Ninguém resiste…

Ninguém resiste ao sabor de uma “frituur” belga. Nem mesmo ela, Angela Merkel!
A conhecida “Maison Antoine”, na praça Jourdan em Bruxelas, viveu momentos de agitação com a presença da chanceler alemã que encomendou 45 pacotes de batata frita e 40 coberturas para ela e seus colaboradores. A chanceler escolheu o molho “andalouse”. E que também é o meu preferido. 🙂
Ela estava com fome e não quis esperar para o jantar. Achou as batatas fritas incríveis, e prometeu voltar!

Para conferir como foi, veja o vídeo ao clicar em: http://deredactie.be/static/embed/?permalink=1.2577858

merkel
Frituur – Maison Antoine, Google
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Frituur – Maison Antoine

Tot ziens! 😉

Anúncios

Placas Personalizadas

Há algo, em alguns carros com matrícula belga, que não tenho conhecimento que exista em outros países. Já havia visto apenas em carros de autoridades. São as placas personalizadas. Um verdadeiro sucesso!

images
Imagem Google

Em 2015 foram emitidas 5846 novas placas personalizadas que refletiram a imaginação e personalidade dos seus condutores. Ressalto que na Bélgica, cada matrícula do carro corresponde ao condutor, e não ao carro. Se a pessoa adquire um novo carro, este recebe a placa do anterior veículo, caso anteriormente tenha tido um carro.
Para ter a matrícula personalizada o condutor paga, atualmente, o montante de 2000€. Pensou-se em acabar com a personalização devido a problemas de identificação quando os veículos cruzam as portagens, mas a solução passou pelo investimento em câmeras inteligentes. Afinal, as regras são para todos, e por questão de justiça, você pode comprar uma placa personalizada por razões pessoais, mas não comprá-la sem impunidade.

Aqui vão alguns exemplos de placas personalizadas na Bélgica: O casal HAHAHA e HIHIHI, OPA-AUTO (carro do avô), VRRROEM (isso mesmo o som ao acelerar!), GINTONIC, ABBA, NR-PLAAT, MOHAMED, T0, KLARA, CR, BATMAN-1, ZORRO, MAMAN, CATCH-ME, BOOOB, VIP, KAFKA, SPIDER, SIM-O-NE, CAYMAN, 00000000, FACEBOOK, OOSTENDE, NICOLE, XXX XXX, FUK-007, DRAGON, 999-CFQ9-SEX-069, PUNJABI, METALLICA, GODZILLA, 1, PETER-B, THE-END, H, IMAGINE, U-2, FORD-T, VVVVVV, AUDI, HAHA-AMG, CORPORAL, POLICE, 9-COOOL, F1, ALLES MAG (vale tudo ou tudo pode), MORGAN-6, OPTIMISM, SMILE MU, WIN!, AMOUR, MR_BEAN, AUTOFANS, VESPA.

E agora, qual seria a sua placa? Nem quero imaginar em vossa criatividade! 🙂 Limite de 8 dígitos.

Bem, a minha seria ZIKA-MUG. Assim, todos iam querer circular bem longe de mim, e ainda melhor, seria fácil de estacionar. rsrsrs A verdade é que nem sei se gostaria de ter uma, e sem falar na dificuldade em escolher um nome.

Tot ziens! 😉

Belgas escolhem Espanha para férias

O ano de 2016 é ainda uma criança, e os números gerais sobre 2015 vão surgindo aos poucos. Alguns dados são reais e incontestáveis, e outros nem por isso.

Sendo assim, resolvi mostrar no blog os números divulgados sobre a escolha dos belgas para o destino de férias. Você pode pensar: mais o que isso me interessa se não vivo na Bélgica, nem tenho nacionalidade belga?

Eu penso que seja importante à medida que posso responder com outras perguntas: Por que destinos lusófonos não estão entre os preferidos dos belgas ? O que o governo destes países e a própria sociedade tem feito para alavancar o turismo ? Claro, pensar na(s) resposta(s) sem considerar a epidemia atual dos mosquitos. Afinal, não é de pouco tempo que a escolha tem sido Espanha.

Os belgas constituem uma parcela interessante para o turismo, visto que são pessoas com bom poder aquisitivo, que gostam de viajar, falam fluentemente pelo menos dois idiomas, apreciam culinária, enfim…

A verdade é que em 2015 preferiram Espanha, com destaque para Málaga, Barcelona e Alicante. Houve também um aumento de férias para Itália, em particular, para Verona. Fora da Europa, o destino preferido foi a América do Norte, e os menos populares foram os destinos para Escandinávia, Oslo e Estocolmo, em particular.

Tot ziens !;)

Sítio Arqueológico de Nora

Ir à Spiaggia di Nora, em Pula, leva-nos a um banho de diversão, mas também de conhecimento. Afinal, Nora também é uma antiga cidade fundada pelos fenícios. As ruínas podem ser visitadas com a orientação de um guia em grupos, com explicações em italiano e/ou inglês/francês.
No local da bilheteira há um serviço de venda de souvenirs, publicações e algum lanche. Aconselho vivamente a levarem água para beber durante toda a visita, principalmente aos que também optarem pela visita à torre de vigia, além das ruínas.
No site da Coptur (www.coptur.net) terá acesso às informações correspondentes às tarifas e horários de entrada/saída, de acordo com a época do ano.
Um pouco à parte, no sítio arqueológico, há um recinto utilizado para pequenas apresentações/espetáculos artísticos que mistura antiguidade e modernidade com um convidativo terraço de visão privilegiada.
Tenho a certeza que ficarão encantados com a riqueza que a civilização cartaginesa construiu, e que podemos visitar em Sardenha, diante de um visual naturalmente belo.
GPS  38º 59′ 10.9″N  9º 00’56.6″E

