Boas Festas na Bélgica

Durante as festas de fim de ano as cidades da Bélgica decoram suas ruas principais para aquecer os corações em tempo de muito frio. Os mercados de Natal estão presentes em várias cidades do país. Fora desta tradição encontra-se o centro político de Bruxelas. 

IMG_20191205_100545744_HDR.jpg

IMG_20191205_100720429_HDR


IMG_20191205_103413852.jpg
IMG_20191205_120408018_HDR.jpg
Neste post trago cenas atuais de Leuven e Bruxelas, e a experiência Imersiva Claude Monet que acontece em Bruxelas por estes dias de festas.

LEUVEN:

IMG_20191116_170431545.jpg
centro de Leuven dezembro 2019
IMG_20191116_170755515.jpg
centro de Leuven dezembro 2019
IMG_20191116_171133072.jpg
centro de Leuven dezembro 2019

BRUXELAS:

IMG_20191215_133746689_HDR.jpg
Mercado de Natal – Bolsa de Bruxelas

IMG_20191215_134033936.jpg

 

IMG_20191215_134051020

IMG_20191215_134249063.jpg

IMG_20191215_134907652.jpg

IMG_20191215_153900251.jpg

IMG_20191215_155518141.jpg

EXPERIÊNCIA IMERSIVA CLAUDE MONET (BRUXELAS):

IMG_20191215_140549456.jpg

IMG_20191215_145418602.jpg

IMG_20191215_135106129_HDR.jpg
Loja dos Smurfs em frente ao prédio da exposição Monet

E aproveito para desejar a todos boas festas, e o desejo de voltar a encontrá-los no próximo ano neste espaço com saúde e criatividade, e que a paz deixe de ser um sonho e torne-se realidade neste planeta que é a casa de todos nós, e que por isso devemos protegê-la da ganância por lucros de alguns que, infelizmente, estão no poder. 

E, assim o blog O Miau do Leão vai descansar estas 2 semanas, esperando retornar em Janeiro da próxima década. 

Um 2020 de paz e saúde para todos nós!

 

Spinoza em 90 minutos, o livro

spino.jpeg

Décadas atrás, eu estudei engenharia civil, mas tinha filosofia como disciplina no currículo. Os meus colegas de turma perguntavam-me como eu poderia gostar de filosofia. Eu colecionava alguns 10/10, e precisava sempre de mais folha para completar a prova. E eu tinha em casa vários livros de filosofia, sociologia, antropologia,… Não havia conversas sobre o assunto em casa, mas eu explorava-os sozinha como uma espécie de hobby. Era fácil passar a gostar e compreender filosofia.

No presente, ainda tenho alguns livros, mas já não os visito como antes. No entanto, depois de uma conversa com meu filho de 17 anos, a chama da filosofia voltou a acender dentro de mim, e com muito orgulho de mãe por ele ser muito bom no assunto, e questionar todos os aspectos da vida. Foi nestas conversas que surgiu Spinoza. Corri para buscar um livro sobre o mesmo e foi esse o resultado…

Spinoza é considerado o filósofo dos filósofos. Nasceu na Holanda, filho de portugueses. Era um homem religioso, judeu, mas que na prática não professava nenhuma fé. E por esse último detalhe, e não só, foi abominado e teve suas obras perseguidas, mesmo numa Holanda à frente do seu tempo no século XVII.

O seu sistema definiu deus como natureza, e era composto de definições, axiomas e demonstrações geométricas, uma inspiração que veio de Descartes. É o Panteísmo: doutrina filosófica em que Deus e o Universo é uma coisa só.

Spinoza também escrevia sobre teoria política, acreditando que o propósito do Estado era proteger o indivíduo, para que este pudesse desenvolver livremente através da razão iluminista. Ele estava muito à frente de seu tempo e atento para a realidade e o mundo moderno. Surgia a liberdade de expressão.

No século XVII, os judeus não eram considerados cidadãos holandeses, e criticar a bíblia era como atacar o cristianismo. Dizer que na bíblia não havia provas de que deus tinha um corpo, de que a alma era imortal, ou que os anjos não existiam, era entrar num grande sarilho. Tentaram ameaçá-lo, silenciá-lo com dinheiro, e mesmo chegou a sofrer um ataque com punhal.

