Netsky

O Miau do Leão vai começar uma série de posts sobre artistas belgas. Espero que gostem!

E, para começar, escolhi um artista da nova geração que representa bem o país dos festivais. Está fazendo sucesso com o lançamento da música/vídeo “Rio“, produzida com o inglês Digital Farm Animals.
net
Netsky é um jovem dj flamengo, com 26 anos, nascido em Edegem, província da Antuérpia, sob o nome de Boris Daenen. Vai no seu 2º álbum de lançamento e esteve presente, ano passado, no mais conhecido dos festivais belga, o Tomorrowland.
Fiquem com Ele e o alto astral de Rio! E o Rio, que continua lindo, é Brasil !

Wherever she goes, I go, we roll, we go
Flying over cities down to rio, it’s real
Love that I feel, well nothing lasts forever
But I’m down for the minute so just chill
Wherever she goes, I go, we roll, we go
Flying over cities down to rio, it’s real
Love that I feel, well nothing lasts forever
But I’m down for the minute so just chill

Wherever she goes, I go, we roll, we go
Flying over cities down to rio, it’s real
Love that I feel, well nothing lasts forever
But I’m down for the minute so just chill
Wherever she goes, I go, we roll, we go
Flying over cities down to rio, it’s real
Love that I feel, well nothing lasts forever
But I’m down for the minute so just chill

Wherever she goes, I go, we roll, we go
Flying over cities down to rio, it’s real
Love that I feel, well nothing lasts forever
But I’m down for the minute so just chill
Wherever she goes, I go, we roll, we go
Flying over cities down to rio, it’s real
Love that I feel, well nothing lasts forever
But I’m down for the minute so just chill

Wherever she goes, I go, we roll, we go
Flying over cities down to rio, it’s real
Love that I feel, well nothing lasts forever
But I’m down for the minute so just chill
Wherever she goes, I go, we roll, we go
Flying over cities down to rio, it’s real
Love that I feel, well nothing lasts forever
But I’m down for the minute so just chill

Tot ziens! 🙂

Anúncios

Viajando no Mundo da História em Quadrinhos

Um espaço belga que cativa a todos que nele entra é, com certeza, o Museu da História em Quadrinhos (ou da Banda Desenhada – universo lusófono). Um pouco da alma de um povo está ali representada através da criatividade que atravessa os tempos com seus personagens, criadores e as mais diversas técnicas desenvolvidas ao longo da história da arte dos quadrinhos.

Desde 1989, neste palco situado no coração de Bruxelas, pessoas de todo o mundo aprendem e deslumbram-se com uma arte que nasceu nos tempos primitivos com a necessidade de comunicação do ser humano e a vontade de expressar o seu tempo. Nele, os visitantes estrangeiros podem percorrer o recinto acompanhados de um guia que pode ser obtido na receção do museu ou também através do seu site em vários idiomas disponíveis. http://www.comicscenter.net/en/home)

Logo à entrada da exposição somos levados ao encontro de primitivos registos dos quadrinhos (banda desenhada), e daí a surpresa de encontrar citações até mesmo no Brasil (Piauí e São Paulo), passando por registos na Idade Média com os monges copistas, a revolução que foi a imprensa e até aos tempos atuais com a história em quadrinhos como um mercado económico destacável.

Piauí
Piauí
São Paulo
São Paulo

Composto de exposições permanentes e temporárias num ambiente projetado pelo arquiteto belga Victor Horta, em que outrora existiu um comércio de tecidos e estofos até 1970, é, sem dúvida, um magnífico exemplar da Art Nouveau – madeira, metal e vitral encaixam-se em bela harmonia.

A história em quadrinhos (banda desenhada) cresce sob o lápis e a tinta nos seus primeiros passos a preto e branco, em seguida aplica-se a cor, a arte digital, a arte da capa e a arte da edição.

Percorrendo o museu aprendemos sob os diversos géneros existentes, daí temos contacto com o humorístico, o realista, o expressionista, o romance gráfico, para as crianças, para os adolescentes, familiar, histórica, heroico-fantasia, ficção científica, didática, fábulas de animais … E nunca vislumbrei tanta imensidão de estilos!

E, claro, que por toda a visita vamos sendo conduzidos por alguns personagens que fizeram parte de um pouco das nossas vidas. Assim, logo à entrada, Tintim e sua turma nos espera. Fiquem a saber que na Bélgica flamenga, ele é o Kuifje !

No primeiro piso do museu ainda encontrará uma loja para compra de souvenirs e história em quadrinhos (banda desenhada) em vários idiomas. E, ainda, ao lado do museu poderá desfrutar da Brasserie Horta. Ao sair do museu, talvez venha a sentir que a exposição continua pelas ruas de Bruxelas, mas sobre tal sensação contarei em próxima oportunidade.

Tot ziens! 🙂

Museu da Banda Desenhada
Centre Belge de La Bande Dessinée
Belgisch Stripcentrum
Rue des Sables 20, 1000 Bruxelle

Xadrez na Flandres

Torneio em Landegem
Torneio Criterium em Landegem

O xadrez está bem ativo na Flandres. Com exceção do mês de agosto, é possível, por exemplo, acompanhar as etapas do Torneio Criterium que atrai mais de uma centena de jovens à doze cidades flamengas, por vezes aos sábados, por vezes aos domingos.

