Strudel de alheira

É quase fim de semana vai uma dica de culinária. 😉

O Miau do Leão vai à cozinha para trazer um pouco da culinária portuguesa.  Desta vez preparei um strudel de alheira que é um enchido  típico português. Fui aos arredores de Bruxelas para comprar as alheiras no maior mercado português existente na Bélgica. É lá que também encontro algumas delícias brasileiras. A receita é do website de um supermercado português (Pingo Doce). É perfeita a combinação de alheira e maçã com um toque improvisado de espinafres substituindo os grelos da receita original. As sementes de papoila permaneceram na cobertura dando um acabamento todo especial. Acompanhei com uma salada bem composta de folhas diversas, pepino, tomate, passas, nozes, quejo feta, temperada com zatar, vinagre balsâmico e azeite português. Uma receita suficiente para 4 pessoas. Voilá! 😉

INGREDIENTES da receita original

400 g (2 unid.) alheiras de Mirandela
320 g (4 unid.) maçãs
1 c. de chá canela em pó
1 dente de alho
1 c. de sopa azeite
400 g (1 emb.) grelos congelados ( substitui por espinafres)
1 c. de chá sal
qb pimenta
230 g (1 emb.) massa folhada
1 ovo M
1 c. de sopa sementes de papoila

PREPARAÇÃO

1. Pré-aqueça o forno a 200 °C.

2. Coza as alheiras em água a ferver por cerca de 4 minutos. Retire-as da água, corte-lhes a pele e retire o recheio para uma taça. Reserve.

3. Descasque e corte as maçãs aos cubos para um tacho com um pouco de água. Junte a canela e deixe cozinhar em lume médio até as maçãs estarem macias.

4. Enquanto isso, numa frigideira, salteie o alho no azeite. Adicione os grelos e deixe cozinhar por cerca de 10 minutos em lume brando. Tempere com sal e pimenta a gosto. Reserve.

5. Desenrole a massa folhada e com a ajuda de um rolo da massa estique-a ligeiramente até que tenha um formato rectangular. Coloque-a num tabuleiro de forno forrado com papel vegetal.

6. Ponha no centro da massa uma camada de maçã, outra de grelos e outra de alheira.

7. Com a ajuda de uma faca, corte as laterais da massa em tiras e entrance-as uma a uma.

8. Pincele a massa com o ovo batido, polvilhe com as sementes de papoila e leve ao forno cerca de 12 minutos. (Deixei 25 min)

Acompanhei com salada!

Até ao próximo post!

Gastronomia alemã durante o passeio

Chegou ao fim o passeio de 3 dias na Alemanha. Chegou também a vez de falar um pouco sobre o que provei em se tratando de culinária durante o passeio.

Faz uns 8 anos que não ia à Alemanha. Algumas coisas da gastronomia já conhecia, mas algumas não havia observado antes e outras só comprovaram o que já conhecia.

Não me recordava do gosto dos alemães por sorvete, nem de como capricham na apresentação dos mesmos. Segue algumas imagens dos gelados, que saboreamos numa sorveteria em Engers.

IMG_20190629_214331755.jpg

IMG_20190630_215915270.jpg

IMG_20190630_215950427.jpg
Em Koblenz almoçámos no restaurante da Fortaleza. Sentamos na esplanada. Foi neste restaurante que conheci o refrigerante Mezzo, que seria uma mistura de Coca Cola e Fanta. Eu fui na cerveja alemã que é muito boa, mas ainda prefiro as cervejas belgas produzidas pelos frades. Nesta refeição, a minha família escolheu o tradicional schnitzel. Eu fui pela culinária italiana que é muito bem confecionada na Alemanha, pelas experiências que tive. Então, fui de risoto, até porque nem todos gostam em casa, assim pude me deliciar com um prato raro de ser feito em casa.

IMG_20190629_150506537.jpg

IMG_20190629_152118821.jpg

IMG_20190629_152124511.jpg

 

Em Sankt Goar comemos no interior do restaurante que é um dos cenários da banda desenhada Yoko Tsuno, do belga Roger Leloup, como mostrei tudo aqui.
Todos escolheram schnitzel. E para sobremesa pedimos um strudel de maçã com gelado de baunilha e chantilly.

IMG_20190630_123638756.jpg

IMG_20190630_134200742.jpg

Em Cochem chegamos tarde. Alguns já estavam para fechar como o restaurante no topo do Pinnenberg, ou mesmo no centro da cidade quando tentamos saborear gelados numa sorveteria italiana. Assim, decidimos por jantar no centro de Nieuwde, em um restaurante cubano que fechava bem tarde. Estava saboroso, mas não se pode dizer que era uma autêntica comida cubana. Eu pedi um mojito com álcool para acompanhar, que mais parecia uma fraca limonada sem álcool.

IMG_20190630_192132059.jpg

IMG_20190630_192136536.jpg

Em Bernkastel-Kues, o almoço foi nota máxima. Perfeito! Almoçamos no restaurante Alt Bernkastel. Escolhemos o mesmo prato, “schnitzel mit camembert” acompanhado do vinho alemão Riesling Brend Kilburg (2016). O restaurante ostenta o prêmio “Haus de Besten Schoppen 2018/2019“. Perfeito no sabor dos pratos, apresentação e simpatia no atendimento. De sobremesa pedimos creme brûlée com café expresso.

image(1).jpg

image.jpg

IMG_20190701_140535825_HDR.jpg

Em Trier apenas bebemos. No meu caso, uma cerveja alemã na caneca grande. Também aproveitei para comprar para o dia seguinte, e partimos com pressa para Bélgica.

Além dessas experiências citadas, provamos o hot dog alemão. E que delícia!

O resultado final quanto à gastronomia foi muito positivo.

Até ao próximo post! 😉