A comunidade judaica de “Amsterdam” excomungou Spinoza, abandonando-o com a finalidade de demonstrar à comunidade cristã que nada tinha a ver com o filósofo. Passou a ser o “maldito”. Seu pai faleceu, e sua irmã aproveitou para tomar toda a parte na herança que cabia à Spinoza. Ele entrou com processo, venceu, mas acabou por dar quase tudo à irmã. Ele só queria vencer com argumentos. Passou uma vida de dificuldades, vivendo na máxima simplicidade, aprendeu um novo ofício, tornando-se fabricante de lentes, mas não parou de escrever a sua filosofia.

Suas obras mais conhecidas são: Princípios da Filosofia (uma série de demonstrações geométricas do pensamento de Descartes), o Curto Tratado sobre Deus, o Homem e o Bem Estar, e Ética (obra póstuma). 

Bem, essa é uma curtíssima explanação sobre o livro Spinoza em 90 minutos de Paul Strathern, que estudou filosofia no Trinity College de Dublin. O livro é uma rápida leitura, como diz o título, para conhecer este filósofo. Outros filósofos também são retratados na coleção 90 minutos, e pretendo continuar a revê-los, agora que a chama acendeu.

Eu deixo mais explicações com o vídeo do professor de filosofia da UERJ, Marcos André Gleizer…

Até ao próximo post! 😉

 

Um dia em Kortrijk na Bélgica

Durante o mês de outubro há uma semana de férias escolares, a chamada férias de Outono (Herfstvakantie). Aproveitamos um dia ensolarado da semana para ir até Kortrijk na região ocidental flamenga da Bélgica.

IMG_20191029_123804958_HDR.jpg
Kortrijk e o rio Leie

Encontramos ruas tranquilas para um passeio. Um rio navegável que corta a cidade, o Leie. E uma cidade que desde a Idade Média cresceu graças a indústria do linho e lã com a vizinha França e Inglaterra. Há um museu na cidade que conta essa história, mas o meu filho mais novo já o tinha visitado, e não queria repetir a visita. Ficou a minha visita para outra oportunidade.

IMG_20191029_124627635_BURST000_COVER_TOP.jpg

IMG_20191029_125041835_HDR.jpg
caminhando em direção ao centro

IMG_20191029_130438616.jpg

IMG_20191029_152145338_HDR

Foi com meus rapazes que fiquei sabendo que a cidade foi palco de dois eventos importantes para o país. O primeiro foi a Batalha de Courtrai (nome da cidade em francês) ou Guldensporenslag que ocorreu em 1302. Em seguida, mostro uma estátua que relembra este momento. O segundo evento ocorreu em 1820, a assinatura do Tratado de Kortrijk, estabelecendo as fronteiras ainda atuais entre a França e a Bélgica.  Durante os séculos XIX e XX, a indústria do linho floresceu e continua sendo importante na indústria têxtil belga atualmente. Uma outra curiosidade da cidade é que foi a primeira da Bélgica com uma rua comercial para pedestres, a Korte Steenstraat.

IMG_20191029_131440339_HDR.jpg
Torre na praça central (Grote Markt) de Kortrijk
IMG_20191029_131744260_HDR.jpg
Por trás da torre
IMG_20191029_151415068_HDR.jpg
Estátua comemorativa da Batalha de Courtrai

IMG_20191029_151457912_HDR.jpg

Almoçamos no centro, e seguimos para conhecer a Saint Elisabeth Beguinage que remonta ao ano de 1238 e foi listada como Patrimônio Mundial da Unesco em 1998. Foi-lhe dada a sua forma atual no século XVII após várias destruições. Tem cerca de quarenta casas barrocas com um jardim frontal privado. Uma área cercada na cidade onde se reuniam senhoras da sociedade e religiosas para fazer caridade. Já felei sobre a de Leuven (aqui).

