Kamenjak e suas belas praias, Croácia

É no extremo Sul da península da Ístria que se encontram as mais belas praias do Norte da Croácia
Uma área com aromas do Mediterrâneo, pitorescas paisagens e praias de água cristalina. Um pedaço de natureza que está protegido desde 1996. Esta área recebe o nome de parque Kamenjak.

O Kamenjak é procurado não apenas por suas praias, mas também para prática de ciclismo e caminhadas. Pelo menos durante o Verão é substancialmente mais procurado por turistas, principalmente austríacos. À entrada paga-se uma taxa de 80 kunas para um dia (automóvel), aproximadamente 10 euros. Há a possibilidade de compra de ingresso para um dia, três dias, 7 dias e 12 dias seguidos, ou ainda, um mês. O preço varia de acordo com o tipo de veículo. Também há quem deixe o carro no estacionamento externo e faça percursos à pé ou mesmo de bicicleta sem necessidade de pagar entrada. Ao fazer o pagamento recebe-se um folheto sobre o parque Kamenjak e um saco plástico para recolher lixo produzido ou encontrado. Assim, cada um contribui com a manutenção e preservação do parque.

São cerca de 30 km de costa com várias enseadas e praias no Kamenjak. Os turistas alojam-se na pequena vila de Premantura (Promontore). As praias que estive foram:

Plovanje – uma praia pequena com muitas ondas.

Nivje – é uma praia com mais frequência de pessoas, pois há um bar e estacionamento amplo. Descansa-se ao som de cigarras.


Polje – é uma praia ampla, mas com pouca possibilidade de estacionamento ao longo da estradinha que dá acesso até ela e dá para descansar observando a calmaria de uma vila de pescadores. 


Skara – é uma praia de difícil acesso para carros, e talvez por isso pouco frequentada.


Debeljak – é uma enseada e foi a praia que mais apreciei. Descansar observando o bailado de borboletas é mais um atrativo.

Todas as praias que visitei eram em pedra. Pelos vistos há poucas praias em areia na região da Ístria.

Segue o curto vídeo que fiz com as praias que citei.

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Pula, Croácia

Andar pelas ruas de Pula, na Croácia, é sentir toda a influência dos povos que ocuparam e formaram esta que é a maior cidade da região Ístria (região dividida entre Croácia, Eslovénia  e Itália). Foram romanos, venezianos, austro-húngaros e italianos qua deixaram suas marcas na cultura, na arquitetura, na gastronomia e no idioma.

Esta é Arena de Pula construída no século I, um dos coliseus romanos. Esta arena está entre as seis maiores arenas romanas e é o monumento mais antigo e mais bem preservado da Croácia. É nele que acontece o Festival de Cinema de Pula durante o Verão, bem como shows e exposições. A entrada custa cerca de 10 euros. Vale lembrar que a moeda na Croácia chama-se kuna.

O Arco do Triunfo dos Sérgios é um ponto turístico para fotos. Não há como não se notar a sua imponência. Uma construção ainda de antes de Cristo. Os Sérgios foram três irmãos oficiais que venceram várias batalhas, daí este tributo.

A praça central da cidade (Fórum) é um convite para desfrutar de um bom momento em uma das esplanadas dos vários restaurantes que circundam toda a praça.

A partir da praça principal é possível admirar o prédio da prefeitura  e o Templo de Augusto (o fundador do império romano). O espaço entre ambas as construções é um bom recanto para apresentações de grupos locais.

A Fortaleza situa-se no ponto mais alto da cidade de Pula. Um bom local para visualizar uma boa parte da cidade e acompanhar o pôr do Sol.

Todas as noites acontece o show de luzes nas gruas que estão próximas à marina da cidade. Sente-se num banco que está na avenida que circunda a marina e desfrute de outro bom momento.

Depois retorne ao centro antigo através da rua da Catedral de Pula e contemple essa imponente torre.

Pula tem mais atrações  que não visitei. Algumas delas estavam limitadas devido a pandemia do Covid. No momento que visitei, no fim de julho de 2021, estava atribuída a cor amarela. O uso da máscara era solicitado para entrada em lojas e outros ambientes fechados.

Segue um curto filme que fiz…

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Croácia em imagens V

Gosto muito de gaivotas, sempre procuro fotografá-las em viagem. Às vezes, são um pouco histéricas, mas não perdem a sua graça.
Estas estavam em Brijuni, uma das ilhas croata. 


