O mundo sem os técnicos

Estive a comentar com o Estevam do Blog Sabedoria do Amor sobre a importância do trabalho de algumas profissões que não são valorizadas em muitos países.

Daí, lembrei de um vídeo que vi numa reunião de escola na Bélgica.

Aqui na Bélgica, a escola primária é até ao 6° ano de estudos. Depois começa o secundário e o estudante tem que escolher entre 3 direções: ASO, TSO e BSO. Eu não vou explicar em detalhe até porque cada uma dessas direções tem outras divisões e subdivisões. Resumindo, quem escolhe ASO tem ideia de seguir estudos universitários. TSO pode seguir ou não estudos universitários, e BSO não seguirá estudos universitários. 

Foi para esta última direção de estudo que o filme de produção alemã focou. O que seria do nosso cotidiano sem os técnicos de BSO? Assim, o filme foi passado na Bélgica para atrair estudantes com talento para essa direção de estudo. No filme é possível identificar profissões como: trabalhadores das obras, das fábricas, dos salões de beleza, das óticas, etc.

Segue o filme…

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Culinária em Praga

Esse já é um habitual post aqui no blog. Sempre deixo as descobertas culinárias dos lugares que visito para o final como uma boa sobremesa.
E quanto a Praga, a culinária foi uma boa surpresa que combinou com o meu paladar.
Começo por dizer que a cerveja tcheca é muito boa e mais barata ou o mesmo preço que água. 
Foi lá que conheci o refrigerante tcheco que também é popular na Eslováquia, o Kofola. Concorrente da Coca-Cola e Pepsi, esse refrigerante foi criado no período da Guerra Fria para concorrer com os americanos. Kofola é feito com xarope de Kofo, que é uma mistura de frutas e extratos de ervas. Portanto, não é uma imitação das bebidas americanas. Aprovei.

Em lojas ou em quiosques nas ruas conheci o Trdelník. Que delícia! E se estava recheado com sorvete, então era “dos deuses”. Ele é uma massa num espeto com uma cobertura de açúcar e um mix de nozes bem trituradas, que ficava rolando e grelhando no carvão. E existe até na versão Kosher para os judeus.

Algo que descobri não faz muito tempo é que a visita a um mercado ou feira é o melhor lugar para se conhecer e saborear os sabores locais. Em Praga não foi diferente e gostei muito de conhecer esse mercado fixo no centro da cidade.

Quando se viaja é preciso estar atento, pois facilmente pode se cair em uma tourist trap. Há um desse tipo numa praça central próxima ao famoso relógio de Praga em que há até vídeos no YouTube, mesmo assim vi turistas serem enganados ao comer uma espécie de fiambre ao quilo.

Ainda no coração turístico de Praga há o restaurante Havelska Koruna (Česká Kuchyně) que não é uma tourist trap, mas é preciso ter paciência para entrar e saborear uma autêntica comida tcheca. Os turistas fazem longas filas e facilmente espera-se por mais de uma hora, mas vale a pena se tiver tempo. Ou chegar próximo da hora de fecho é outre opção fiável. Os preços são democráticos. Os funcionários não falam inglês, mas o cardápio está organizado por números e em inglês, então use a linguagem universal das mãos para indicar o número que deseja. Os funcionários do caixa falam inglês. O menu é composto por vários pratos típicos, mas há um menu com os dez mais escolhidos.

Foi assim que saboreie o Beef Goulash with Bread Dumplings. Esse dumpling é típico dali da região. Bem, eu amo comer Goulash, e no inverno belga gosto de fazê-lo em casa, é verdadeiramente uma “comfort food”.

Outro prato típico é o Moravian Pork Sparrow with Cabbage and Potato Dumpling.

Ou ainda o Sirloin With Cream Sauce Beef Hind Bread Dumpling.

Eu amo comer queijo. Então, esse prato típico não podia deixá-lo de saborear, o Fried Gouda Cheese 48%, Boiled Potatoes. O Gouda é um queijo típico holandês. As batatas estavam deliciosas.

