e intercâmbio cultural.

Vista em Nora
Vista em Nora

Os seus habitantes são orgulhosos de sua terra e demonstram seu amor pela Sardenha por todos os lados e em vários motivos. Um povo que gosta de mostrar a cultura sarda nas suas festas e através da culinária. Quando visitamos uma gruta na província de Iglesias, o guia perguntou quem era italiano e quem era de outras nacionalidades, daí um senhor, em voz alta, respondeu: – Eu sou sardo! Bem, todos caíram na gargalhada.

Sardenha
Sardenha

O seu mar de surpreendente clareza e temperatura tropical, apresenta uma variedade de peixes que nos vem fazer “festinhas” e corais que facilmente podemos explorar.

Tuerredda
Tuerredda

As suas praias de areia limpa estavam sempre cheias, por isso chegar cedo é importante, mas havia quem resolvesse aproveitar o ambiente a partir das 16 horas. A frequência nas praias do Sul da Sardenha é em sua maioria de italianos, e dos que tive contacto eram da região de Milão, alguns poucos franceses, alemães e ainda menos de outras nacionalidades. O que tornou esta viagem uma total imersão na cultura italiana. Porém, ao perceberem que somos estrangeiros tentam se comunicar em inglês, mas ouvir o italiano é muito mais agradável.

Sa Campana
Sa Campana

Além dos visitantes haviam os vendedores, que em sua maioria emigrantes oriundo de África, aqueles que tanto temos ouvido sobre os seus dramas de travessia em barcos clandestinos.

Bem, mas será em próximos posts que essa história continuará com mais detalhes sobre a beleza das praias de Chia (onde foi a nossa hospedagem), Su Giudeu, Tuerredda, Sa Campana. Nora, Cala Cipolla e muito mais. Aguardem!

Chia
Chia

Tot ziens!

Destino: Sardenha, Itália

Voltei das férias! 🙂

O destino foi o Sul da Sardenha.

Não consigo resistir e O Miau do Leão que é uma pequena voz na Flandres vai escrever sobre uma terra além do seu limite geográfico flamengo. E porquê? Porque a Sardenha é belíssima ! Uma terra amada pelo seus habitantes que fazem questão de ter sua bandeira presente como motivo de orgulho.

Bandeira da Sardenha - Google Imagens
Bandeira da Sardenha – Google Imagens

O ponto fixo no Sul foi a localidade turística de Chia, e a partir daí várias praias ao Sul e pequenas aldeias foram motivos de encantamento.

Sobre tudo que conheci e descobri será contado em próximos posts, porque agora é momento de organizar a vida, após recarregar bateria com o forte abraço do astro Sol, praias lindas de água morna e clara, e simpáticos peixinhos.

Mais para adiantar os assuntos que se seguirão, ainda neste post desejo falar sobre 4 aspectos que notei nesta viagem: descoberta, novidade, verdade e paixão.

Descoberta:

Uma praia em que é permitido cães chamada Spiaggia Sa Canna. Infelizmente, esqueci-me de tirar uma foto, pois tinha pressa de logo chegar a melhor praia que já conheci na Europa até o momento.

Novidade:

Sorvete para cães numa gelateria em Pula. Já deu para sentir como os cães são tratados. Aliás, um com ar muito simpático andava a circular entre as mesas da esplanada dos vários restaurantes do centro de Pula.

Verdade:

Ainda não foi desta vez que mudei a minha opinião sobre a culinária italiana. Segunda vez em terras italianas, 5 cidades visitadas e continuo a dizer: comi melhor comida italiana fora da Itália.

Paixão:

Foi muito bom sentir que apesar das dificuldades que o Brasil atravessa ao longo de sua jovem história, é um país muito querido. Encheu-me os olhos de alegria ao ver a bandeira do Brasil em várias formas e lugares.

Google Imagens
Google Imagens

Esta linda bandeira foi avistada por mim em t-shirt dentro do avião da Alitalia (escala Milão-Amsterdão), em outra t-shirt numa das ruas de Pula, numa saída de banho na praia Chia, num calção de banho de um adulto na praia Campana, num calção de banho de um menino que falava italiano e parecia gostar muito de futebol na praia Tuerreda, numa toalha de praia em Cala Cipolla, numa toalha estendida na varanda de uma casa na aldeia de Domus de Maria, e no meu chapéu. 🙂 Ah, na escala Cagliari-Milão, a viagem foi de Embraer. 🙂

Então, aguardem os próximos posts sobre a Sardenha.

Tot Ziens ! 🙂