Olhei tanto para esta pedra enquanto estava em Uvala Debeljak, que tive o meu momento de pareidolia. Uvala (croata) significa enseada.

Obrigada por sua leitura e até ao próximo post!

Croácia em imagens IV

Andar pelas ruas de Pula e observar os seus detalhes. As ruas do centro recebiam duas placas, provavelmente para seguir a tradição da influência dos romanos sobre a região da Ístria.

Não sou muito para doces, mas esses estavam lindamente organizados e com cores vibrantes. Ah, organização e cor é comigo. 

Nem uma aranha escapou ao meu olhar. Uma aranha croata numa cidade que foi ocupada, destruída e reconstruída inúmeras vezes ao longo de sua história.

Essa singela flor no meio de cactos fez-me lembrar o quanto deve ter sido importante a capacidade de resistência do povo croata.

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Croácia em imagens III

Caminhando pelas ruas de Pula, na Croácia, deu para imaginar a antiga Iugoslávia. Não vi prédios sofisticados por onde andei. Havia um certo nível de igualdade, nada de ostentação. Essa característica talvez seja quebrada durante as noites do anual Pula Film Festival.

Achei que o som da língua croata lembrava a língua russa. Tentei recordar as aulas de história geral, afinal a região é rica de fatos. Lembrei do Marechal Tito cuja imagem estava estampada numa t-shirt à venda não longe de outra t-shirt com Che Guevara. Putin também estava em algumas lojas de souvenir, mas de uma forma debochada. Sempre achei que no tempo da antiga Iugoslávia havia um certo orgulho por não serem dependentes dos soviéticos.

Olhei para o alto e avistei chaminés, que pareciam soldados em vigília. Observavam nativos e turistas. Os turistas em maioria eram austríacos, seguidos por alemães e dinamarqueses.

Obrigada por sua leitura e até ao próximo post.

Croácia em imagens II

Sempre tenho feito posts sobre a culinária do país que visito. Desta vez, nada me surpreendeu a ponto de dedicar um post ao assunto. No entanto, gostei muito desse refrigerante chamado Pasareta. Lembrou-me o sabor de Aperol. Deve ser uma versão similar do Aperol para quem não bebe álcool. As cervejas locais não me impressionaram. O “famoso” vinho branco também não. Não cheguei a conhecer algo autêntico da culinária croata. Fui apresentada a uma mistura de influências da gastronomia italiana, grega e alemã. Estive em um supermercado de origem holandesa, e vi muito dessas influências, bem como muitos produtos com os astros do futebol nacional e com o quadriculado vermelho e branco que há na bandeira croata. E, por falar em futebol, vi alguns jovens rapazes com o corte de cabelo do seu maior astro, o Modric.

Foi só na Croácia que vi kiwis em sua árvore, ou melhor dizendo, trepadeira. Já tinha visto muitos anos atrás, mas sem o fruto. Estes pareciam em harmonia com o fruto da videira. 
Curiosa a sua origem chinesa, mas a fama mundial desse fruto surgiu após seu cultivo na Nova Zelândia. É um fruto que gosto, seja o verde ou o amarelo.

Obrigada por sua visita e até ao próximo post.

Croácia em imagens I

Eu não esperava nem tão cedo sentir o mar de água cristalina. Aconteceu, e sou muito grata. Foram cerca de 15 hs na estrada. Atravessar 4 países, sem contar a Bélgica, e chegar ao Norte da Croácia, em Pula. Enfrentando parte da chuva que atingiu tragicamente a Alemanha e a Bélgica até chegar ao Sol do destino.
Por lá, registrei algumas fotos. Alguns desses momentos trago aos pares aqui no blog.

Enquanto, estive sentada nas desconfortáveis pedras das praias fiquei a juntar o que estava por perto, até mesmo algum lixo. Foi num desses “juntar” que surgiu essa foto no primeiro dia de praia. Resultado de tantos pinheiros à volta das praias. Foram 4 pinhas, mas podiam ter sido 2, 6 ou 8. Inconscientemente, os números pares parecem estar mais presentes em minha vida.

Em alguns países mais quentes da Europa é costume as janelas terem portadas, que são deixadas fechadas durante o período mais quente do dia para manter a casa fresca. E ao fim do dia, as portadas são abertas. Foi assim que observei esse curioso apoiador de portadas.

Obrigada por me acompanhar neste espaço e até ao próximo post.