IMG_20191029_145335737_BURST000_COVER_TOP.jpg
Uma das dependências da Saint Elisabeth Beguinage
IMG_20191029_145517888_HDR
Rua da Saint Elisabeth Beguinage

 

IMG_20191029_145649010_HDR.jpg
Rua da Saint Elisabeth Beguinage
IMG_20191029_150145848_HDR.jpg
Saint Elisabeth Beguinage

IMG_20191029_150829863_HDR

E agora, o filme deste passeio em Kortrijk…

 

Até ao próximo post! 😉

 

Étienne Daho

etienne.jpegFaz tempo que não escrevo nesta caixa “artistas” do blog. Em princípio, a intenção era trazer artistas nascidos aqui na Bélgica, no entanto vou fugir a esta regra inicial e trazer uma música do francês, nascido na Argélia, Étienne Daho, cantada em francês, que é uma das línguas oficiais no país.

Fim de ano é um período que traz “saudade”. Daí, lembrei da música “Saudade” (1991) do Étienne Daho, que vem com uma interpretação musical a qual eu costumo dizer que é uma viagem de sensualidade.

Saudade, uma palavra linda em qualquer pronúncia. 

Bom fim de semana com SAUDADE e até ao próximo post! 😉

Uma tarde em Rotterdam

O primeiro dia de outono revelou imagens de uma Rotterdam moderna, capaz de esconder o sofrimento que esta cidade passou durante a 2a. Guerra Mundial. Também foi um dia especial, pois o meu filho mais velho fez 17 anos. Vem comigo passear! 😉

Na caminhada para conhecer as casas em cubos, registrei um belo painel que resume a Rotterdam do passado e do presente.

IMG_20190922_152523055_HDR.jpg
Painel Roterodamum

Na mesma avenida do painel encontra-se o belo prédio da prefeitura.

IMG_20190922_152709930.jpg
prefeitura (stadhuis)

 

Após quase total destruição durante a 2a Grande Guerra, Rotterdam renasce com prédios grandiosos, mostrando a força da engenharia holandesa.

IMG_20190922_153600837.jpg

IMG_20190922_155847509.jpg

 

Um desses prédios é o Market Hall. Por dentro há várias lojas, restaurantes, incluindo uma lojinha portuguesa. A estrutura exterior é composta de apartamentos habitáveis. O teto interior é simplesmente estonteante.

IMG_20190922_154159403.jpg
Market Hall
IMG_20190922_154205419_HDR.jpg
Espaço ao lado do Market Hall
IMG_20190922_154711779.jpg
Teto do Market Hall
IMG_20190922_155119946.jpg
Loja portuguesa dentro do Market Hall
IMG_20190922_155152631.jpg
Loja de queijos dentro do Market Hall
IMG_20190922_161008174_HDR.jpg
Exterior (outro lado) do Market Hall

Depois de conhecer o Market Hall ficamos a passear pelas ruas próximas… E, claro, sem faltar as famosas casas dos cubos  (Kubuswoningen).

IMG_20190922_154407327_HDR.jpg
Rotterdam

IMG_20190922_154520738_HDR.jpg

IMG_20190922_160403261.jpg

Mais uma gaivota para minha coleção…

IMG_20190922_162107670_BURST000_COVER_TOP.jpg

E aqui o filme do passeio sobre uma tarde em Rotterdam…

Até ao próximo post! 😉

Acompanha o blog O Miau do Leão também no Instagram, Facebook, YouTuBe e Twitter. :

O último tricô, o curta metragem

O curta metragem finlandês “The Last Knit” ( O Último Tricô, 2005) traz uma senhora que não consegue perceber o limite em parar de tricotar, mesmo que esteja na iminência de perder a vida.

O desenho transmitiu-me a lição de que devemos estar atentos aos limites, e algumas vezes, reconhecer que devemos desistir de um objetivo, não correr o risco de que a compulsão nos domine a vida. O “parar” não deve ser frequentemente interpretado como derrota.

Considero o curta metragem um momento especial para assistir e debater com crianças e jovens sobre a mensagem que ele quer passar. Espero que gostem da dica. 😉

Até ao próximo post! 😉

Clarice Lispector XX

images (1).jpegA surpresa

Clarice Lispector olhava-se ao espelho e dizia: sou misteriosa, delicada e forte.

Refletia que não há homem ou mulher que já não se tenha olhado e se surpreendido consigo próprio.

Narcisismo? Ela preferia chamar de alegria de ser. Na figura exterior encontrar a interior. Ou simplesmente dizer: “eu existo”.

 

Até aopróximo post! 😉