De sobremesa conheci Bramborové Šišky s Mákem que são como umas rosquinhas de batata que lembram nhoques com sementes de papoula e manteiga. Não achei saborosa e a culpa não foi das sementes que até gosto.

Em Praga provei essa sopa de Goulash servida dentro de um belo e saboroso pão. Algo tipicamente camponês e delicioso.

Bom apetite! Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Continuando a descobrir Praga

Eu gostava de admirar os prédios em Praga, no entanto o que eu fazia mesmo festa era quando eu avistava os elétricos vermelhos.

Prédios, pontes, elétricos, sem esquecer o verde que tanto gosto, seja no parque ou no jardim do Castelo de Praga com essa exuberante árvore e seu especial tronco.

Havia um outro verde chamativo no centro da cidade que atraía os olhares dos turistas, o verde Cannabis.

Ainda no centro, bem em frente à prefeitura havia uma horta com várias especiarias e alfaces.

E um relógio de Sol.

Um restaurante brasileiro.

No entorno do Castelo de Praga havia outros imóveis rodeados por cuidadosos jardins e fontes.

Saltar entre as ilhas da cidade permitiu encontrar um grupo de turistas experientes em um caiaque e admirar a cidade sob outro ângulo. E outro inesperado encontro com uma simpática lontra que se dirigia para as águas do rio Moldova.

Estava calor. Enquanto turistas se aglomeravam para saborear um “ice cream”, eu olhava para a parte superior deste prédio e admirava a beleza de suas estátuas. Elas estavam presentes em muitos prédios, praças e parques da cidade.

Admirar a Torre da Pólvora que é a única que ainda se encontra de pé dentre as 13 torres de defesa da cidade, e após trabalho de recuperação durante o século XIX.

Até uma próxima vez, bela Praga!

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Eurovision 2023

No sábado passado aconteceu a final de mais um Eurovision. A final foi realizada em Liverpool, Inglaterra. Era suposto que a final tivesse sido na Ucrânia, vencedora em 2022. A Inglaterra tinha sido a segunda colocada em 2022.

Eu achei que o Eurovision de 2023 foi pouco produtivo, e ainda mais apelativo que o do ano anterior.

A Suécia sagrou-se vencedora com a Loreen que cantou o tema Tattoo. Ela que já venceu em 2012 com o tema Euphoria, levou a Suécia ao posto de país mais vencedor do Eurovision igualando a Irlanda.

Eu gostei da música, e acho que foi a melhorzinha deste ano, mas eu penso como alguns de que a música é um plágio da música Flying Free, e traz também uma ligeira recordação da música The Winner Takes It All, dos também suecos Abba, que venceram o concurso de música em 1974 com Waterloo.

Loreen é sueca, mas de origem marroquina. O segundo colocado foi a Finlândia. A Bélgica ficou entre os dez melhores.

Trago o vídeo do país vencedor, em seguida o vídeo com o possível plágio, e por fim, o vídeo com a primeira vitória de Loreen em 2012.

E vocês acham que há semelhança entre as músicas? 😉

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Baú Aberto 26 – Aprendendo

Faz tempo que não escrevo para o espaço Baú Aberto. Criei esse espaço no blog quando queria escrever algo que não estava dentro de um tema fixo do blog. Hoje volto a abrir o baú.

No Brasil e na Bélgica comemora-se o dia das mães no segundo domingo do mês de Maio.

Todas as fases da maternidade são maravilhosas. Estou vivendo uma fase que como mãe aprendo com os filhos todos os dias. Em um de nossos passeios, estávamos conversando sobre os aplicativos utilizados para aprender diomas. Então, eu falei que o Rosetta Stone era o meu software preferido para aprender um idioma. Foi quando aprendi com os filhos a razão do nome deste software. 

Rosetta Stone é uma pedra com tradução de hieróglifos encontrada por soldados da campanha napoleônica no Egito.