Reúnem-se acompanhados dos seus pais ou técnicos num ambiente familiar que começa a fluir das 9hs da manhã até cerca das 19hs. Alguns escalões etários com 9 rondas de 15min e os demais com 7 rondas de 25min. Sempre com um rigor/atenção ao cumprimento dos horários estabelecidos em regulamento.

Ao fim de um festivo dia de xadrez há a entrega de prêmios como em qualquer festa do desporto. Sendo que nas duas últimas etapas realizadas até ao mês de julho chamou-me a atenção a entrega de prêmios na etapa de Landegem e de Oostende. Em Landegem, os prêmios de participação foram autenticamente belga, pois as crianças receberam uma caixa de morangos e banda desenhada (história em quadrinhos). E, em Oostende, os prêmios de participação continuaram com produtos belga, e desta vez, chocolate e maçã, e lápis com borracha para anotar os lances das partidas.

Prêmios de participação em Landegem
Prêmios de participação no torneio de xadrez em Landegem
Torneio de xadrez em Oostende
Torneio Criterium de xadrez em Oostende
Prêmios no torneio de xadrez em Oostende
Prêmios de participação no torneio de xadrez em Oostende

Tot ziens! 🙂

Museu em Temse

Fui visitar o Gemeentemuseum de Temse que é o museu municipal. Há uma exposição permanente dedicada ao município, ao rio Schelde e ao antigo castelo que existia na cidade, abordando aspectos do passado através de mapas, publicações, fotos, obras de artes e mais alguns detalhes.

Conquistou-me a iniciativa em preservar a história de um município mesmo que de pequenas dimensões. Por isso, venho apresentar um pouco deste museu. O que mais impressionou-me foi o cuidado com a caligrafia das cartas e documentos, talvez esse detalhe da visita seja uma característica de um povo que já observei que raramente escreve em “letra de imprensa”; e suas crianças, ainda no terceiro ano da escola primária exercitam a caligrafia em cadernos específicos.

Sempre vale a pena conhecer o passado de um povo para entender alguns aspectos do seu presente.

Gemeentemuseum Temse
Kasteelstraat 16
Entrada gratuita

Tot ziens! 🙂

A Arte de Viajar, o Livro

livro

Não tenho a pretensão de tornar este espaço um blog acerca de livros, mas sinto que preciso abrir espaço para falar sobre uma obra que descobri ao acompanhar o blog Vai Sem Medo.

O livro chama-se “A Arte de Viajar” de Alain de Botton. Sempre considerei os livros como amigos, mas este parece que tornou-se a minha alma gêmea. Nele encontrei tudo ou quase tudo que sinto ao descobrir um lugar por mais próximo ou mais longe que esteja.

É verdade que o início da leitura foi lenta, pois sempre tive um pé atrás com os “amigos” intitulados “A arte de qualquer coisa”. Deviam estar vestidos de pseudo-algoritmos a impor a sua vontade e ideias sobre o assunto. Este amigo não! 🙂

O que nos leva a sair do conforto, da segurança e praticidade de nosso lar e viajar  ou mesmo passear? Por que quando decidimos viajar não nos deixamos ser envolvidos pelos aspectivos negativos que nos rondam até chegar ao destino? Buscamos a felicidade? São algumas das perguntas que encontramos com respostas filosoficamente sutis.

Um dos trechos do livro que me chamou especial atenção foi a citação que diz que só se está bem onde não se está. Essa citação não é novidade, pois já a tinha ouvido na música “Estou Além”, do cantor português António Variações. Dá o que pensar! É mesmo uma frase genial!

O livro faz sentir que cada lugar ao ser visitado tem o seu próprio encanto, a sua poesia. E, que o ato de fotografá-lo tem a ver com o nosso sentimento de possuir o lugar para sempre, mas que a fotografia faz-nos perder detalhes que poderiam ser possuídos através de um desenho ou de uma pintura.

Será que o prazer que sentimos por algumas viagens tem a ver mais com o nosso estado de espírito do que com o destino em particular? Será que uma viagem pelo nosso quarto trará algo de novo que estava escondido diante do nosso olhar passivo e cotidiano? Será que as nossas companhias de viagem são capazes de moldar as nossas experiências visuais? E as pessoas que nos cruzamos pelas ruas com sensações e preocupações  tão semelhantes aos da nossa origem e vem o sentimento de solidão do viajante. E sobre isso vejam e sintam o vídeo: Life In A Day. Há tanto que se extrair deste livro!

Buscar a felicidade, a necessidade silenciosa que temos em fugir de nós e buscar a diferença, apreciar o exótico para nós, mas que para o nativo é ignorado. São as chaves para encontrar a resposta do por que viajamos.

Após este brilhante livro, realmente nenhuma viagem será a mesma.

Sint-Niklaas é Voley de Praia

Parodiando aquela citação famosa, então digo: “se Sint-Niklaas não vai à praia, vai a praia à Sint-Niklaas”.

Foi isso que aconteceu, a praia foi até a cidade e o maior Grote Markt da Bélgica transformou-se em ambiente de praia com 5 espaços destinados à prática do voley e disputa de uma das etapas do campeonato belga.

Foram cerca de 1200 toneladas de areia rapidamente distribuídas com profissionalismo, e participação de jovens voluntários simpatizantes do desporto.

À volta deste cenário, todo um clima de festa com muita música, comida e bebida para aquecer os ânimos de um verão que já começa a dar o ar da sua graça com muita magia.

Esta jovem espera paciente pelo início da festa
Esta jovem espera paciente pelo início da festa

Tot Ziens! 🙂