Vem comigo! 🙂

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Ruínas em Nora sob o olhar atento de uma amigável gaivota
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Ruínas e a indicação de uma cacimba para armazenamento de água pluvial

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Uma estrada construída por esta antiga civilização

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Mais uma estrada
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Talvez o que foi a entrada de um nobre salão
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Ruínas de uma moradia
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Afiado sentido de engenharia nesta antiga civilização
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Mozaicos fenícios. Quanto mais pequenas eram as peças, mais nobre era a pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Civilização que desenvolveu-se à volta do Mediterrâneo visando o comércio. Com passarela que liga à modernidade.
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Antiguidade e modernidade fundem-se para cultivar a cultura
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Cultura, diversão, natureza em Nora
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
E lá está a torre de vigia que iremos visitar. Antiga proteção contra os piratas também.
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Imponente e bela torre de vigia
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Até subir à torre somos agraciados com muita beleza natural
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Vista da Baía de Nora
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Baía de Nora
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Bem no alto da torre uma pequena exposição de sobre sua história, em italiano. Mamma mia! 🙂
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
O esforço físico valeu. Olhem que linda vista! 🙂

Lindo, não é?
Ainda falarei mais sobre o Sul da Sardenha.

Tot ziens! 😉

 

 

Stromae

images
Stromae – Imagem Google

O belga Paul Van Haver deixa a timidez de lado e incorpora o personagem STROMAE. Um autêntico maestro de sua originalidade sonora que circula entre ritmos de hip hop, música eletrônica e new beat.
O Stromae é certamente, no momento, o artista belga mais conhecido fora do seu país. Olhar Stromae é ver a multicuralidade vivida na Bélgica. Nascido nos arredores de Bruxelas, de mãe belga e pai ruandês, é o retrato de grande parcela dos que aqui vivem e tentam manter a união de um país tão diversificado.
Canta em francês, porque para ele a música se comunica por si própria. E é disso que venho falar neste post. Não quero aqui apresentar um Stromae de “papaoutai“, “formidable“, “alors on danse“, ou mesmo “carmen“. Venho trazer  uma música que talvez já seja conhecida de alguns, Ave Cesaria. Saudação pura e emotiva ao grande nome da música africana, a saudosa Cesária Évora, cabo-verdiana.
Há alguns vídeos da música, mas escolhi este, pela interessante apresentação do nosso conhecido cavaquinho, que é um instrumento do mundo lusófono, e enfim pela magnitude de sua improvisação.

Vem comigo ouvir Stromae dizer “sodade”, “obrigado” e “Evora”. Não se importe com a letra, deixa a música comunicar por si própria, como diz Stromae.

Tot ziens! 😉

 

 

Praia (Spiaggia) di Nora

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Spiaggia di Nora

Em nossa estadia durante o verão, no Sul da Sardenha, esta foi a praia que menos gostamos de estar. As suas características definidas numa estreita praia e com pedrinhas por quase toda a faixa de limite entre praia e mar são as “culpadas”.
Mesmo assim, é uma praia com pontos positivos como a bela vista de um penhasco e sua torre de vigia, a proximidade de restaurantes e a proximidade com o centro de Pula. E, ainda, um estacionamento organizado e de fácil acesso, mas com pagamento através de máquina automática (1€/h), e no máximo 6€ por permanência de um dia.
Uma praia ideal para famílias com crianças que não correm perigo devido a água rasa, bem como a possibilidade de aluguel de equipamentos para diversão.
Nesta praia podemos juntar diversão com conhecimento, pois a poucos metros localiza-se a “Chiesa di Sant’Efisio” e o “Sítio Arqueológico de Nora”. Este último podemos visitá-lo mediante pagamento, mas não se pode estar em roupa de banho. Sobre esta visita falarei em posterior post, no que sem dúvida foi um banho de história fenícia.

GPS 38º59’27.8″N 9º00’45.1″E

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Outra vista da Spiaggia di Nora
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Chiesa di Sant’Efisio
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Penhasco com Torre de Vigia (aberta à visitas) – Spiaggia di Nora

 

Tot ziens ! 😉

Pannenkoekendag

pannenkoekklassiek

Hoje, 2 de Fevereiro,  comemoramos o dia das panquecas ou crepes.
Oba! Boa desculpa para comer muitas panquecas ou crepes durante todo o dia! E, os flamengos adoram-nas. Amai, dat is lekker !
Mais o dia não é celebrado apenas pelo motivo delicioso de comê-las. O Pannenkoekendag = Lichtmis, ou seja, é uma tradição com origem cristã e celta.
Na tradição cristã comemora-se o dia em que Maria, após 40 dias de nascimento de Jesus, leva-o ao Templo de Jerusalém para completar a sua purificação após o parto, segundo a tradição judaica. A festa é conhecida como o dia de Nossa Senhora das Candeias ou Candelária.
Na tradição celta, a festa simboliza o fim dos dias escuros e o retorno da luz, a aproximação da primavera. Um dia muito esperado para os que vivem no Norte da Europa, por exemplo.
Aqui, na região flamenga da Bélgica, mesmo estando a ser um dia chuvoso, de facto já se notou mais luz no céu de manhã cedo!? Uma boa panqueca de otimismo, pois às 8hs da manhã, as luzes da cidade ainda estavam acesas. Bem, mas diz a tradição que se no dia 2 de Fevereiro estiver um dia com Sol, ainda virá muito “inverno”; se no dia estiver com chuva, então o “inverno” já passou.
Ainda bem que chove! E eu já comi as minhas panquecas caseiras. 😉

Tot ziens! 🙂