Essa pedra está em exibição no Museu Britânico em Londres. 

Feliz Dia das Mães!

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Os prédios em Praga

Andar pelas ruas da charmosa Praga vão te fazer bailar entre o tradicional e o não tradicional da arquitetura. E que tal numa das margens do rio Moldava encontrar Fred Astaire e Ginger Rogers ? Esse par de dançarinos é relembrado no prédio conhecido como Casa Dançante.

Subir a encosta à pé ou num funicular para admirar a Petrin Lookout Tower inspirada na Torre Eifel.

Subir outra encosta através de uma escadaria para conhecer toda a beleza do espaço do Castelo de Praga.

O Relógio de Praga capta a atenção de todos, mas quase ao seu lado estão alguns prédios que também captam olhares.

Ou ainda este outro prédio no bairro judeu.

Subir mais outra encosta até ao parque Vysehrad com magnífica vista sobre Praga e conhecer a grandeza da Basílica São Pedro e São Paulo.

Os belos prédios de Praga tornavam-se ainda mais especiais aos meus olhos quando eram cruzados pelos ônibus elétricos vermelhos que por instantes levaram-me de volta à minha infância em Recife.

Sempre é bom admirar a arquitetura das cidades, mas uma pausa na tranquilidade do verde é sempre bem-vinda.

Nas imediações da ponte de Praga está o Muro de John Lennon. Confesso que esperava algo diferente. Não me impressionou, e penso que não combina com Praga.

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

O mundo segundo os filtros dos filmes

Esta semana estava vendo uma série da Netflix, e de repente o cenário ficou em amarelo. Logo deduzi que a situação se passava na fronteira EUA/México. Acertei. Lol

Daí, cheguei a essa imagem: O mundo segundo os filtros dos filmes. Claro, os EUA é apresentado como um país “normal”. O México e outros países latinos recebem o filtro em amarelo que significa sujo, poeirento, pobre. O Canadá sempre brilhante. O filtro em vermelho para Índia, talvez calor? Ou será por causa do curry? Lol. O Brasil em verde. Será que pensam que todo país é uma selva? Lol A Escandinávia e Leste da Europa aparecem em cinzento será depressão, nostalgia?

E vocês já observaram isso?

Agradeço a leitura e até ao próximo post!

O Senhor Ibrahim e as Flores do Corão, o livro e filme

Finalmente, a minha primeira leitura concluída do ano foi para este livro do escritor francês-belga Eric-Emmanuel Schmitt. Suas obras estão traduzidas e encenadas em mais de 40 países. Eu li a versão em holandês (Meneer Ibrahim en de bloemen van de Koran), e vi o filme em francês (Monsieur ibrahim et les fleurs du Coran).

No Brasil, o filme recebeu o nome de Uma Amizade Sem Fronteiras.

O filme (2003) tem o famoso ator egípcio Omar Sharif como o senhor Ibrahim. Sua presença dá vida ao filme que em grande parte corresponde ao livro. Dois personagens de religiões e gerações diferentes, que criam uma sincera amizade.

A história passa-se nos anos 60, e o livro/filme cita Brigitte Bardot que foi um dos maiores símbolos sexuais daquela época. O filme traz ainda uma boa trilha sonora com músicas daquela época.

Eu vi o filme 2 vezes, logo após ser lançado e este ano. É possível encontrá-lo no YouTuBe em francês, mas se tiver lido antes o livro irá perceber o filme mesmo que não entenda francês.

Duas passagens do livro/filme ficaram marcadas em minha memória. Uma delas é quando o senhor Ibrahim demonstra ao jovem Momo a importância de sorrir. Sorrir “abre portas”. E a outra passagem é quando, em viagem, o senhor Ibrahim explica ao jovem que quando não se vê caixotes de lixo nem sacos de lixo é um país muito rico,  Quando só há caixotes de lixo é rico. Quando há os dois nem é rico nem é pobre. Quando só há sacos de lixo é pobre. Quando há pessoas que dormem junto a sacos de lixo é muito pobre. Essa segunda passagem foi marcante para mim porque quando cheguei à Bélgica,  eu não sabia o que fazer com o lixo casual porque não se via caixotes de lixo nas ruas. Foi quando percebi que os indivíduos são responsáveis por guardar o seu lixo até encontrar um caixote ou levá-lo para casa fazendo a devida classificação.

O filme completo está (aqui). Segue o trailler…

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Pegadas Kafkanianas

Estar na terra de Kafka dá a oportunidade de encontrar com algumas figuras que parecem sair do seu imaginário. 

E eu começo com uma janela com encantadores pavões que ofereciam brilho.

Ou um susto ao olhar para o céu.

Caminhar num parque e encontrar o que parecem ser crianças gigantes de outro mundo.

Em pleno centro encontrar essa menina lendo em uma poltrona, e completamente alheia ao barulho que fazem os turistas.

Ou esses dois homens a urinarem sobre o esboço do mapa da República Tcheca.

Em uma das margens do rio Moldava que envolve a cidade de Praga encontrei esse monge e juntei-me a ele para um momento de meditação e gratidão.

Agradeço sua leitura e até ao próximo post!

Dusty Springfield, a rainha do White Soul

A música acompanha-me em diversos momentos ao longo do dia, e quase sempre estou conectada com a rádio Nostalgie da Flandres. Num destes momentos tocou uma música agradável que eu nunca tinha ouvido antes. Fui pesquisar quem cantava e cheguei a Dusty Springfield.
Desculpem a minha ignorância, mas eu nada sabia sobre a artista. Ela era, simplesmente, a rainha do Blue Eyed-Soul ou White Soul
A música que me chamou a atenção foi “In Private“.

Depois reencontrei a Dusty Springfield no Blog Paraíso Nublado, da Mabi, em outra música (aqui). Eu acho que minha conterrânea Mabi tem mais talento para posts sobre música, mas concordei com o desafio de escrever sobre esta artista.

A cantora fez muito sucesso nos anos 60, depois esteve um longo período ausente das paradas de sucesso até que os Pet Shop Boys resolveram resgatar a diva do White Soul.

Quem não conhece esta música? Para mim, é umas das melhores músicas dos “Garotos da Loja de Animais de Estimação”, e eles cantam com a Dusty Springfield!!!

Ela nasceu Mary Isabel Catherine Bernadette O’Brien, em 1939. Gostava de jogar futebol com os rapazes da rua e ficava um pouco suja, daí vem o nome Dusty. Começou a cantar com seu irmão em clubes folclóricos locais e acampamentos de férias. Respondeu a um anúncio, e então juntou-se às Lana Sisters, em 1958.

Dusty deixa o grupo The Lana Sisters e forma uma banda com seu irmão Tom e um amigo. Eles começaram a ensaiar no campo durante a primavera, e assim surgiu The Springfields.

Dusty Springfield deixou o grupo em 1963. Começa uma carreira como backing vocals de Elton John, Kiki Dee, entre outros, sob o nome Gladys Thong.

Ela continuou a fazer gravações durante as décadas de 70 e 80, mas não voltou a ter o sucesso dos anos 60. No entanto, ela tinha os Pets Shop Boys como seus admiradores. Eles convidaram-na para o álbum “What Have I Done to Deserve This?“, em 1987, que atingiu o número 2 no Reino Unido e Estados Unidos.

Volta ao sucesso com os seus singles “Nothing Has Been Proved” e “In Private”, também produzidos pelos Pet Shop Boys.

Sua carreira contou com 21 álbuns e mais 60 singles até ser interrompida por sua morte devido a um cancro de mama aos 59 anos (1999).

Para terminar esse resumo sobre a diva do White Soul, ela canta “I Only Want to Be with You“.

Agradeço a sua leitura e até ao próximo post!